22.10.14

MEMÓRIA: Banda de Niza: É symphonica...ou não é symphonica? (2)

 O insigne maestro e sábio professor e meu querido mestre Júlio Newparth diz: “Symphonica é toda aquela que tenha elementos para executar as symphonias, suites-poemas, etc., etc.
Manuel Benjamim, o inspirado maestro e sábio professor diz-me: “Symphonica é toda aquella que souber executar bem as symphonias. A de Nisa, de que eu conheço a estructura é symphonica – lá tem os dois instrumentos característicos e necessários para seu complemento, a flauta em dó e o oboé!”
O grande regente da Orchestra Symphonica Portuguesa, Pedro Blanch, de há muito que tem como opinião que é symphonico todo aquele conjunto que consiga executar todas as phases symphonicas da distribuição musical. É claro que o Sol-e-Dó do Dafundo e a Filarmónica da Moita não pode tocar a symphonia do Guaray de forma a poder ser ouvida com agrado. A não ser em aleijão como já ouvi tocar a symphonia Fão de G. Tell, essa gloria musical, esse génio que brilha no meio dos requintes portugueses, que modificou a antiga Banda da Guarda Municipal para a explendida Banda Symphonica que hoje tão proficientemente rege, teve precisamente a opinião de Pedro Blanch. Eu, entre tão insignes companheiros, um ínfimo pygmeu entre tais gigantes.”
Há-de haver um ano e tal, que este assunto bem discutido foi, e d´essa discussão nasceu a luz de que symphonico é todo aquele agregado de executantes musicais, onde os naipes tenham toda a extensão dos timbres  e onde possa ser transcripto o colorido empregado pelo auctor do motivo symphonico.
F. Bahia, professor distincto e Director do Conservatório de Lisboa, diz-me numa erudita carta de que vou transcrever alguns períodos.
-“ Como V. sabe muito bem a etymologia da palavra symphonica – sym – com e phône-sem é como vê toda a reunião de vozes ou de sons que formem um conjuncto.
É adoptada para peças de música com vários andamentos. Na Alemanha e nos grandes paizes musicais denominavam Banda Symphonica ou Orchestra SYmphonica a todas aquelas que estavam habilitada a executar os motivos symphonicos, sendo necessário para a sua constituição ter em mira conseguir-lhe a maior extensão do som, para poder abranger toda a gama empregada pelos motivos symphonicos dos auctores.
Nas melhores Orchestras há géneros e qualidades de peças, para que é necessário o augmento dos seus executantes, isto pela exigência das partituras; e no entanto essas Orchestras, não tendo constantemente tal numero de instrumentistas, mesmo assim não deixam de ser symphonicas.
A sua banda composta como está, ou como V. me dise a ia compor, é uma peque Banda Symphonica, disso não tenho a menor duvida, como a Banda da Guarda Republicana é uma grande Banda Symphonica, com que nós os portugueses muito nos devemos orgulhar, etc., etc.
Não sei meu caro amigo se disse o bastante para poder explicar que quando qualifiquei de Banda Symphonica, a Banda que me orgulho de reger, fundamentava em prévio conhecimento d´arte a sua constituição.
Mesmo assim, faltando-lhe muito do que esperava ela já tivesse, ainda lhe podemos afoitamente chamar Symphonica deixando barafustar os ignorantes e rirmo-nos dos despeitados.
Disponha, meu amigo, sempre do pequeno préstimo do que é com praser seu Admirador devotado,
António Pena
*************   *********   *********
PS= Olhe, meu amigo, Phylarmonica é que ela não é, como lhe vejo alguém chamar!
Ahi teem os Nizenses a resposta do Regente da Banda Symphonica de Niza que, pelo que parece, sempre é Symphonica, contra a má vontade dos despeitados, é claro, para que a Banda ainda é um marmelo cru, atravessado nos gorgomilhos...
Tenham paciência!
Um amador de música.

AMIEIRA DO TEJO: Feira de Velharias e Produtos Locais


IMPRENSA REGIONAL: "Alto Alentejo" - edição de 22/10/2014


21.10.14

Artesanato nisense inspira abertura de espaço em Lisboa




Inspirado na Herdade das Jans, localizada em Amieira do Tejo, concelho de Nisa, na margem esquerda do Rio Tejo, a estilista Isilda Pelicano inaugurou, no passado dia 16 de outubro, em Lisboa o espaço Jans cujo conceito incide no artesanato nisense.
 Com a presença da Presidente e do Vice-presidente da Câmara Municipal de Nisa e do Reitor do IADE – Creative University, foi inaugurado, na Rua da Rosa nº 212, em Lisboa, o espaço Jans concept cujo projeto abrange várias vertentes: JANS studio contemporay craft que constitui a criação de peças em cortiça, cerâmica e têxteis, de design contemporâneo inspiradas em técnicas artesanais sendo as restantes áreas de negócio a implementar faseadamente a JANS gourmet, JANS Nature e a JANS Country House & Nature.
Para dar sequência ao projeto, a marca JANS desenvolveu protocolos com o IADE- Creative University e com a Câmara Municipal de Nisa (Museu do Bordado e do Barro), estabelecendo um diálogo criativo entre as artesãs nisenses e aquela escola de design nacional com objetivos assentes, a longo prazo, no campo da investigação, desenvolvimento e inovação, pretendendo estabelecer mecanismos de cooperação que tornem possível a participação conjunta em projetos, explorando novas ideias e criando soluções inovadoras no que respeita ao trabalho desenvolvido pelos artesãos de Nisa, potenciando a ligação institucional que vise a divulgação deste património imaterial representativo das gentes de Nisa, aplicado a uma realidade aberta a novos desafios no que respeita à continuidade do artesanato nisense.
Naquele espaço há peças com aplicações em feltro (arte típica de Nisa) e que constituem uma das mais antigas formas de bordar, mas também peças em cortiça e em cerâmica, criadas por artistas convidados, consagrados ou emergentes, e que contribuem para a criação de coleções que recriam a tradição do concelho de Nisa.

Trabalho sobre a olaria pedrada de Nisa: Pedido de colaboração

A Helena Luz Grácio SF no âmbito da sua tese de doutoramento "Olaria Pedrada de Nisa: do Artesanato ao Design de Produto" está a realizar um inquérito, sobre a Olaria Pedrada. Pede-nos apenas 5 minutos para responder a algumas questões, assim como para partilhar com o máximo de pessoas que estejam ligadas a NISA!
Ajude a divulgar uma das principais artes tradicionais de Nisa e do país, colaborando na realização do inquérito

NISA: Câmara faz balanço do 1º ano de mandato


41 em Arronches para a colheita de sangue





No começo de Outubro: a Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre - ADBSP, levou a efeito uma brigada, desta feita em Arronches.
41 Pessoas, entre elas 18 mulheres (43,9%), cumpriram o apelo lançado à população em geral. Mas os exames de saúde aconselharam que quatro pessoas não pudessem dar, pelo que foram armazenadas 37 unidades de sangue.
Duas jovens do sexo feminino foram dadoras pela primeira vez.
A Câmara Municipal de Arronches apoiou a realização do almoço convívio, servido num restaurante local.
Tratou-se de mais uma colheita que transcorreu dentro do que era espectável, segundo António Eustáquio. Aliás o Presidente da ADBSP refere que as duas novas estreantes merecem uma palavra especial, pois avançaram com receios infundados. Mas, finda a intervenção, constataram que dar sangue é simpático, indolor e … asseguram que vão voltar! E quando assim é: está tudo dito!
Outras colheitas
A ADBSP vai levar a efeito, proximamente, colheitas a: 25 de Outubro, na sede do Grupo Desportivo Cultural Social de Vale de Cavalos (Alegrete); 01 de Novembro no Centro de Saúde de Montargil (Ponte de Sor); 08 de Novembro nos Bombeiros do Crato.
As brigadas são em sábados das 09.00 h às 13.00 horas e, certamente, que o/a queremos ver!
JR

20.10.14

MARVÃO: Município homenageia Vitor Caldeira com atribuição da Medalha de Mérito Municipal

O Salão Nobre dos Paços do Concelho recebe no Sábado, dia 25 de Outubro, pelas 17h, a cerimónia de atribuição da Medalha de Mérito Municipal a Vitor Caldeira, actual presidente do Tribunal de Contas Europeu.
O Município atribui, desde 2008, estas distinções a personalidades do concelho que, ao longo dos anos, se destacaram nos mais diversos sectores da sociedade, e na defesa do bom nome de Marvão.
Recorde-se que, no dia 8 de Setembro, Feriado Municipal em Marvão, foram entregues as Medalhas de Mérito Municipal, ao Maestro Christoph Poppen, e a título póstumo, ao empresário marvanense João Sequeira Carlos. Vítor Caldeira, que não esteve presente na cerimónia, por motivos de ordem pessoal e profissional, receberá agora esta distinção honorífica.
Vítor Manuel da Silva Caldeira nasceu em Campo Maior, mas cedo se mudou para Marvão, onde tem as suas raízes e onde fez a Escola Primária. Fez o Liceu em Portalegre e a Licenciatura em Lisboa. Casado com Fátima Gomes Esteves, mantém as suas ligações a Marvão e ao concelho, onde ainda vive a mãe e grande parte da família. Pelo seu percurso de vida e profissional, Vitor Caldeira é digno da admiração de todos os marvanenses.
Licenciado pela Faculdade de Direito de Lisboa, com uma pós-graduação em estudos europeus pela mesma Faculdade. Foi Inspector de Finanças entre 1984-1989, Inspector-Director de 1989-1995 e Inspector-Geral até Fevereiro de 2000.
Membro do Tribunal de Contas Europeu desde 2000, foi eleito presidente do Tribunal de Contas Europeu, pela primeira vez, em Janeiro de 2008 e reconduzido em 2011, Vítor Caldeira, foi reeleito, em Janeiro de 2014, pelos 28 membros da instituição, tornando-se o primeiro presidente da instituição a cumprir um terceiro mandato de três anos.
Vítor Caldeira é o décimo presidente do Tribunal de Contas Europeu, uma das cinco instituições comunitárias, cabendo-lhe fiscalizar externamente a utilização dos dinheiros da União Europeia, através de auditorias às receitas e despesas da UE.

NISA - Um Ano de Mandato: O silêncio é (quase) de ouro!

 AUTARQUIAS DE NISA: 1 ANO DE MANDATO
Completou-se no passado sábado, dia 18 de Outubro, um ano de mandato autárquico no concelho de Nisa. Quisemos assinalar a data e “tomar o pulso” às diversas sensibilidades políticas existentes tanto na Câmara como na Assembleia Municipal e nas Juntas de Freguesia, julgando poder contribuir para o debate político-autárquico e para tal elaborámos três questionários (um para cada órgão autárquico), com perguntas simples e abertas, que, pensámos, não constituiriam nenhum quebra-cabeças para os detentores dos cargos a quem as endereçámos: presidente da Câmara, vereador Vítor Martins (CDU), vereador José Semedo (PSD), eleito na AM, Amílcar Zacarias (MIMexer com Nisa) e presidentes das sete juntas de freguesia do concelho.
Onze destinatários e eleitos do povo que, à excepção de uma Junta de Freguesia (a União das Freguesias de Arez e Amieira do Tejo) não quiseram responder, situação que aceito e respeito, lamentando, apenas, que os visitantes do “Portal de Nisa” não tenham oportunidade de ouvir de viva e livre voz, os responsáveis autárquicos, a diversos níveis, do território que habitamos e ajudamos a sustentar com os nossos impostos.
Agradeço ao executivo da União das Juntas de Freguesia de Arez e Amieira do Tejo, a disponibilidade e o respeito demonstrado tanto pelo responsável deste blog como pelos eleitores e fregueses da sua área de administração.
Aos restantes, resta-me pedir-lhes desculpa por ter incomodado o justo e reparador descanso de Sªs Exªas.
Mário Mendes
Mensagem enviada à presidente e vereadores da Câmara Municipal de Nisa
Estando a completar-se um ano de mandato (apontando a data de 18 de Outubro como a da posse dos órgãos autárquicos do concelho) e para a elaboração de um trabalho sobre o poder local no município de Nisa, agradecemos a sua colaboração, respondendo às perguntas que por este meio (e-mail) lhe enviamos, solicitando que as respostas nos sejam enviadas até ao final de 17 de Outubro.
1 – Que balanço (análise) faz deste primeiro ano de mandato?
2 – Quais as principais carências/problemas que detectou no concelho e como pensa resolvê-las?
3 – Qual o seu maior/principal objectivo e quais as prioridades enquanto presidente da Câmara?
4 – Que medidas são necessárias para o desenvolvimento do concelho e a consequente implementação de uma melhor qualidade de vida?
5 – Quais as expectativas que tem em relação ao trabalho do executivo municipal e as formas de cooperação que julga indispensáveis entre os eleitos na Câmara, Juntas de Freguesia e a Assembleia Municipal de modo à prossecução dos principais objectivos de administração e dinamização económica, social e cultural do concelho?
6 – Que medidas de fundo seriam (serão) necessárias tomar para retirar o município da letargia em que mergulhou?
Mensagem enviada ao Eleito na Assembleia Municipal - Amílcar Zacarias
Estando a completar-se um ano de mandato (apontando a data de 18 de Outubro como a da posse dos órgãos autárquicos do concelho) e para a elaboração de um trabalho sobre o poder local no município de Nisa, agradecemos a sua colaboração, respondendo às perguntas que por este meio (e-mail) lhe enviamos, solicitando que as respostas nos sejam enviadas até ao final de 17 de Outubro.
1 – Que balanço (análise) faz deste primeiro ano de mandato?
2 – Quais as principais carências/problemas que detectou no concelho e como pensa contribuir para a sua resolução?
3 – Qual o seu maior/principal objectivo e quais as prioridades enquanto eleito na Assembleia Municipal?
4 – Que medidas são necessárias para o desenvolvimento do concelho e a consequente implementação de uma melhor qualidade de vida?
5 – Quais as expectativas que tem em relação ao trabalho do executivo municipal e as formas de cooperação que julga indispensáveis entre os eleitos na Câmara, Juntas de Freguesia e a Assembleia Municipal de modo à prossecução dos principais objectivos de administração e dinamização económica, social e cultural do concelho?
6 – Que medidas de fundo seriam (serão) necessárias tomar para retirar o município da letargia em que mergulhou?
 Mensagem enviada aos presidentes de cada uma das Juntas de Freguesia
Estando a completar-se um ano de mandato (apontando a data de 18 de Outubro como a da posse dos órgãos autárquicos do concelho) e para a elaboração de um trabalho sobre o poder local no município de Nisa, agradecemos a sua colaboração, respondendo às perguntas que por este meio (e-mail) lhe enviamos, solicitando que as respostas nos sejam enviadas até ao final de 17 de Outubro.
1 – Que balanço (análise) faz deste primeiro ano de mandato?
2 – Quais as principais carências/problemas que detectou na sua freguesia e como pensa resolvê-las?
3 – Qual o seu maior/principal objectivo e quais as prioridades enquanto presidente da Junta?
4 – Que medidas são necessárias para o desenvolvimento do concelho e a consequente implementação de uma melhor qualidade de vida?
5 – Quais as expectativas que tem em relação ao trabalho do executivo municipal e as formas de cooperação entre as Juntas de Freguesia e a Câmara?
União das Freguesias de Arez e Amieira do Tejo respondeu:
Vem o executivo desta União de freguesias enviar as respostas ás perguntas que nos foram enviadas:
1 - Balanço e análise sobre o primeiro mandato deste executivo: tendo em conta a situação actual do País, é por nós considerado positivo. Contudo, pensamos ser pergunta a colocar aos fregueses que servimos.
Brevemente, será emitido comunicado sobre a actividade do primeiro mandato.

2 - Quais as carências: Umas das principais, reflecte-se na herança do ex-executivo em Amieira do Tejo. Saldo praticamente negativo, com dívidas à mistura. Todavia, os objectivos que traçamos, dentro das possibilidades existentes, estão a ser cumpridos.
3 - Os principais objectivos: Em primeiro lugar; servir todos em iguais circunstancias sem excepção. Segundo; rigor, honestidade no desempenho da função. Prioridades: Baseiam-se no cumprimento do Plano de actividades e orçamento anual. outras situações vão surgindo dia após dia, que são tidas também com consideração.
4 - O desenvolvimento do Concelho faz-se com a criação de Empresas que possam gerar emprego, creio que nos últimos anos a politica de emprego adoptada no concelho foi nefasta para iniciativa do sector privado. Não sendo aproveitadas as oportunidades surgidas.
5 - As expectativas em relação ao trabalho do executivo municipal neste primeiro ano de mandato, dado a situação actual do município em termos económicos que é de todos conhecido, no essencial, têm sido cumpridos os protocolos existentes entre ambas as autarquias o que significa o bom relacionamento e cooperação.
Com os melhores cumprimentos
O executivo da união de Freguesia de Arez e Amieira do Tejo

ALTER DO CHÃO: Festival de Outono de Bandas Filarmónicas


Alunos de APM do Politécnico de Portalegre na final do EDP University Challenge 2014

Um grupo de alunos do 1º e 2º ano da licenciatura de Administração de Publicidade e Marketing da ESTG, está entre os finalistas do concurso universitário EDP University Challenge 2014. "Fidelização de clientes através de um produto inovador no mercado" foi o tema abordado pelos alunos na sua campanha de lançamento de um serviço “pré-pago” no mercado eléctrico nacional. Como tem acontecido nos anos anteriores uma equipa de alunos de APM está entre os  15 finalistas. Diamantino Roque, Joana Damas, Fábio Entradas e Diogo Pimenta são os alunos de 2º e 3º ano da ESTG que atingiram a final do curso universitário da EDP.
O EDP University Challenge 2014 é a 8ª edição de um concurso universitário que tem por objetivo promover o desenvolvimento de trabalhos nas áreas de estratégia, marketing e comunicação. A final
vai ter lugar no Museu da Eletricidade, em Lisboa, em Outubro, com uma sessão de Elevator Pitch, para que os melhores grupos apresentem os seus trabalhos.
A organização pretende com o Elevator Pitch que todos os grupos finalistas do projecto tenham a oportunidade de apresentar os seus projectos à audiência presente na cerimónia tipicamente constituída por quadros da EDP e da PremiValor Consulting, docentes e alunos das diversas escolas a nível nacional, convidados oriundos de outras empresas, investidores, jornalistas, entidades financeiras, sociedades de Private Equity, Business Angels, etc.
Os 15 projectos finalistas resultam de uma avaliação preliminar já realizada dos inúmeros trabalhos apresentados a concurso. Nas edições anteriores estiveram presentes dezenas de equipas de mais de quinze universidades.
O “EDP University Challenge” é um prémio universitário que irá atribuir ao grupo vencedor, uma bolsa estudo e é dada ainda a possibilidade de realizar um estágio na EDP.
Esta é uma iniciativa da EDP – Energias de Portugal, SA, cujo objectivo é o de contribuir para o desenvolvimento da excelência na formação académica complementar de estudantes ao nível da Licenciatura, Pós-Graduação e Mestrado (1º e 2º ciclo do processo de Bolonha).
 O objectivo do projecto é premiar as vertentes académicas e científicas dos trabalhos apresentados pelos grupos que participem nesta iniciativa, promovendo uma maior interligação entre as universidades e o mundo empresarial em linha com o preconizado pelo Processo de Bolonha.
O concurso foi lançado na ESTG com uma apresentação por parte da empresa à escola na qual estiveram presentes alunos das diversas licenciaturas da escola, o desafio foi agarrado pelos alunos do curso de Administração de Publicidade e Marketing que já têm alguma tradição de concorrer a concursos universitários em geral e a este em particular.
Depois de uma análise do mercado e levantamento dos problemas, os alunos propuseram um serviço pré-pago para o mercado eléctrico à semelhança do que existe nas telecomunicações. E é essa proposta que os levou a ser uma das equipas finalistas.

19.10.14

HUMOR EM TEMPO DE CÓLERA

Fim da crise no horizonte
Cartoon de Henrique Monteiro in http://henricartoon.blogs.sapo.pt
Fim do mundo está previsto
não adianta haver lamento
em Portugal já está visto
vem com o novo orçamento!

Vendedores de ilusões
tudo verde fiscalizado
sacos,saquinhas e sacões
é sacar no saco usado!

Claro que isso é ecológico
tudo isso é incontestável
pópó da europa 10 anos é lógico
vem num estado impecável!

Tretas lindas de encantar
são embalos de pequeninos
adoram histórias de embalar
embalam-nos como meninos!

Mário João Castro

CULTURA POPULAR: Provérbios sobre o vinho


MEMÓRIA - Banda de Niza: É symphonica...ou não é symphonica?


O artigo é uma verdadeira "pérola" e uma lição sobre a arte musical.Publicado na edição nº 9 do semanário nisense "As Férias" em 1 de Outubro de 1916, transcrevemos a primeira parte, como evocação dos 170 anos da Banda de Nisa cujas comemorações ontem se iniciaram. 
Tendo já por algumas vezes ouvido pôr em duvida a classificação de symphonica que a nossa Banda tem; mas, especialmente por no arraial da Comenda, a que assisti, terem ferido os meus ouvidos uns dichotes de alguns espectadores-ouvintes, que cheios de despeito, com voz irónica, victoriavam com aquele cognome a nossa Banda, puz hoje em mim a missão de vir trazer a publico a opinião de alguém que nos pudesse elucidar sobre o assunto.
Sabemos também, sem querer melindrar nenhum dos Nizense, que cá na terra não há um só com competência a nos poder informar; e, por isso, nos dirigimos a quem reputamos apto a para nos esclarecer.
Escrevemos um cartão ao maestro Regente da nossa Banda, e ele com a gentileza que o caracterisa, responde-nos assim:
“ Meu caro amigo, da minha maior estima.
Pergunta-me V... a razão porque a Banda de Niza se chama Symphonica.
Vou ver se com os meus fracos conhecimentos, consigo esclarecer essa magna questão, que tanto tem dado que falar ao indígena.
À guisa de espírito d´alguns, tomei eu o remoque. D´outros, onde abunda a inqualificável ignorância, deixei correr o dito, parelha com o seu atrevimento; mas, hoje, que V... tão amavelmente se me dirige quebro o cofre onde tinha guardado o silencio do meu dspreso, para gostosamente lhe vir dizer, não só o que sei sobre o assunto, mas ainda o que professores distinctissimos, verdadeiras sumidades na arte musical, dizem sobre a mesma questão.
A Orchestra – ou Banda, é Symphonica quando se compõe de uma certa qualidade de instrumentos que possam habilitar a symphonia.
Deve no naipe de pachetas ter:
Oboé – requinta – clarinetes – saxofones e fagote (ad libitum) não esquecendo a função especial da flauta em dó – também faz parte componente a flauta em mi e o flautim e oitavino.
Em metais de bocal, seguindo pelos agudos, deve estar enfeitada com trompetes, cornetins, feliscornios, trompas, tenores, barythonos, baixos e c. baixos. É parte integrante o c. baixo de corda – bateria completa e tímpanos.
Ora aqui tem o meu caro amigo a composição de uma Banda Symphonica – que poderá ser classificada de grande ou pequena Banda, segundo a quantidade dos seus executantes.
Estou vendo já que o meu amigo ao acabar de ler o período transacto pensa e com razão que á Banda de Niza faltam muitos dos instrumentos inumerados. Tive um sonho doirado que embalou o meu espírito de bom, e julguei poder torná-lo em realidade. Tantos pezares... chagas tão fundas deixaram o meu coração tão ferido que foi uma loucura querer tornar em real a chimera do meu sonho, e por isso peço me desculpe, em não lhe dizer os motivos porque à Banda de Niza faltam esses instrumentos! Se um dia cicatrizar em mim esta ferida que me punge, mesmo de longe, é possível que extreiorize, então essa lenda... lenda que para sempre habitará o seu paiz ideal...
A falta, meu amigo, desses instrumentos não são assaz sensíveis, pois que são substituídos por outros que ainda que não dêem o verdadeiro efeito, suporta-se a substituição sem desagrado, e não berra muito contra a arte.
Mas a principal razão porque a uma Banda ou Orchestra cabe o nome de Symphonica, é quando ela tome para tema especial das suas expansões o motivo symphonico, e por conseginte execute:
Symphonias – ouvertures – odes – suites e poemas symphonicos. (continua)

Estudo de Eugénio Rosa comprova: Portugueses vão pagar mais impostos!





18.10.14

CASTELO DE VIDE: Apresentação da Academia Sénior

Evento: Academia Sénior
Local: Centro Municipal de Cultura
Data: 21 de Outubro - Horário: 12 h
Organização: Câmara Municipal de Castelo de Vide
A Câmara Municipal de Castelo de Vide, apresenta no próximo dia 21 de outubro pelas 12h, a Academia Sénior de Castelo de Vide, um projecto que visa sistematizar um conjunto de ofertas, algumas já existentes no concelho, acrescentar outras, e operacionaliza-las com recurso a trabalhadores municipais que manifestaram interesse em colaborar nesta iniciativa.
Com o projecto espera-se conseguir fortalecer os laços inter-geracionais e criar alternativas para a ocupação dos tempos livres de uma franja significativa da população do concelho, num espaço que se pretende que venha a ser de partilha de experiências, convívio e aquisição de conhecimento.
As disciplinas a enquadrar neste “ano zero” da Academia Sénior de Castelo de Vide serão as seguintes: inglês, ginástica, informática, desporto da natureza, hidroginástica banco de saberes e jogos tradicionais.
Convida-se a comunicação social e a população em geral a comparecer nesta sessão de apresentação.

16.10.14

ALTER DO CHÃO: VII Festival de Teatro do Grupo Alterense de Cultura

Homenagem a “João Roque Coelho”
O Festival de Teatro do Grupo Alterense de Cultura realiza-se no Cine-Teatro Municipal de Alter do Chão de 12 de Outubro a 9 de Novembro. Este ano o evento presta uma homenagem póstuma a João Roque Coelho.
“João Roque Coelho fez parte da coletividade durante muitos anos, foi o sócio nº1, foi impulsionador do GAC, fazendo sempre parte dos órgãos diretivos e desempenhando incrivelmente a sua vocação de ator”, conta o Sr. Marçal, encenador e ator do GAC.
O encenador descreveu João Roque Coelho como “ uma pessoa que se dedicava de corpo e alma à sua paixão, o teatro.”
Este Festival reúne artistas locais e não só… O GAC convidou outros grupos que se dedicam às artes teatrais para juntos tornarem este evento inesquecível!
No próximo Sábado, pelas 21 horas, assista à peça do Grupo Alterense de Cultura "Deus lhe Pague".
Compareça a este grande evento e vivencie a ARTE!!!

ELVAS: Seminário "Sustentabilidade energética em autarquias"

No âmbito dos projectos MED será dinamizado o Seminário “Sustentabilidade Energética em Autarquias – Iluminação Eficiente: perspectivas futuras e oportunidades”, no próximo dia 24 de Outubro de 2014, a partir das 9 horas, no Auditório São Mateus (antigo Museu Municipal da Fotografia), em Elvas.
Financiados pelo Programa MED, os projectos Green Partnerships e Smart Med Parks têm por objectivo principal a melhoria da eficiência energética, quer em edifícios públicos, quer em parques industriais.
As acções a desenvolver pela AREANATejo incluem projectos-piloto no âmbito da eficiência energética, diagnósticos energéticos, implementação de medidas de melhoria da eficiência energética nas Zonas Industriais (instalação de sistemas com regulação do fluxo luminoso & instalação de tecnologia LED) e promoção de acções de informação e sensibilização para a utilização racional de energia nos edifícios e parques industriais.

OPINIÃO: Um Banco dos Bons

Um pesadelo! No início de cada ano lectivo, a compra de livros escolares representa um rombo na economia das famílias. Que sofrem, enquanto os governos protegem as editoras, com um total desrespeito pela Lei.
No início de cada ano lectivo, as famílias despendem fortunas. Os cerca de milhão e meio de estudantes do ensino básico e secundário adquirem algo como novo milhões de livros, alimentando um mercado estimado em perto de cem milhões de euros.
O esforço familiar é gigantesco e agrava-se com o avançar do nível de escolaridade. Se no primeiro ciclo o valor pode chegar aos 60 euros por aluno, no sétimo ano atinge os 260 e por aí adiante. Para quem tenha vários filhos a estudar, é insuportável.
Estes preços desmedidos só são possíveis porque são as editoras quem, no fundo, decide a política de manuais escolares. Actuam em oligopólio, liderados pela Leya, Porto Editora e Santillana, controlam os governantes e tentam manipular professores e pais. A ponto de até a Confederação de Associações de Pais, Confap, se manifestar contra a criação de bolsas de empréstimos de manuais! Facto a que não será alheio o patrocínio da Porto Editora à própria Confap.
Este sector carece duma verdadeira reviravolta. Em primeiro lugar, os livros devem ser bem mais baratos. O governo deve impor uma baixa de preços, o que é perfeitamente legítimo num mercado protegido. Com oferta limitada e procura previsível, os livros deveriam ter preços baixíssimos e nunca a exorbitância que hoje representam.
Mas a medida imprescindível para protecção das famílias é a criação, em cada escola, de um banco de livros onde os alunos depositem, no final de cada ano, os seus manuais. Em contrapartida, poderão levantar os correspondentes ao ano seguinte. Evita-se um desperdício generalizado e aliviam-se os orçamentos familiares.
É assim em toda a Europa. Da Dinamarca à França, passando pelo Reino Unido ou pelas regiões de Espanha, a regra é a reutilização de manuais. Esta medida é aliás obrigatória, pois a legislação (de 2006!) determina que “escolas ou agrupamentos de escolas devem criar modalidades de empréstimo de manuais escolares”.
Cumpra-se, pois, a Lei, como reza o manual do bom serviço público.
Paulo Morais – Fio de Prumo – in “Correio da Manhã” 6/9/2014

15.10.14

MARVÃO: Comemoração do Dia do Idoso

Sob o mote “Marvão (Com)Vida”, o Município homenageia, mais uma vez, a população idosa do concelho. A iniciativa surge no âmbito das comemorações do Dia Internacional do Idoso e pretende assinalar a longevidade da população sénior de Marvão, proporcionando-lhe momentos de lazer e convívio.
 O “Marvão (Com)Vida” realiza-se no próximo domingo, dia 19 de Outubro, a partir das 11h, no Pavilhão Polivalente de Santo António das Areias. Do programa de actividades consta uma pequena caminhada pela manhã, seguida de um almoço convívio e uma tarde de animação, com baile e jogos tradicionais.
Na organização desta iniciativa, o Município de Marvão conta com o importante apoio das Juntas de Freguesias e das IPSS’s do concelho, bem como de um grupo de voluntários, constituído por funcionários da autarquia e outros elementos da população.

Nisa com uma Zona Espectáculo na 28ª Baja Portalegre 500

A Câmara Municipal de Nisa colabora com o ACP (Automóvel Clube de Portugal) para que a 28ª BAJA Portalegre 500 tenha uma Zona de Espetáculo junto ao IP2 (próximo da Barragem do Fratel) e que parte do percurso se efetue no concelho de Nisa.
A prova rainha do Todo o Terreno português disputa-se de 30 de Outubro a 1 de Novembro tendo a organização divulgado o programa de inscrições e da competição.
PROGRAMA
De 25 de Agosto – 10 de Outubro: Inscrições a preço reduzido.
17 de Outubro: Fim das inscrições
30 de Outubro
Verificações Administrativas (Auto e Moto)
Verificações Técnicas (Auto e Moto)
Reconhecimento da Super Especial (Auto e Moto)
31 de Outubro
Partida da Primeira Etapa (Auto e Moto)
Cerimónia de Partida
Conferência de Imprensa
1 de Novembro
Corrida – Auto (SS2 – 180 km + SS3 – 210 km)
Corrida – Moto (SS2 – 380 km)
Cerimónia de entrega de prémios

VILA VELHA DE RÓDÃO: 1ª Corrida Solidária Celtejo

23 de outubro |Vila Velha de Ródão
A organização da corrida, da responsabilidade da Celtejo, conta com o apoio do município de Vila Velha de Ródão e insere-se nos festejos do 43º aniversário desta empresa, vencedora no setor da celulose e papel no âmbito do ranking da Revista Exame das 500 melhores e maiores empresas de Portugal.
Podem participar na corrida ou caminhada, todos os populares, colaboradores e representantes das empresas e entidades locais que reúnam as condições físicas adequadas.
A concentração inicia-se, pelas 18 horas, junto à portaria da Celtejo, local onde será realizado o aquecimento e realizados testes à condição física dos participantes.
A corrida realiza-se num percurso urbano de 4 quilómetros, a percorrer durante o máximo de duas voltas.
Os participantes terão direito a uma lembrança e contarão com o apoio da GNR e da corporação de Bombeiros local. Os interessados poderão também usufruir dos balneários da empresa no final da corrida.
Como iniciativa de cariz solidário, os inscritos poderão colaborar através da oferta de um bem não perecível ao qual se juntará o donativo de 2,5 € por participante, atribuído pela Celtejo à Santa Casa da Misericórdia de Vila Velha de Ródão.

Até 17 de outubro inscreva-se através dos contatos: desportivo.celtejo@altri.pt ; 272 540 100.

“Os Verdes” reafirmam direito dos povos à soberania alimentar

NO DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO
No dia em que se comemora o Dia Mundial da Alimentação, milhões de pessoas por este planeta, nomeadamente em Portugal, não verão esse direito básico garantido.
Uma em cada 3 crianças no mundo sobrevive em subnutrição. Os objetivos de desenvolvimento do milénio estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), ainda estão longe de serem atingidos, mesmo que alguns países tenham feito grandes esforços para erradicar a fome e a pobreza.
Esta situação inaceitável que se vive a nível planetar decorre, em grande parte, da injusta redistribuição da riqueza e do facto que a alimentação é, cada vez mais, um negócio refém dos grandes interesses do sector da distribuição, do agroalimentar e do agro-químico que controlam não só os preços dos alimentos e dos fatores de produção mas também, com os transgénicos, um património milenar dos povos e base da alimentação: as sementes. Este negócio escandaloso tem encontrado proteção política nos tratados e acordos internacionais de comércio e tem sido apadrinhado pela União Europeia.
A esta situação vergonhosa soma-se a destruição e empobrecimento de vastas áreas de solo fértil do planeta por via da construção desordenada, da impermeabilização, das monoculturas e do desvio de solos agrícolas para outros fins que não o alimentar, como é o caso da produção de biocombustíveis. As catástrofes naturais, decorrentes e agravadas pelas alterações climáticas, são ainda outro dos fatores que têm vindo a intensificar a destruição de culturas e de solos agrícolas, mergulhando ainda mais as populações na pobreza e na fome.
Neste Dia Mundial da Alimentação, “Os Verdes” reafirmam o direito dos povos à soberania alimentar. Soberania que também em Portugal não está garantida. O país está dependente para se alimentar, em mais de 70%, de importações quando tem todas as condições para inverter esta situação.
E também em Portugal o acesso à alimentação e a uma alimentação de qualidade não é, hoje em dia, a todos garantido. A crise e as políticas de austeridade que colocaram no desemprego milhares de portugueses, entre os quais famílias inteiras, agravado pelo corte, em simultâneo, de apoios sociais, impedem o acesso à alimentação, de forma digna, a muitos milhares de portugueses. O número de pessoas que em Portugal necessita de recorrer a formas assistenciais para garantir a sua alimentação, não tem parado de crescer. Esta é uma situação que deveria envergonhar os Governos que subscreveram e têm vindo a protagonizar estas políticas de austeridade.
Por outro lado, o encerramento de inúmeras explorações agrícolas familiares, fundamentais para garantir a alimentação, na sequência da pressão exercida por uma concorrência internacional, assente nos Tratados Internacionais de Comércio e apadrinhada pela Política Agrícola Comum, deixam o nosso país cada vez mais debilitado na sua capacidade de garantir a sua soberania alimentar e cada vez mais à mercê das pressões dos grandes interesses económicos e financeiros instalados neste setor.
Neste Dia Mundial da Alimentação, “Os Verdes” não podem ainda deixar de denunciar o facto do Governo português não defender acerrimamente a agricultura familiar em Portugal, pilar fundamental da produção alimentar, e de não defender os interesses e características da nossa agricultura no seio da União Europeia e de pactuar com as orientações da PAC que são lesivas da nossa produção nacional, tal como aconteceu com as quotas leiteiras.
Por outro lado, este Governo tem apadrinhado e incentivado políticas que têm levado à ocupação e destruição de solo agrícola, nomeadamente com a liberalização do plantio de eucaliptos que se tem expandido de norte a sul do continente, ocupando terras que poderiam e deveriam estar destinadas à produção alimentar.
“Os Verdes” não querem deixar de saudar todas as autarquias que têm promovido e apoiado a criação de hortas urbanas, hortas estas que têm dado um contributo valioso para garantir o acesso a uma alimentação mais saudável por parte das famílias.
O Partido Ecologista “Os Verdes”

IMPRENSA REGIONAL: "Alto Alentejo" - edição de 15/10/2014


ALPALHÃO: Tourada à Vara Larga


14.10.14

CASTELO DE VIDE: Simpósio "Ciências e Artes do Fogo"


Evento: Simpósio Internacional – Ciências e Artes do Fogo”
Local: Castelo de Vide - Data: 25 e 26 de outubro - Horário: 9h 30
Por acção conjunta da Câmara Municipal de Castelo de Vide, do Centro de Ecologia Aplicada Prof. Baeta Neves do Instituto Superior de Agronomia de Lisboa e da Sociedade Portuguesa de Ciências Florestais, realiza-se nos próximos dias 25 e 26 de Outubro, no Cine Teatro Mouzinho da Silveira em Castelo de Vide, o Simpósio Internacional “As Ciências e Artes do Fogo”.
Para além dos Professores Penelope Morgan e Steve Bunting da Universidade de Idaho (EUA), Pieremaria Corona da Universidade de Arezzo (Itália), Cristina Montiel (Universidade Complutense de Madrid (Espanha) participarão ainda diversos especialistas europeus cujo campo de investigação se tem concentrado sobretudo nos aspectos da ecologia do fogo, todos envolvidos no projecto europeu designado Foresterra que envolve 12 países parceiros e se destina a reforçar a coordenação da investigação e a cooperação científica nas áreas de clima mediterrânico europeias, da Australia, Africa do Sul, Chile e California.
Entre os participantes portugueses destaca-se a palestra “As artes e o fogo a partir da poética dos quatro elementos” pelo Dr. José Luís Porfírio.
Este Simpósio é a primeira iniciativa imaterial de um projecto que está a ser preparado e será lançado em 2015, o Centro Internacional das Ciências e Artes do Fogo (CICAF), o qual se pretende que seja um centro internacional, com características inovadoras e inquestionável prestígio científico e artístico que contribua para a difusão do conhecimento dos fenómenos ecológicos relacionados com o fogo e, em simultâneo, para a divulgação e desenvolvimento de artes do fogo tais como o ferro forjado, a olaria, a escultura em barro ou o desenho a carvão. Pretende-se ainda que se desenvolvam múltiplas actividades artísticas relacionadas com o fogo. Para além de contribuir para a informação e divulgação do conhecimento científico em torno da ecologia do fogo, terá como um objectivo essencial levar aos decisores, aos actores principais nos espaços
agro-florestais, ao público em geral e, em particular à juventude, um conhecimento que contribua seriamente para a prevenção dos incêndios e para a sua diminuição através de uma visão informada que conduza a uma menor necessidade do seu combate.
O projecto, centrado no Alto Alentejo, região que tem sido flagelada com enormes incêndios como os de 1998 e 2003, pretende em simultâneo, contribuir para o desenvolvimento de novas forma de turismo cultural e científico, atraindo à região um número significativo de pessoas, quer nacionais quer estrangeiras.
Prevê-se que a materialização de alguns dos aspectos físicos e museológicos do CICAF, tenham a sede na Igreja de Santo Amaro, pertença da Santa Casa da Misericórdia de Castelo de Vide. Este conjunto de imóveis de grande beleza e valor arquitectónico, teve a sua origem em 1510 quando mandado construir por D. Manuel I mas vinha a apresentar fortes sinais de degradação em virtude de ter deixado de ser utilizado, praticamente, desde finais do Século XIX. Recentemente, graças a iniciativa da Misericórdia e a importante apoio da Câmara Municipal, foi possível, beneficiando do apoio de verbas europeias, recuperar-lhe o telhado, garantindo-se a perenidade de todo o edifício o qual virá a ser alvo da necessária reformulação arquitectónica.
O Centro Internacional das Ciências e Artes do Fogo (CICAF) a ser criado no seio do Parque Natural da Serra de São Mamede no Alto Alentejo, ao tomar o fogo como motivo central para uma rota de desenvolvimento, agarra um dos temas principais da nossa sociedade e um dos que mais influência directa tem sobre os ecossistemas naturais, para o transformar numa oportunidade positiva de conhecimento, usufruto, cooperação, partilha e geração de riqueza.
Em última análise, pretende-se ainda com este projecto uma maior informação do público para uma melhor compreensão da ecologia, da importância dos Parques Naturais e da conservação dos nossos recursos naturais.

FUTSAL: Arenense-Póvoa e Meadas em Nisa no próximo sábado

O jogo entre o GD Arenense e o ACD de Póvoa e Meadas disputa-se no próximo sábado pelas 18 horas não em Santo António das Areias mas no Pavilhão Municipal de Nisa.
O jogo corresponde à 4ª jornada do Campeonato Distrital de Seniores de Futsal – Portalegre.

O GD Arenense lidera a classificação com 6 pontos mas obtidos em 2 jogos; marcou 12 golos e sofreu 4 (a melhor defesa da tabela), enquanto a equipa da ACD de Póvoa e Medas está no 3º lugar da classificação, com 6 pontos nos 3 jogos disputados e 14 golos marcados (o 2º melhor ataque) contra 7 sofridos.
Um bom jogo de futsal em perspectiva. 

GNR: Registo de ocorrências entre 6 e 12 de Outubro 2014

CRIMINALIDADE GERAL
Neste período foram participadas 38 ocorrências.
De entre estas, dezasseis correspondem a crimes contra as pessoas onde estão englobadas, três por crime de violência doméstica, oito por crime de ofensas à integridade física simples, quatro por crime de ameaças e um crime por introdução em lugar vedado ao público.
Neste período a GNR registou também dezassete ocorrências criminais contra o património, sendo que doze por crime de furto, quatro por crime de dano, um por crime de abuso de confiança.
Na área dos crimes contra a vida em sociedade verificaram-se três ocorrências criminais, destacando-se dois por crime de condução de veículo com taxa de álcool superior a 1,20g/l e um por crime de falsificação de notação técnica.
Registaram-se ainda nos termos da legislação avulsa dois crimes sendo um por condução sem habilitação legal e um crime por tráfico de estupefacientes.
DETENÇÕES
Foram efetuadas cinco detenções:
 Uma por crime de condução sem habilitação legal;
 Duas por crime de condução de veículo com taxa de álcool superior a 1,20g/l;
 Uma por falsificação de notação técnica;
 Uma por tráfico de estupefacientes.
SINISTRALIDADE
Registaram-se catorze acidentes de viação, de entre os quais resultaram dois feridos graves e dois feridos leves.
FISCALIZAÇÃO DA CIRCULAÇÃO RODOVIÁRIA
Para além da atividade normal de fiscalização da circulação rodoviária, foram ainda desencadeadas noventa e uma operações especialmente direcionadas para esse efeito em todos os concelhos do Distrito de Portalegre, tendo sido fiscalizados oitocentos e cinquenta e cinco condutores/veículos.
No decorrer destas ações foram submetidos ao teste de alcoolémia oitocentos e quarenta e três condutores, dos quais dois apresentaram valor superior ao permitido por lei. Foram também detetadas e autuadas cento e quarenta e uma infrações à Legislação Rodoviária. As infrações mais verificadas dizem respeito ao excesso de velocidade, à falta de seguro, à falta de inspeção periódica obrigatória, ao uso do telemóvel durante a condução, a irregularidades nos sistemas de iluminação dos veículos e deficiências nos pneumáticos dos veículos.
PROTECÇÃO DA NATUREZA E AMBIENTE
Através dos Núcleos de Proteção Ambiental (NPA) foram detetadas dezasseis infrações: sendo que duas infrações foram no âmbito da lei da caça e catorze infrações relativas a turismo e desporto.

PORTALEGRE: OCO no CAEP a 25 de Outubro

25 OUT. SÁB. 21.30H - OCO
Ambiente | PA | 6 € | M/4 anos
O projeto OCO foi criado em 2004 para atuar em dois espetáculos de solidariedade, em favor das crianças tibetanas exiladas na Índia. Após essas atuações, os OCO foram desenvolvendo um som único, pioneiro e com identidade própria, através de ex­pres­sões es­pon­tâ­neas, ondas de som har­mo­ni­osas, com ins­tru­mentos an­ces­trais, que têm uma voz pró­pria.
Evo­cando sons das pro­fun­dezas da hu­ma­ni­dade, o pú­blico é guiado num ri­tual mu­sical.
Durante este percurso de criação, com quase 10 anos, destacam-se participações e concertos no Boom Festival (Idanha a Nova), Teatro Académico Gil Vicente - TAGV (Coimbra), Festival Andanças (São Pedro do Sul), Festival MED (Loulé), Museu do Oriente (Lisboa), entre outros.

PORTALEGRE: Semana da ESE

A Semana da Escola Superior de Educação (ESE) do Instituto Politécnico de Portalegre (IPP) decorre de 13 a 16 de Outubro e integra um conjunto de iniciativas propostas por áreas Científicas, direcções de Cursos, docentes, discentes.
A proposta lançada pela direcção da Escola vai no sentido de proporcionar momentos de maior interacção entre todos os seus agentes, através da realização de Encontros, Conferências e Seminários.

A sessão solene de abertura do ano lectivo decorre no Auditório da ESE, no dia 14, pelas 15h00, e conta com a presença da docente da Universidade Católica, Maria do Céu Roldão, que apresenta a conferência “O saber dos professores: o alfa e o ómega de uma educação de qualidade. Reconstruindo caminhos e desfazendo equívocos”.