28.7.15

NISA: Exposição "Memórias" sobre os 25 anos da geminação com vilas francesas


OPINIÃO: Samba de uma nota só

Por várias vezes manifestei aqui a minha oposição à chamada mobilidade no trabalho. Porque as pessoas têm família, porque têm a casa para pagar, etc.
Mas tenho que dar os parabéns aos dirigentes do PSD porque dão o exemplo. Vejamos, Teresa Leal Coelho era deputada pelo Porto, vereadora na Câmara Municipal de Lisboa e vai encabeçar a lista da Coligação por Santarém. Mais mobilidade que esta?
Por vezes, os políticos espertalhões para caírem nas boas graças do povo, pegam num assunto popular e fazem um projecto de lei em teoria para o combater, mas pelo meio, introduzem duas ou três normas inconstitucionais para que o diploma não passe no crivo desse tribunal.
Foi o que aconteceu com os partidos da maioria e a lei do enriquecimento injustificado, ao escreverem no diploma determinadas normas, até o presidente Cavaco sentiu dúvidas, e o diploma foi chumbado pelo tribunal constitucional.

Assim, a maioria passou por querer combater o enriquecimento injustificado mas mais uma vez os malandros do tribunal constitucional não deixaram.
Jaime Crespo

NISA: Sessão Pública da CDU sobre a Revisão do Plano Director Municipal (PDM)



OPINIÃO: A politica do medo

A três meses das eleições legislativas (4 de Outubro), a campanha está no terreno, com os verdadeiros “artistas da política” na caça ao voto. Intitulo aqui de artistas, todos aqueles que usam a política como arte da representação e não de representação no sentido lato da palavra, confundindo por sua vez o actor com o representante, e colocando mesmo o seu próprio interesse à frente dos verdadeiros interesses da comunidade que os elegeu, e esses são na verdade “artistas”, porque os verdadeiros políticos são fiéis aos seus compromissos eleitorais.
Durante os próximos três meses vamos a assistir em termos comunicacionais a varias narrativas, a slogan´s com palavras já gastas de outras batalhas, a cartazes com cores fortes e apelativas, logotipos pensados ao pormenor pelas máquinas das campanhas de marketing político dos vários partidos concorrentes a estas eleições (principalmente dos dois grandes). E logo, logo vêm os discursos, as palavras vãs, as promessas ou não, dos candidatos.
Num passado não muito longínquo, os partidos políticos apresentavam-se aos eleitores como um motor da esperança num futuro melhor, e faziam muitas promessas, algumas deveras sem real sustentação, mas na verdade davam no fundo alguma esperança e alento ao eleitor.

E agora? Qual é a narrativa que está imposta, para estas eleições? O MEDO !!!
A coligação de nos governa PSD/CDS, e que agora assume a designação de Portugal à Frente (PaF), recuperou um velho e conhecido discurso politico, que pensávamos já não existir, o qual assenta no princípio do “nós ou o caos”, o mesmo que também é apelidado como de “política do medo”.
Aos ouvidos do cidadão comum, aquele que paga impostos, aquele que ainda vai votar, o que lhes é dito, é que não há alternativa a esta narrativa, que não podem ter um futuro melhor, que os seus filhos não vão ter empregos, que os seus netos serão mais pobres que eles, que a educação e a saúde não será para todos, mas para alguns. Portanto, não se esqueçam votem em nós (PSD/CDS) que isso de ter esperança é um luxo, na verdade é uma promessa que não podemos cumprir.
A política do medo assenta neste princípio básico, de que não olhem para a linha do horizonte, não se atrevam a criar utopias, não desejem o não têm, não queiram realizar o futuro, porque os verdadeiros culpados desta situação são os vossos pais, os vossos avós, porque foram eles, a “peste grisalha”, os que viveram acima das suas possibilidades.

“Ou nós, ou o caos”, porque “não há outra alternativa”, são frases alinhavadas entre os discursos vazios, que vão alimentar e intoxicar a opinião pública nestes dias, e construir na cabeça do eleitor um pensamento único, tal como nas ditaduras, em que a sensação de escolha está limitada a um medo maior, o medo de ser diferente.Quando a 4 de Outubro, estiveram diante do boletim de voto, não se esqueçam: Votem sem medo! Votem na esperança, para acabar com o susto. Temos que voltar a olhar a linha do horizonte, deixar a escuridão negra desta crise financeira e levantar a cabeça, contra a política do medo!

JOSE LEANDRO LOPES SEMEDO

NISA: Apresentação de livro de Cristina Mira Luís


Mulheres doaram sangue em São Salvador da Aramenha




A Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre – ADBSP – deslocou-se ao Concelho de Marvão, no âmbito de mais uma brigada. Mais precisamente estivemos junto ao Rio Sever, em São Salvador da Aramenha. Compareceram, no salão da Junta de Freguesia, 19 pessoas, 13 das quais mulheres (68,4%). Seis dos presentes saíram sem a picadinha no sangradouro, por razões clínicas.
Entrou para a grande família dos dadores de sangue uma jovem. E o Registo Nacional de Dadores Voluntários de Células de Medula Óssea passou a contar com mais uma inscrição.
O almoço convívio, apoiado pela Junta de Freguesia de São Salvador da Aramenha, foi servido nas instalações do Lar desta povoação.
O Presidente da ADBSP mostrou estranheza dos homens não terem estado em maior número. Aliás: São Salvador da Aramenha costumava estar sempre à frente, em termos de dadores mobilizados, nas brigadas no Distrito. António Eustáquio apela para que na próxima dádiva, já em 2016, mais gente compareça a estender o braço nesta Freguesia.
Um de Agosto em Fronteira
Em Agosto a ADBSP promoverá dádivas em: Fronteira, no Centro de Saúde,no dia um; Alter do Chão, nos Bombeiros, no sábado 08; Alpalhão, no Grupo Ciclo Alpalhoense, dia 29.
Num destes sábados, e da parte da manhã, desejamos ter connosco muita gente solidária!
JR

26.7.15

MÚSICA: Pedro Rufino em destaque no Jornal do Fundão

Pedro José Rufino Mendes Toucinho, professor na Academia de Música e Dança do Fundão, natural de Nisa, “tomou um café” com a jornalista Lúcia Reis do “Jornal do Fundão” e fez, para os leitores daquele semanário regional, uma sinopse do que tem sido a sua actividade, desde que aos 11 anos iniciou a aprendizagem na Sociedade Musical Nisense, primeiro com o clarinete, depois com a guitarra.
Foi ainda em Nisa que percebeu que queria ser músico profissional, contando com a compreensão dos pais que não lhe colocaram entraves. Fez os estudos secundários e o Conservatório em Castelo Branco, tendo depois rumado ao Porto onde frequentou a Escola Superior de Música. Concluiu a licenciatura em guitarra na Escola Superior de Música de Lisboa na classe do prof. António Jorge Gonçalves. Em 1996 rumou à Cova da Beira após o convite para leccionar na Academia de Música e Dança do Fundão, que dava então os primeiros passos..
Na altura, revela Pedro Rufino, a aprendizagem da música ainda era um pouco elitista. Tinha meia dúzia de alunos na aula de guitarra e hoje é o instrumento com maior procura. (ver gráfico).
No Fundão, em 2000, criou com outros colegas a Orquestra de Guitarras, um projecto pioneiro em Portugal, e mais tarde o projecto Guitarrafonia, de abrangência regional e que envolve além da AMDF os Conservatórios de Castelo Branco e Guarda.
Pedro Rufino tem um percurso artístico com actuações por todo o país, com destaque para o 3º Festival Internacional de Guitarra (Tomar) e a nível internacional, salientando-se a participação nos festivais internacionais de Novosibirsky (Rússia), Varsóvia (Polónia) Domingos Martins (Brasil), país onde foi convidado pela Camerata de Violões do Conservatório Brasileiro de Música para um concerto em Petrópolis.
Pedro Rufino é o director artístico e membro do júri do concurso internacional para jovens guitarristas do Fundão, membro do conselho pedagógico e coordenador das classes de conjunto na AMDF, desempenhando ainda o cargo de professor de guitarra no Conservatório de Música de Ourém/Fátima.
Da conversa com Lúcia Reis, não constam alguns destes dados biográfico, que apenas facultamos para um melhor conhecimento do professor e do guitarrista nisense, bem como outros retirados do site da Academia de Música e dança do Fundão, uma instituição cultural exemplar e pioneira, principalmente a nível do interior, nascida no seio da Santa Casa da Misericórdia do Fundão.
Homem de mil e um projectos, Pedro Rufino não poupa algumas críticas aos objectivos actuais do sistema de ensino, deixando no final uma mensagem que, sintetiza a sua filosofia de acção: “O mais fascinante de tudo isto é a possibilidade de continuar a aprender até ao fim.
O relato integral está na edição desta semana do “Jornal do Fundão”, de que deixamos uma imagem. Aproveitem-na!
Mário Mendes
Instituição cultural pioneira no interior

 A Academia de Música e Dança do Fundão nasceu no seio da Santa Casa da Misericórdia do Fundão no ano de 1994 como um Projecto de sensibilização dos jovens para as artes, tendo já no início a adesão de 106 alunos. O passo seguinte foi então o reconhecimento da Academia pelo Ministério da Educação a 6 de Dezembro de 1996. Presentemente, com Autonomia Pedagógica, são ministrados cursos de Iniciação, Básicos e Complementares. 
Esta Academia, embora jovem, tem tido um papel decisivo no Desenvolvimento Cultural da Região intervindo em actuações públicas através de Concertos, Intercâmbios, Audições, Ciclos Musicais.
Em paralelo e no resultado de uma parceria com a Câmara Municipal de Penamacor criou-se nesse Concelho uma secção da Academia. No ano lectivo de 2004/2005 foi criada a Orquestra de violinos: “½’s Violinos”. Inicialmente começou na Freguesia de Benquerença tendo-se alargado em 2005/2006 à Freguesia de Aldeia do Bispo e agora também em Penamacor e no Fundão.
Em resultado de todas estas actividades a Academia é responsável pelo ensino artístico a mais de 400 alunos dos quais cerca de 50 estão na Secção de Penamacor.

São de realçar os já tradicionais concertos do dia mundial da música, de Natal e de final do ano lectivo onde há a participação não só dos alunos como também dos professores integrantes da Academia e também os espectáculos de Dança, o “Estágio de orquestra juvenil de Cordas”, o Concurso Internacional “Cidade do Fundão” (para jovens Pianistas, Guitarristas e Violinistas). No presente ano, 2013, foi criada uma nova variante no concurso: “Canto”.
Os alunos da Academia têm participado em diversos Concursos Internacionais de Música realizados em Portugal, Espanha, França, Polónia e Rússia onde foram galardoados com mais de 100 prémios.
Na diversidade destas acções procuramos enriquecer sempre os nossos alunos alargando os seus horizontes no campo das artes.

HUMOR EM TEMPO DE CÓLERA

O bom exemplo vem de cima
Cartoon de Henrique Monteiro in http://henricartoon.blogs.sapo.pt

MONTALVÃO: Noite de Fados na Casa do Povo


25.7.15

OPINIÃO: Ó Cavaco, ó Cavaco olha a boina...

Cavaco Silva tomou sempre ao longo deste mandato, a defesa das posições do governo.
Nada que espante, Cavaco Silva sempre foi politicamente de direita.
No entanto, enquanto Presidente da República, tem o dever da neutralidade e o papel de mediador nas causas fraturantes.
E foi a neutralidade e a mediação que foram por ele esquecidas, o que o levou a que nas suas últimas intervenções tenha despudoradamente tomado partido pelos partidos do governo e pelas suas "ideias para o país"
Ontem, falando no distrito de Portalegre, em vez de explicar porque ao longo de um mandato de oito anos, apenas agora, a meses de o terminar, quando já não aquenta nem arrefenta, veio visitar o distrito, resolveu apoiar o Ministério da Educação e a Câmara Municipal do Crato, no diferendo que vem mantendo com os professores os quais renegam a municipalização do ensino.
Há meses, os sindicatos de professores promoveram um referendo perguntando aos professores quem de entre eles está a favor da municipalização do ensino e quem está contra. Obviamente este referendo não tem valor legal, é apenas indicador da vontade dos professores. E a vontade dos professores revelou-se numa esmagadora maioria contra esta medida.
No concelho do Crato (PS) o presidente e vereação resolveram avançar com a municipalização do ensino, já em setembro.
De notar que neste concelho, o referendo obteve 100% de negativas.
Tem pois havido um braço de ferro entre presidente da câmara e os professores e as estruturas que os representam.
Digamos que no Crato os professores tem estado em luta.
E foi neste contexto que Cavaco Silva proferiu (mais ou menos) o seguinte:
"- neste país, sempre que é necessário modernizar há sempre forças de interesses corporativos que se lhe opõem. É urgente descentralizar imediatamente o ensino!"
(Alguns dirão que descentralizar não é municipalizar. E renhonhonhó, pardais ao ninho).
Ou seja, além de se colar às teses do ME e de algumas Câmaras, Cavaco Silva ofende os professores em dose dupla:
1. Nos últimos anos se houve classe profissional que investiu na inovação e na modernização foram os professores. Frequentando ações de formação pagas na maioria do seu próprio bolso, fora do horário de trabalho, portanto no horário em que devia estar a descansar e a conviver com a família, aos sábados e domingos.
2. Quanto aos interesses corporativos, idem aspas, não há classe profissional que tanto tenha prescindido e perdido dos seus direitos. Inclusivamente como já referi, o direito a estar com a família.
Ainda por cima estas falácias não batem certo com certa propaganda: "Portugal está a formar as melhores gerações de sempre. Vão lá para fora e competem de igual para igual com os seus coetâneos dos países desenvolvidos".
Em que ficamos? Formamos as melhores gerações de sempre mas os formadores (professores) estão caducos? E o sistema necessita ser deitado abaixo para fazer outro.
Temo que já não seja possível atender ao conselho de António Costa "vamos todos ajudar o senhor presidente da república a terminar o seu mandato com dignidade":.
E já não é possível cumprir este conselho porque sua excelência o senhor Presidente da República, a cada intervenção tem o rancor de confrontar franjas da sociedade portuguesa, franjas essas que ele tem o dever de também defender pois seria o presidente de todos os portugueses, caso não se tivesse transformado apenas no presidente da direita revanchista portuguesa.
O que ele está a merecer é uma enorme manifestação, dos ofendidos pelo dr. Cavaco e assim terminar o seu mandato conforme merece: ouvindo uma enorme vaia!
Jaime Crespo
Cabeça de lista por Portalegre pelo Livre / Tempo de Avançar

24.7.15

USNA: Documento entregue ao Presidente da República denuncia a degradação das condições de vida no Norte Alentejano


Sobre a visita do Presidente da República ao distrito de Portalegre
Com um nível de desemprego total a rondar os 10 mil desempregados, um empobrecimento escandaloso com cerca de 60% da população a auferir mensalmente menos de 300 euros e um aumento de 18% de insolvências desde o início do ano, o distrito de Portalegre encontra-se, em julho de 2015, no período em que recebemos a visita do Sr. Presidente da República, numa situação de acentuada degradação das condições de vida da sua população.
Anos de ausência de investimento do estado na nossa região, acentuados a pretexto da crise nos últimos 4 anos, que se pautaram pela total indiferença do governo pelas dificuldades sentidas pela população, conduziram à situação aqui por nós denunciada, a que se soma:
- A degradação dos serviços públicos, com encerramentos e redução de horários e falta de meios materiais e humanos;
- Dificuldade e em muitos casos impossibilidade na mobilidade de mercadorias e pessoas, com a destruição da ferrovia;
- Ausência de um serviço público, abrangente e eficiente de transporte;
- Degradação das vias de comunicação existentes e ausência de novos traçados que permitam aproveitar as potencialidades do distrito como principal meio de ligação entre Badajoz e Lisboa;
- Acentuação do aumento dos custos de produção devido ao aumento do isolamento das nossas povoações fruto da situação atrás descrita.
A municipalização da educação e a possibilidade de alargar essa transferência de competências do estado para as autarquias à saúde constitui mais um passo na clara ofensiva de destruição do estado social que este governo tem levado a cabo. O mais claro sinal de que este processo de municipalização da educação foi conduzido em segredo e à revelia da vontade das populações é o facto do Sr. Presidente da Republica acompanhado do Sr. Ministro da Educação, virem inaugurar um Centro Escolar em Sousel, um projeto piloto, depois da esmagadora maioria dos professores do agrupamento ter votado contra e em pleno período de férias dos alunos! Trata-se de um engodo apresentado às autarquias que se encontram numa situação financeira difícil, degradada pelo próprio governo que as alicia e as limita na sua autonomia! O “incentivo à eficiência” fica dependente da redução de pessoal, docente e não docente, e das despesas de funcionamento das escolas. A autarquia passará ainda a gerir 25% do currículo, situação que irá agravar ainda mais a situação de desigualdade de oportunidades e de acesso a uma educação pública, gratuita e de qualidade.    Uma nova escola em Sousel era necessária e exigida pela comunidade educativa desde 2001. Apesar disto, o novo centro escolar de Sousel, construído no âmbito do FEDER, não pode significar o encerramento de mais escolas no nosso distrito! As escolas básicas das freguesias são indispensáveis e temos de travar o seu encerramento sob o risco de se avançar ainda mais no processo de desertificação a que a nossa região tem sido sujeita. Tendo em conta a situação que os sucessivos governos PS, PSD e CDS criaram para o nosso distrito, contando sempre com o apoio dos sucessivos Presidentes da Republica que nada fizeram para impedir o rumo de desastre a que o país tem sido conduzido, a União de Sindicatos do Norte Alentejano:
- Exige a suspensão imediata do processo de municipalização da educação;
- Contesta qualquer processo de transferência de competências sociais do estado para as autarquias;
- Exige a revogação da lei das 40 horas na administração pública;
- Solidariza-se com a luta dos trabalhadores em funções públicas e sociais, exigindo mais meios, materiais e humanos, a dignificação e a melhoria dos serviços públicos no distrito;
- Exige mais investimento do estado na nossa região;
- Exige uma alternativa e diz não ao empobrecimento e à exploração, aos cortes salariais, à delapidação da segurança social ao desinvestimento na educação e saúde.
 Portalegre, 24 de Julho de 2015

A USNA

USNA/CGTP-IN em protesto em Sousel

A União dos Sindicatos do Norte Alentejano esteve presente, hoje 24 de julho, num protesto junto ao Centro Escolar de Sousel por ocasião da sua inauguração pelo Sr. Presidente da República.
Não foi permitido entregar o documento anexo em mão ao Sr. Presidente pelo que se entregou a um assessor.
Os professores da escola foram convocados, contra a sua vontade, a chamarem as crianças que estavam de férias para estarem presentes na inauguração oficial. Recorde-se que na consulta nacional sobre a municipalização da educação 91,3% dos professores do agrupamento que votaram se pronunciaram contra a municipalização. O município de Sousel está envolvido na assinatura do contrato de delegação de competências apesar da contestação dos seus professores.
Aos trabalhadores da câmara e população convidada não foi permitida a entrada no edifício para assistir à cerimónia.

A Comissão Executiva da USNA/CGTP-IN

Estudantes de escolas luso-chinesas de Macau visitam Portalegre

Entre os dias 29 de julho e 16 de agosto p.f. os Institutos Politécnicos de Portalegre e Castelo Branco vão receber um grupo de 20 alunos Macaenses, provindos das Escolas Secundárias Luso Chinesas de Macau (finalistas do ensino secundário), com o intuito de contactarem in loco com a língua e cultura portuguesas.
Os dois Institutos prepararam um conjunto de atividades de cariz formativo e cultural, a ter lugar em Castelo Branco, de 28 de julho a 6 de agosto e em Portalegre, a partir de 6 de agosto e até 16 de agosto, divididas em três blocos principais: formação em Língua e Cultura Portuguesa; visitas locais (em Castelo Branco e em Portalegre) e nacionais a museus, monumentos e locais de interesse histórico e patrimonial; atividades desportivas, musicais e culturais.
A formação em Língua e Cultura Portuguesa acontecerá todas as manhãs, exceto em dias de saída em visita ou no fim-de-semana, totalizando 36 horas. Vão ser da responsabilidade de um professor experiente de Língua Portuguesa para Estrangeiros, que colabora com o Centro de Línguas do Instituto Politécnico de Castelo Branco. Os visitantes terão oportunidade de praticar o Português e familiarizarem-se com alguma da nossa cultura e património.
Os jovens macaenses irão também visitar povoações típicas e tradicionais, outras localidades mais próximas ou mais distantes, locais históricos, museus ou monumentos. Durante o período que passarão em Portalegre, está previsto visitarem Lisboa, Évora, Vila Viçosa, Estremoz, Castelo de Vide, Marvão e Ammaia, Elvas, Campo Maior, Alter do Chão e Crato, além de vários locais de interesse turístico e cultural na cidade de Portalegre.
Relativamente às atividades "mais leves", irão participar num passeio de barco no Tejo, num outro em charrete em Alter do Chão e passarão alguns dias relaxantes em piscinas locais. Em Portalegre, assistirão, ainda, a uma demonstração de música e dança tradicional, da responsabilidade do grupo Folclórico e Cultural da Boavista.
Uma visita semelhante aconteceu no ano transato, dessa vez da responsabilidade dos Institutos Politécnicos de Tomar e Setúbal e espera-se que outras se sigam no futuro, de modo a consolidar as relações privilegiadas com instituições ligadas à área de educação de Macau.
O IPP tem estado envolvido na mobilidade de estudantes com o Instituto Politécnico de Macau, ao receber regularmente estudantes deste Instituto e ao enviar para lá estudantes seus, mas esta é a primeira vez que recebe uma delegação de alunos finalistas do ensino secundário daquele território. 

IEFP eliminou dos ficheiros dos centros de emprego 338.093 desempregados só no 1º semestre de 2015

Neste momento assiste-se a uma polémica entre o governo e os partidos da oposição sobre os números do desemprego.
O Diário Económico on-line de 23 de Maio de 2015, divulgando uma notícia da Lusa, já tinha referido a seguinte afirmação de Passo Coelho: " O desemprego registado homólogo - comparado com o que se passou há um ano atrás - baixou 14%", afirmou Pedro Passos Coelho, na sessão comemorativa do aniversário do PSD do distrito de Leiria, realçando que as ofertas de colocação bem-sucedidas aumentaram 20%".
Na entrevista dada à SIC em 14 de Julho de 2015, Passos Coelho torna a abordar a mesma matéria gabando-se nessa ocasião de que o seu governo tinha descoberto um “modelo económico criador de emprego” e apresentava como prova o facto de ter sido criado “175.000 empregos entre Janeiro de 2013 e Abril de 2015”. No entanto, “esqueceu-se” de dizer que, entre Junho (2º Trimestre) de 2011 e Maio de 2015, portanto durante o seu governo, foram destruídos em Portugal 434.400 empregos, pois o emprego passou, naquele período, de 4.893.000 para 4.458.600 segundo dados do INE. Interessa por isso analisar com objetividade esta questão mostrando como os dados do desemprego são manipulados. Para isso vai-se utilizar os próprios dados oficiais.

NO 1º SEMESTRE DE 2015, O IEFP ELIMINOU DOS FICHEIROS DOS CENTROS DE DESEMPREGO 338.093 DESEMPREGADOS, REDUZINDO ASSIM O DESEMPREGO REGISTADO
Neste estudo, para não ficar muito longo, vai-se apenas analisar o chamado desemprego registado, ou seja, aquele que é divulgado mensalmente pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), e que apenas inclui os desempregados que se inscreveram nos Centros de Emprego (os desempregados que não se registaram nesses centros não são considerados). Os dados do quadro 1, são os divulgados mensalmente na publicação do IEFP: “Informação Mensal do Mercado de emprego”.

Em relação a cada mês, na 1ª coluna está o número de desempregados que existia no início de cada mês inscritos nos Centros de Emprego; na 2ª coluna está o total de desempregados que se inscreveram nesse mês; na 3ª coluna, o número de desempregados para os quais os Centros de Emprego arranjaram trabalho nesse mês, ou seja, o número de colocações feitas no mês. É fácil de concluir que no fim de cada mês o número de desempregados devia ser igual ao número que existia no início do mês mais os novos desempregados inscritos no mês menos os desempregados que foram colocados pelos Centros de Emprego nesse mês.
Se compararmos o total assim obtido com o total de desempregados existentes no fim do mês que consta da “Informação Mensal do Mercado de Emprego” do Instituto de Emprego e Formação Profissional, e que depois é utilizado pelo governo, conclui-se que o 1º total é superior ao divulgado pelo IEFP. Por ex., em Janeiro de 2015, o número de desempregados inscritos nos Centros de Emprego no início desse mês (é o total que transitou de Dez.2014) era 598.581. Nesse mês inscreveram-se mais 68.881 desempregados o que somados ao valor anterior dá 667.462 desempregados. Durante Janeiro de 2015, foram feitas 10.703 colocações de desempregados pelos Centros de Emprego, o que reduz o valor de 667.462 para 656.759 desempregados. Era este o número de desempregados que devia existir no fim de Janeiro de 2015. No entanto, segundo a “Informação Mensal do Mercado de Emprego” divulgada pelo IEFP, existiam apenas 615.654 desempregados, portanto foram eliminados dos ficheiros dos Centros de Emprego 41.105 desempregados.
Fazendo as mesmas contas para os restantes meses conclui-se que “desapareceram” dos ficheiros dos Centros de Emprego 58.256 desempregados em Fevereiro; 63.969 desempregados em Março; 58.858 desempregados em Abril; 55.859 desempregados em Maio; e 60.046 desempregados em Junho de 2015. Portanto, fazendo a soma conclui-se que só nos primeiros seis meses de 2015 foram eliminados dos ficheiros dos Centros de Emprego 338.093 desempregados sem que o IEFP e o governo tenham dado qualquer explicação para esse facto. Esta eliminação tão elevado de desempregados dos ficheiros dos Centros de Emprego pelo IEFP permite uma fácil manipulação dos dados dos números do desemprego registado, adaptando-os facilmente aos objetivos dos governos. Para que o leitor fique com uma ideia da dimensão como os dados do desempregado registado são alterados basta que faça a seguinte conta. No início de Janeiro de 2015 existiam 598.581 desempregados inscritos nos Centros de Emprego (era o total que tinha transitado de Dez.2014). Nos primeiros seis meses de 2015 inscreveram-se mais 340.733 desempregados nos Centros de Emprego, o que somado aos que existiam no início de janeiro de 2015 (598.581) dá 939.314 desempregados. Durante os primeiros seis meses os Centros de Emprego arranjaram trabalho para 64.565 desempregados. Deduzindo este valor aos 939.314 ficam 874.749, que era o total de desempregados inscritos nos Centros de Emprego que devia existir no fim do mês de Junho de 2015. No entanto, a “Informação Mensal do Mercado do Emprego” referente a Junho de 2015 do IEFP informa que apenas existiam 536.656 desempregados inscritos nos Centros de Emprego. Fica assim claro e provado que foram eliminados dos ficheiros dos Centros de Emprego, só no 1º semestre de 2015, 338.093 desempregados. E como refere no “meu facebook” um leitor já atingido por três vezes por esta “limpeza de ficheiros” feita pelo IEFP, depois de abatido é necessário esperar 90 dias (antes eram 60 dias) para se poder inscrever novamente no Centro de Emprego e é preciso ir durante longas horas para longas filas. É evidente que muitos desempregados desistem de se reinscreverem nos Centros de Emprego até porque estes, pouco emprego arranjam. Mas é desta forma que são construídos os números do desemprego registado que servem para o governo e, nomeadamente Passos Coelho, utilizar na propaganda oficial para manipular a opinião pública.

“OCUPADOS”: uma outra forma de esconder o desemprego
De acordo com o Instituto do Emprego e Formação Profissional, os “ocupados” que aparecem na “Informação Mensal do Mercado de Emprego” são desempregados “integrados em programas de emprego ou formação profissional “ Tanto uns como outros, terminado o Contrato de Emprego Inserção (CEI), ou o estágio ou o curso de formação profissional, regressam à situação de desempregado, mas enquanto estão nas situações anteriores não são considerados nos números do desemprego registado. Em junho de 2015, o número de “ocupados “ em Portugal atingia 155 892. Desta forma também se esconde o número total dos desempregados, pois se estes fossem somados aos 874.749 obter-se –ia 1.030.641 de desempregados que é um número enorme e chocante, mas que certamente está muito mais próximo da verdade que o governo e os seus defensores procuram esconder. E também revela uma outra forma como se pode manipular os números do desemprego registado.

 Eugénio Rosa, edr2@netcabo.pt - 21.7.2015

Há um fundo europeu que ajuda desempregados, mas Governo não se inscreveu...

Informação consta de um documento que foi divulgado esta quarta-feira e ao qual o Jornal de Negócios teve acesso.
Chama-se Fundo Europeu de Apoio à Globalização e foi criado para ajudar os países europeus a fazerem face ao elevado desemprego.
Contudo, revela o Jornal de Negócios, e apesar de a taxa de desemprego já ter chegado a rondar os 18%, o Governo português não submeteu qualquer pedido de apoio a Bruxelas. E a informação foi confirmada por fonte da Comissão Europeia.
Nos últimos anos foram dez os países europeus que beneficiaram de um total de 109 milhões de euros para ajudar 28,3 mil desempregados.
Inicialmente, o Fundo Europeu de Apoio à Globalização foi criado para apoiar trabalhadores que ficassem desempregados na sequência da deslocalização dos seus postos de trabalho. Contudo, e tendo em conta a crise económica que assolou o mundo a partir de 2008, foi feita uma alteração aos seus estatutos para que pudesse abranger os desempregados resultantes da crise.
"A mobilização do Fundo só é possível através do pedido do Estado-membro, já que são as autoridades nacionais que decidem se querem ou não candidatar-se ao cofinanciamento", explica ao Negócios fonte oficial da Comissão Europeia.
O Jornal de Negócios questionou o Ministério do Emprego e Solidariedade Social, mas não obteve, para já, qualquer resposta.
in "Jornal de Negócios" -22/7/2015

23.7.15

ALPALHÃO: Exposição de Pintura e Bordado de Ana Maria Mourato


HUMOR EM TEMPO DE CÓLERA

A elevação do presidente
Cartoon de Henrique Monteiro in http://henricartoon.blogs.sapo.pt

MARVÃO: XI Festival Transfronteiriço Boda Régia

As Jornadas Transfronteiriças Boda Regia que se realizam este ano de 31 de Julho a 2 de Agosto em Valência de Alcântara, são apresentadas no próximo sábado na Portagem.
A ocasião serve também para que o Alcalde de Valência de Alcântara e o Presidente da Câmara Municipal de Marvão ratifiquem o Acordo de Colaboração entre ambos os municípios.
Para além disso, pelas 20 horas o programa na Portagem prevê música, bailes e Mostra de Bordados: pelas 23:30 horas será projectado o trabalho audiovisual "X Años de la Boda Regia" seguindo-se (à meia noite) a representação teatral "Noite das Meigas".
Estas actividades realizadas em Marvão fazem parte de uma experiência turística no âmbito do Programa do Festival Internacional de Música Clássica. 

Livre - Tempo de Avançar solidário com os professores do Crato

O Grupo do Livre / Tempo de Avançar - Portalegre, está totalmente solidário com os professores do Crato que não só lutam contra a imposição camarária de avançar para a municipalização do ensino, mas também contra o espezinhamento, por parte da Câmara, do exercício de cidadania, exercício esse que os professores afirmaram ao terem rejeitado a municipalização do ensino, em eleições livres organizadas pelos sindicatos.»
Jaime Crespo

PORTALEGRE: 54º Festa do Folclore


Comunidade Sefardita de Jerusalém atribui Medalha a Carolino Tapadejo

O Conselho da Comunidade Sefardita de Jerusalém decidiu atribuir a Carolino Tapadejo a Medalha comemorativa d’As Quatro Sinagogas Sefarditas no Bairro Judeu da Cidade Velha de Jerusalém.
O Conselho pretende, deste modo, homenagear este castelo-vidense pelo infatigável trabalho que tem feito para promover a investigação e divulgação do património histórico-cultural judaico e converso de Portugal em geral e, em particular, de Castelo de Vide, sua terra natal.
A Medalha será entregue num acto público, ao qual conta com a presença de personalidades, como o Dr. Abraham Haim, presidente da Comunidade Sefardita de Jerusalém.
Carolino Tapadejo tem recebido convites para um vasto número de conferências, abordando temas relacionados com a História de Castelo de Vide, Turismo Cultural e Problemas Sociais. As suas intervenções não se restringem ao território nacional, mas também a Espanha, Grécia, Itália, França, Inglaterra, Bélgica, Alemanha, Dinamarca, Suécia, Finlândia, Canadá, Brasil e Israel.
Tem vindo a participar também em inúmeros programas de rádio e televisão e, como agente cultural, assinou vários trabalhos para revistas nacionais e internacionais.
Recebeu várias distinções, outorgadas em Portugal e no estrangeiro. Destacam-se as seguintes: Comendador da Ordem do Infante D. Henrique, (1985); Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, (1990); Prémio Nacional (QUERCUS) da Conservação da Natureza, (1996).
Em 2001, a convite do Padre Dr. Vítor Melícias, assume o cargo de Delegado para as Relações Internacionais de União das Misericórdias Portuguesas e em 2006 foi convidado para implementar e coordenar a TURICÓRDIA – Rede de Turismo Social da União das Misericórdias Portuguesas. Entre 1980 e 1989 assumiu o cargo de presidente da Câmara Municipal de Castelo de Vide.
O ano passado viajou para Israel a convite de um grupo de personalidades israelitas para proferir uma Conferência e várias Palestras, onde foi objeto de diversas homenagens pelo trabalho que tem vindo a desenvolver em prol da cultura judaica de Portugal e, especialmente, de Castelo de Vide.
A Câmara Municipal de Castelo de Vide associa-se a este acto público que irá decorrer no próximo dia 9 de agosto, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, na medida em que reconhece a dedicação, disponibilidade e o interesse que Carolino Tapadejo tem desenvolvido ao longo dos anos em prol da utilização e divulgação da cultura e herança judaica sefardita.
Castelo de Vide 22 de julho 2015

22.7.15

NISA: A morte de um poeta

 Em Nisa, morreu um poeta. Morreu o Camões, poeta das palavras, dos mil sorrisos, dos gestos simples e afáveis. Morreu um homem incomum, portador de uma alma generosa e uma dimensão humana cada vez mais rara, nos dias que correm.
O Zé Camões veio para Nisa com os pais e irmãos aquando da construção da Barragem do Fratel no início da década de 70 e aqui conheceu a mulher com que viria a casar e a constituir família.
Figura popular pelo seu trato fácil e permanente bom humor, exibia a boa disposição como traço fundamental do seu carácter, sobrepondo, por vezes, esse estado de espírito às tristezas e amarguras de que a vida é, também, feita.
Era essa a imagem que mais o vincava. Com o Zé Camões por perto ninguém estava triste. Ele tinha o condão, apenas com uma palavra ou uma tirada alegre e brejeira, de quebrar o gelo, de demolir os muros da indiferença e da desconfiança que estivessem à sua volta. Mesmo quando a palavra dita, pudesse parecer inconveniente ou fora da razão.
José António Costa Lopes, o Camões, partiu do nosso convívio. Deixou-nos de uma forma abrupta e inesperada, depois do fatal acidente que sofreu no final da passada sexta-feira na sua residência. Acidente de trabalho, de um poeta que não sabia estar parado. Que fez da sua vida de quase 60 anos, um poema de trabalho, amor e luta.
Foi sepultado há instantes e recordo, parece que o estou a ver, há anos, na sua oficina, rodeado da família e amigos, feliz e radiante, após ter concretizado um dos maiores sonhos da sua vida: a inauguração de uma unidade industrial de serralharia e a formação de uma empresa de cariz familiar, empreendimento a que o Zé Camões se entregou de corpo e alma, granjeando a satisfação de clientes e muitas amizades.
Não se estranhou, por isso, que a Praça do Município fosse pequena para albergar tantas e tantas centenas de amigos de Nisa, do concelho e de outras regiões.
Um mar de gente que o acompanhou à sua derradeira morada e lhe tributou uma sentida homenagem e despedida.
Em Nisa morreu um “poeta”. Um poeta da vida, da amizade, da fraternidade. O mundo seria muito melhor (quantas vezes?) se todos fôssemos assim.
Recordemo-lo como exemplo a seguir!
Repousa em paz, Zé Camões!
Mário Mendes

NISA: 1º Concurso de Bordado Antigo


IMPRENSA REGIONAL: "Alto Alentejo" - edição de 22/7/2015


21.7.15

PÉ DA SERRA (Nisa): Festas de S. Simão - 125 Anos


CRATO: Conselho Geral do Agrupamento de Escolas contra municipalização da educação

O Sindicato dos Professores da Zona Sul saúda a decisão do Conselho Geral do Agrupamento de Escolas do Crato que no dia 20 de Julho tomou posição contra a municipalização da educação.
O Conselho Geral é o órgão máximo de gestão das escolas, nele têm assento os representantes dos Pais e Encarregados de Educação, do pessoal docente e não docente e de outras entidades locais. O Conselho Geral do Agrupamento de Escolas representa toda a comunidade educativa e cabe a este órgão a aprovação e definição das linhas estratégicas de atuação das escolas.
Foi precisamente este órgão de gestão que chumbou por maioria o projeto de municipalização da educação no concelho do Crato.
 Com esta votação no Conselho Geral ficou também expressa a indignação, partilhada por muitos outros docentes, pela forma precipitada, a ausência de debate e o desrespeito pela comunidade educativa, que parecem marcar a ambição deste Governo de celebrar contratos de delegação de competências que ameaçam a estrutura da Escola Pública Democrática e Inclusiva. 
O SPZS congratula-se com esta decisão do Conselho Geral, que vem dar alento a todos os que têm contestado o desenvolvimento do processo de municipalização, em curso em vários municípios.
Sindicato dos Professores da Zona Sul (membro da Fenprof)

21 de Julho de 2015

Quercus recoloca águia-imperial em ninho

Na semana passada no Parque Natural do Tejo Internacional foi recolocado no ninho uma cria de águia-imperial-ibérica (Aquila adalberti ) que tinha dado entrada no final do mês de Julho no CERAS-Centro de Estudos e Recuperação de Animais Selvagens de Castelo Branco.
Esta cria, batizada de “atrevido” porque saltou demasiado cedo do ninho antes de poder voar, estava em má condição física e com uma anemia. Após ter recuperado foi montada uma operação de relocação no ninho e seguimento pela Quercus, ICNF e LPN.
No dia em que foi colocada no ninho com alimento suplementar e vigilância permanente os progenitores regressaram para cuidar do “atrevido”. Esta operação foi um sucesso, e o "atrevido" já começou os primeiros voos na zona do ninho.

A águia-imperial- ibérica é uma espécie em perigo crítico com apenas 11 casais em Portugal, cujas principais ameaças são a morte por eletrocussão em linhas elétricas, os envenenamentos e a falta de alimento.

V Convívio de Pára-Quedistas do concelho de Nisa


NISA recebe a visita do Presidente da República

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, visita o Concelho de Nisa no próximo dia 24 de Julho, com o seguinte programa:
16h15: Complexo Termal da Fadagosa de Nisa
17h00: Museu do Bordado e do Barro - Núcleo Central.

42 Dadores de sangue em Castelo de Vide




Em meados de Julho a Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre – ADBSP – concretizou mais uma brigada. Nesta oportunidade estivemos no Centro de Saúde de Castelo de Vide, onde compareceram 42 pessoas, 18 das quais do sexo feminino. A avaliação dos potenciais dadores ditou que alguns não pudessem colaborar. Mas sempre foram recolhidas 34 unidades de sangue total, qual tesouro neste tempo de maiores necessidades em termos de hemoterapia.
Duas mulheres doaram o precioso tecido humano pela primeira vez. E houve uma inscrição no Registo Nacional de Dadores Voluntários de Células de Medula Óssea.
Num restaurante local aconteceu o almoço convívio, apoiado pela Câmara Municipal de Castelo de Vide 
António Eustáquio, Presidente da ADBSP, deslocou-se propositadamente a esta vila, a fim de cumprimentar todos quantos colaboraram em mais uma brigada com um nível de adesão incentivador.
Querido mês de Agosto
As nossas colheitas são aos sábados, da parte da manhã. Iremos estar proximamente em: Fronteira, no Centro de Saúde, a um de Agosto; Alter do Chão, nos Bombeiros, a 08 de Agosto.
Esperamos pela vossa presença e não necessitam de nos bater à porta: é que a entrada é livre!

JR
(fotos: cortesia Inês Ruivo).