6.3.15

TEJO/TAJO VIVO: Travessia em BTT que acompanha o Tejo da nascente à foz apresentada na BTL

A proposta de cruzar a Península Ibérica em bicicleta todo-o-terreno (BTT), sempre com o Tejo no olhar, foi apresentada na BTL – Feira Internacional de Turismo, no dia 27 de Fevereiro, em Lisboa. Percorrer 1.210km, divididos em 13 etapas é o desafio da Trans-Ibérica em BTT Tejo/Tajo Vivo para os dias 15 a 30 de Maio.
 Na sua 2ª edição, a prova turística define-se como uma extensa aventura, dividida em 13 etapas (uma por dia), com um delicioso percurso, com vários single tracks, em semi-autonomia e orientação GPS, acompanhando o maior rio Ibérico, desde a nascente na Serra de Albarracín (Espanha) até à foz em Lisboa. A assinalar a partida, os atletas são convidados a recolher um pouco de água da “fonte”, que desagua no Oceano Atlântico. Este será, também, o acto simbólico que marcará o términos da travessia em BTT na capital portuguesa à chegada.
 A travessia deste ano está marcada para os dias 15 a 30 de Maio. Embora, os participantes só comecem a pedalar, maioritariamente por estradas secundárias ou em terra batida, a partir de dia 18 de Maio, a concentração da prova, com um acumulado de subidas de aproximadamente 16 mil metros, será em Abrantes no dia 15. Pelo caminho, os atletas vão vislumbrar nove etapas em território espanhol, passando por Salto de Póveda, Trillo, Zorita de los Cañes, Aranjuez, Toledo, Talavera de la Reina, Bohonal de Ibor, Serradilla e Alcántara. Em território nacional, a Trans-Ibérica entra no dia 27 de Maio. As duas rodas vão circular por Vila Velha de Rodão, Abrantes, Santarém e, por fim, Lisboa.
 Com uma classificação de difícil e uma altitude máxima de 1.688 metros, esta actividade pretende afirmar os territórios ibéricos, situados nas margens do Tejo como um destino turístico integrado. E surge por iniciativa de 17 Associações de Desenvolvimento Local portuguesas e espanholas, que num projecto denominado de Tejo/Tajo Vivo, apoiado pelo Programa de Desenvolvimento Rural (ProDeR), desenvolvem várias acções com o fim de aumentar a competitividade e promover o desenvolvimento económico, social e ambiental destas localidades ribeirinhas. Em Portugal é representado pela ADRACES – Raia Centro-Sul, Pinhal Maior – Pinhal Interior Sul, LEADER SÔR – Alto Alentejo, TAGUS - Ribatejo Interior, ADIRN – Ribatejo Norte e APRODER – Ribatejo. Para obter mais informação e inscrever-se pode ir ao sítio na Internet em www.tejovivo.com.

HUMOR EM TEMPO DE CÓLERA

Nunca desesperar, se faz favor
Cartoon de Henrique Monteiro in http://henricartoon.blogs.sapo.pt

OPINIÃO: Da sensualidade das Finanças

 É difícil compreender este protagonismo do ministro das Finanças de um país tão pelintra como o nosso, quando a sensualidade de Vítor Gaspar passou despercebida na Europa
Após análise longa e cuidada do seu pensamento económico, a imprensa internacional concluiu que o ministro das Finanças grego é sensual. O estilo de Varoufakis tem sido examinado em detalhe. Houve intenso debate sobre as fraldas da camisa, reflexão sobre determinado cachecol, e discutiu-se uma eventual parecença física com um herói interpretado no cinema por Bruce Willis. Na Alemanha reconheceram-lhe "indubitável carisma" e chamaram-lhe "ícone sexual". Creio, por isso, que a má vontade do Governo português em relação à Grécia não é apenas (ou não é de todo) motivada por razões económicas.
O nosso executivo também já teve um ministro das Finanças recém-eleito, que também visitou a Alemanha para negociar. Nessa altura, a imprensa internacional não disse uma única palavra sobre a sensualidade de Vítor Gaspar, a sua masculinidade clássica, o seu magnetismo animal. Portugal não rejeita que a Grécia tenha um tratamento diferente no que diz respeito ao pagamento da dívida; Portugal leva a mal que a Grécia tenha um tratamento diferente quanto à avaliação da sensualidade dos seus ministros das Finanças.
Nós gostamos muito de reconhecimento internacional. Anotamos com alegria a opinião de qualquer borra-botas nascido do lado de lá da fronteira que elogie um português. Às vezes, nem precisa de elogiar. Aceitamos uma mera referência ao nome, ainda que mal pronunciado. E por isso é difícil compreender este protagonismo do ministro das Finanças de um país tão pelintra como o nosso, quando a sensualidade de Vítor Gaspar passou
despercebida na Europa. Vítor Gaspar, à sua maneira, também era sensual. Tinha a tez esverdeada, o que lhe conferia algum exotismo, duas bolsas proeminentes sob os olhos (é sabido que as mulheres adoram bolsas), e uma voz suave. Os dirigentes alemães pareciam acreditar que ele era sensual, uma vez que lhe davam as mesmas ordens que as dançarinas exóticas costumam receber: "Ti-ra!, ti-ra!, ti-ra!" E Vítor Gaspar tirou mesmo. Tirou empregos, tirou salários, tirou reformas. E recebeu uma recompensa, não sob a forma tradicional de nota dobrada ao meio entalada na liga, mas sob a forma de um cargo de director de departamento no FMI. Por que razão não foi então referido internacionalmente o sex-appeal de Vítor Gaspar?

Quem nos impediu de ler notícias acerca do facto de o corpo pouco tonificado de Vítor Gaspar ser cobiçado internacionalmente, notícias essas que apareceriam lado a lado com outros títulos do género, tais como "Praia portuguesa considerada uma das 250 melhores do mundo por revista da qual nunca ouvimos falar mas que em todo o caso é estrangeira"? O desemprego e a pobreza ainda toleramos, mas privarem-nos do gozo de ver gente estrangeira a louvar-nos é simplesmente desumano. Para onde vais, Europa?
Ricardo Araújo Pereira - in "Visão" nº 1147- 26 de fevereiro

4.3.15

NISA: Quintino Aires no colóquio "Aceitar a Velhice - Desafios"


IMPRENSA REGIONAL: "Alto Alentejo" - edição de 4/3/2015


"Terras sem Sombra", a música pelo Alentejo, o regresso na Primavera

Com nova direcção artística, o Festival Terras sem Sombra regressa na Primavera, iniciando o périplo musical, a 14 de Março, na Igreja de Santo Ildefonso em Almodôvar.
Juan Ángel Vela del Campo é o novo director artístico do Festival Terras sem Sombra, substituindo o programador Paolo Pinamonti.
A edição deste ano do festival começa no dia 14 de Março, na Igreja de Santo Ildefonso, em Almodôvar, no distrito de Beja, e prolonga-se até dia 04 de Julho.
Juan Ángel Vela del Campo, natural de Bilbau, é ensaísta e crítico musical do diário espanhol El País, desde 1987, e director artístico do Festival de Flamenco de Roma, desde 2005.
Com um curriculum invejavel, Juan Angel há mais de uma década que é presença semanal num programa da rádio espanhola Cadena Ser, tendo dirigido e apresentado, durante 11 anos, o programa de televisão "Música Noche", no Canal +.
Professor no Conservatório de San Pietro a Majella, em Nápoles, na Itália, lecciona, regularmente, nas Universidades de Deusto, em Bilbau, Carlos III e San Pablo CEU, em Madrid.
Foi também, durante quatro anos, director executivo do projecto "Opera Digital", do Liceo de Barcelona, com transmissões em directo para 49 universidades de Espanha, França, Portugal e México.
"Entre outras funções, o agora director artístico do festival da diocese de Beja, foi director cultural do programa "Tutto Verdi" da Asociación Bilbaína de Amigos de la Ópera, de Bilbau, coordenador da "Historia de la Música en España e Hispanoamérica", em oito volumes, da editorial Fondo de Cultura Económica, é autor de vasta bibliografia, nomeadamente de "Música, imagínense", e ensaios publicados nas revistas Nexus da Universidade de Tillburg, e Ligne 8, da Ópera National de Paris, e em programas do Festival de Salzburgo, na Áustria. Em 2000 recebeu o Prémio da Crítica do Fundo de Cultura de Salzburgo", relata a nota de imprensa.
José António Falcão, historiador e o criador do Festival que existe desde 2003, regressa às saus funções de director-geral, sendo Sara Fonseca, vogal da direcção do Departamento do Património Histórico e Artístico da diocese de Beja, a directora-executiva do Terras sem Sombra.
A coordenação das acções de salvaguarda da biodiversidade é da responsabilidade de Pedro Azenha Rocha.
Na sua 11.ª edição, a principal iniciativa musical do Alentejo aposta numa ligação profunda à vida artística da Europa do Sul, com realce para Portugal, Espanha, Itália, França e Malta.
Uma mais-valia importante continua a ser o grande empenhamento na valorização da música, do património e da biodiversidade do Baixo Alentejo e do Alentejo Litoral, através de parcerias com municípios, empresas locais, instituições de ensino superior, o Teatro Nacional de São Carlos e o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas.

CGTP-IN e as dívidas de Passos Coelho à Segurança Social: Basta de mentiras!

Comunicado de Imprensa n.º 008/15
" O Primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, esteve 5 anos (entre 1999 e 2004) sem pagar as contribuições devidas para a Segurança Social e, quando confrontado com esta situação de incumprimento, insiste em alegar que “não tinha consciência que essa obrigação era devida durante esse período”.
Como é óbvio, estamos perante uma mentira grosseira: em primeiro lugar, porque ninguém acredita que Pedro Passos Coelho, deputado à Assembleia da República, Presidente do PSD e agora Primeiro-ministro, desconheça a existência desta obrigação básica de todos os trabalhadores e entidades patronais deste país; depois, porque é sabido que a ignorância da lei não pode ser invocada por nenhum cidadão para justificar o incumprimento de qualquer obrigação legal, sob pena de estar encontrado o argumento para violar impunemente toda e qualquer lei em vigor.
Neste quadro, é inaceitável que um primeiro-ministro que sobrecarregou os trabalhadores com uma carga fiscal insustentável, ao mesmo tempo que cortava impiedosamente salários e pensões e outras prestações sociais às camadas mais vulneráveis da população, e que tem promovido penhoras de bens por dívidas fiscais e contributivas irrisórias contra trabalhadores em situação económica difícil, não mostre para consigo próprio o mesmo rigor que exige aos outros.
Igualmente inadmissível é a posição do Ministro Mota Soares, que tutela a Segurança Social, quando, em vez de responsabilizar o seu colega de Governo por ter recorrido à evasão contributiva, lhe dá cobertura acusando os serviços por uma falta inexistente, já que a obrigação de contribuir não carece de notificação. Ou seja, o cidadão Pedro Passos Coelho não tinha que ser notificado para cumprir a sua obrigação contributiva, estando obrigado a fazê-lo, independentemente de qualquer notificação.
Os factos confirmam que o combate a esta ilicitude não passava por uma notificação, mas sim pelos correspondentes procedimentos de cobrança coerciva da mesma, tal como tem sucedido a muitos milhares de pessoas com dívidas à Segurança Social, algumas de valor bem menos significativo.
Por isso, a CGTP-IN não entende e não aceita que a dívida do cidadão Pedro Passos Coelho tenha tido um tratamento privilegiado relativamente às dívidas de outros cidadãos que cometem o mesmo tipo de evasão contributiva.
O combate à fraude e à evasão contributiva, que é um dos meios essenciais de garantir a sustentabilidade do sistema público de segurança social, não pode ter dois pesos e duas medidas – uma, mais suave e benevolente para os ricos e poderosos, e outra, mais pesada e implacável, para os restantes cidadãos.
Este é mais um exemplo que confirma a necessidade urgente de pôr termo imediato a este Governo e à política de direita!"
Saudações sindicais,
Arménio Carlos - Secretário-Geral

ALPALHÃO: Tapada das Safras, um espaço de lazer no Alto Alentejo

Um espaço de lazer que surgiu quando um casal de namorados decide casar.
A Tapada das Safras é um espaço de lazer, situado no concelho de Nisa, distrito de Portalegre. Quisemos saber como surgiu este projeto e os detalhes sobre como uma empresa de cariz familiar se conseguiu afirmar na região do Alto Alentejo, e se desenvolver ao longo dos tempos. Por isso, decidimos entrevistar os proprietários Liliana Carrilho e Rafael Moura da Tapada das Safras / Eternos Rituais Lda.
Como surgiu o projeto da Tapada das Safras?
A ideia surgiu quando pensamos casar e nos deparamos com uma carência de espaços ou quintas para este tipo de eventos no concelho e até mesmo no distrito. Então, em 2004 demos início ao projeto e a toda a burocracia necessária para a realização da obra: projeto de arquitetura, de segurança e afins... Tendo sempre como ponto de partida a criação de uma empresa de cariz familiar na terra e no concelho de onde somos naturais, Alpalhão. Hoje estamos casados e somos proprietários da empresa Eternos Rituais Lda., proprietária por conseguinte da Tapada das Safras conforme é mais conhecida desde 2008, ano de abertura ao público.
Onde está localizada a Tapada das Safras?
A Tapada das Safras está localizada a 800 metros da Vila de Alpalhão, na estrada camarária M1176, sentido das Termas de Nisa "Fadagosa", concelho de Nisa, distrito de Alpalhão. Coordenadas GPS: 39º25'23.6"N7"37'31.6"W
Qual o tipo de atividades/eventos desenvolvidos, na Tapada das Safras?
A Empresa Eternos Rituais, Lda., conhecida como Tapadas das Safras é uma empresa vocacionada para realizar os pedidos mais exigentes na abrangente arte da organização de eventos, casamentos, festas particulares e empresariais. Com capacidade de resposta a todas as exigências e desafios que lhe possam colocar. O bom gosto e originalidade têm sido a nossa opção, em parceria com os nossos colaboradores. Sendo um local próprio e único que espelha a beleza pura do Alto Alentejo, que nos envolve num sentimento de afetividade e tranquilidade, que proporciona momentos únicos e inesquecíveis.
Que tipo de público adere a este tipo de atividades e quais o eventos que costumam ter mais adesão?
Os serviços ou eventos com mais procura são os casamentos e os batizados, que têm mais procura na primavera/verão, tendo assim uma taxa de ocupação sazonal em termos de atividade. No que diz respeito ao resto do ano, a Tapada das Safras procura realizar festas e jantares temáticos, procurando corresponder a várias faixas de idade, tradições e atualidades. No que diz respeito a jantares seguidos de espetáculos, como exemplo tivemos várias noites de fado ao longo destes anos em que o nome mais sonante foi o António Pinto Basto. Outros eventos contaram com nomes como José Cid, Los Romeros, Eddie Ferrer e outros mais, em termos de atuações em réveillons, festas de Carnaval, festas na Páscoa e festas nas noites de verão ao ar livre na piscina com bandas ou DJs, sempre em função da nossa disponibilidade!
Quais são os novos projetos?
Os novos projetos/eventos que temos agendados são: a celebração do dia da mulher e uma noite de fados. Eventos que terão lugar já no mês de março. Em abril, na Páscoa, teremos outro evento: um concerto de tributo aos ABBA. Temos ainda outro projeto: uma casa de campo com quartos para alugar.
Qual é o vosso lema?
O nosso lema é: "O nosso limite é a sua imaginação".
Fábio Belo in pt.blastingnews.com

3.3.15

NISA: Bastinhas é cabeça de cartaz de imponente festival taurino


PONTE DE SOR: Comemorações do Dia Internacional da Mulher

Neste ano de 2015 as comemorações do Dia Internacional da Mulher (8 de março) estão concentradas no Centro de Artes e Cultura de Ponte de Sor no dia anterior, sábado, 7 de março. O programa que o Município elaborou  para assinalar este dia é então o seguinte:
09H30 Aula de Zumba.
10:00H Caminhada Ponte-a-Pé.
15:00H Conferência “Há cem anos, era assim! – A I República e os direitos das mulheres”, Dr.ª Fátima Mariano (UNL-FCSH)
15H30 Comunicação “Enfermagem no feminino: as enfermeiras portuguesas na I Guerra Mundial”, Dr.ª Ana Isabel Silva (UC - Município de Ponte de Sor)
Ao longo da tarde, participação especial do Grupo de Teatro do CAC.
No dia 8 as mulheres pontessorenses podem também assistir gratuitamente, no Teatro-Cinema de Ponte de Sor, a uma das três sessões de cinema programadas (15:00 h; 18:00h ou 21:00 h), ao filme: As Cinquenta Sombras de Grey.
 O Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março, tem como origem as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada da Rússia czarista na Primeira Guerra Mundial. Essas manifestações marcaram o início da Revolução de 1917. Entretanto a ideia de celebrar um dia da mulher já havia surgido desde os primeiros anos do século XX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas de mulheres por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto. O Dia Internacional das Mulheres e a data de 8 de março são comumente associados a dois fatos históricos que teriam dado origem à comemoração. O primeiro deles seria uma manifestação das operárias do setor têxtil nova iorquino ocorrida em 8 de março de 1857 (segundo outras versões em 1908). O outro acontecimento é o incêndio de uma fábrica têxtil ocorrido na mesma data e na mesma cidade. Não existe consenso entre a historiografia para esses dois fatos, nem sequer sobre as datas, o que gerou mitos sobre esses acontecimentos.
Nos países ocidentais, a data foi esquecida por longo tempo e somente recuperada pelo movimento feminista, já na década de 1960. Na atualidade, a celebração do Dia Internacional da Mulher perdeu parcialmente o seu sentido original, adquirindo um caráter festivo e comercial. Nessa data, os empregadores, sem certamente pretender evocar o espírito das operárias grevistas do 8 de março de 1917, costumam distribuir rosas vermelhas ou pequenos mimos entre suas empregadas.
Em 1975, foi designado pela ONU como o Ano Internacional da Mulher e, em dezembro de 1977, o Dia Internacional da Mulher foi adotado pelas Nações Unidas, para lembrar as conquistas sociais, políticas e económicas das mulheres.

NISA: Feira dos Passos no domingo, dia 8

No próximo domingo realiza-se em Nisa a tradicional Feira dos Passos, no mesmo dia em que têm lugar as celebrações do Senhor dos Passos, com missa e a procissão que costuma atrair a esta vila muitas centenas de fiéis.
A Câmara Municipal, a exemplo de outras feiras, disponibiliza transporte aos residentes nas freguesias do concelho, conforme os horários que a seguir se descriminam.

"Os Verdes" querem regime que impeça coimas abusivas

 “Os Verdes” entregaram no Parlamento um Projeto de Lei que impede as situações de aplicação abusiva de coimas, e de outros custos, aos casos de não pagamento de portagens.
À introdução de portagens em ex-SCUT, da responsabilidade do PS, do PSD e do CDS, adicionou-se, um novo problema que consiste num sistema de cobrança de portagens exclusivamente eletrónico, o qual implica, nalguns casos, uma deslocação a um ponto de pagamento, o que se traduz num acréscimo de custos. Se houver uma falha de pagamento, a atual legislação toma-a como uma transgressão sujeita a uma coima o que, nalguns casos, pode resultar em somas bastante avultadas e abusivas. É essa a realidade concreta da qual estão a ser vítimas muitos utentes destas autoestradas. Os casos de não pagamento de portagem dão-se pelos mais diversos motivos e, por vezes, até por responsabilidade da própria concessionária. Constata-se, ainda, um conjunto de irregularidades, designadamente no âmbito dos processos de contraordenação, que muito têm prejudicado os cidadãos.
 Face a esta situação, importa dar uma resposta e propor uma solução para todos os cidadãos que, muito injustamente, se veem confrontados com exigências de pagamento de somas avultadíssimas. Movidos por esse objetivo, o Grupo Parlamentar Os Verdes apresenta o presente Projeto de Lei que será discutido em plenário da Assembleia da República na próxima quinta-feira, dia 5 de Março.
O Grupo Parlamentar “Os Verdes”

Colóquio da UGT sobre a "Igualdade de Género no Mercado de Trabalho"

A UGT-Portalegre convida V.ª Ex.ª a assistir e a divulgar o Colóquio “Igualdade de Género no Mercado de Trabalho”, a realizar no  dia 7 de março de 2015 (sábado), às 15:00 horas, na Escola de Hotelaria e Turismo de Portalegre .

NISA: 1ª Reunião ordinária da Câmara em Março


Domingos e Dias Santos animam jantar comemorativo do Dia da Mulher em Portalegre


PORTALEGRE: BE em campanha nos Assentos no combate à austeridade

" No dia 28 de Fevereiro a Concelhia de Portalegre do Bloco de Esquerda visitou o Bairro dos Assentos no âmbito da campanha nacional de combate à austeridade e ao empobrecimento do país, assente nas principais propostas para a construção de uma alternativa urgente. Esta campanha com base numa petição à Assembleia da República pela desvinculação de Portugal ao Tratado Orçamental que foi assinado por vários governos europeus e impõe um agravamento da atual política de austeridade.
A sua aplicação implicaria novos cortes no orçamento de Estado ao longo de mais de vinte anos. É improvável que qualquer país consiga cumprir as regras do tratado. Mas este prevê castigos pesados, com multas graves e mais austeridade imposta pela Comissão Europeia. Com este tratado, Angela Merkel e a Comissão Europeia ganham ainda mais poder para punir os países e governá-los directamente, impondo novas reduções salariais, privatizações e cortes na saúde e educação.
Pretende-se solicitar à Assembleia da República a aprovação de resolução política para que o Estado Português inicie de imediato o processo da sua desvinculação do Tratado sobre a Estabilidade, Coordenação e Governação na União Económica e Monetária.
A manutenção deste compromisso, firmado pelo PS, PSD e CDS, é a certeza da continuação futura da política de austeridade. Com esta petição, o Bloco de Esquerda está na rua em ações de esclarecimento, pelo fim da austeridade e pela rejeição do Tratado Orçamental que ameaça eternizá-la."
Coordenadora Concelhia de Portalegre do Bloco de Esquerda

CANÇÕES DE ABRIL



ALPALHÃO: Dia Internacional da Mulher assinalado com piquenique


2.3.15

NISA: Procissão dos Passos no Domingo


Teatro da Terra apresenta "Julieta" em Ponte de Sor


ALPALHÃO: Exposição fotográfica de Joaquim Manuel Penalva Loução


POLÍTICA: Maioria chumba proposta do PS para melhorar o Hospital de Santa Luzia em Elvas

COMUNICADO DA FEDERAÇÃO DISTRITAL DO PS
A Federação Distrital de Portalegre do Partido Socialista reage com perplexidade aos comportamentos políticos dos responsáveis distritais do PSD durante esta semana.
Na quarta-feira, dia 25, o Grupo Parlamentar do Partido Socialista na Assembleia da República apresentou um projecto de resolução, cuja primeira subscritora era a deputada pelo distrito de Portalegre, Sandra Cardoso, e que visava, na sua essência, defender o Hospital de Santa Luzia, em Elvas, com a requalificação do seu serviço de urgências e na decorrência dessa requalificação, a referenciação dos utentes de Alandroal, de Borba, de Vila Viçosa e de Estremoz para aquela unidade hospitalar.
Com tal proposta, atingiam-se automaticamente dois objectivos: por um lado, o distrito de Portalegre passaria a contar com mais capacidade instalada na área da Saúde, o que favoreceria os cidadãos do Alto Alentejo. Por outro lado, passaríamos a ter uma unidade prestadora de serviços a outros, o que aumentaria, a todos os níveis, a importância das nossas unidades de serviço público.
Contudo, logo na discussão do projecto de resolução, o deputado do PSD, Cristóvão Crespo, eleito pelo distrito de Portalegre, proferiu um violento ataque a uma iniciativa que defendia o Alto Alentejo e os seus eleitores. Cristóvão Crespo, mais uma vez, assumiu que é mais importante defender os parâmetros contabilísticos do Governo, do que as populações que o elegeram.
A somar à posição injustificável do deputado Cristóvão Crespo, está a falta de força política dos responsáveis distritais do PSD que na pessoa do presidente da distrital, Armando Varela, ainda que revestido da posição institucional de presidente do Conselho Intermunicipal da CIMAA, dirigiu um apelo a todos os grupos parlamentares para que o projecto de resolução fosse aprovado.
Tal apelo caiu em saco roto junto dos partidos do Governo. Principalmente, junto do PSD, partido cujo o máximo representante distrital é, precisamente, Armando Varela.
Hoje, sexta-feira, dia 27, o projecto de resolução apresentado pelo PS foi rejeitado pela maioria parlamentar PSD/CDS.
O Partido Socialista reitera a sua posição de que o principal objectivo em política é o compromisso com os cidadãos.
O presidente da Federação Distrital de Portalegre do PS, Luís Moreira Testa, assume que “as pessoas têm de ser o centro da acção política. É com esse objectivo que o Partido Socialista persistirá na apresentação de propostas que sejam benéficas para o Alto Alentejo e para os habitantes do distrito de Portalegre. Qualificamos de desprezíveis as acções do PSD, que tornam o próprio partido inútil para a nossa região”.

"Percursos de Vida" de José Serra em exposição na Figueira da Foz





O artista nisense José Maria Reizinho Serra tem patente ao público na Figueira da Foz, uma exposição de pintura. Intitulada "Percursos de Vida", a mostra pode ser visitada até 27 de Março na galeria de Artistas pela Arte (Magenta), um espaço que o pintor nisense partilha com António Ramos que ali mostra os seus trabalhos de fotografia numa exposição denominada "Percurso azulejar".
Duas exposições, dois excelentes motivos para uma visita à Galeria da Magenta.

HUMOR EM TEMPO DE CÓLERA

Para si, com muito amor
Cartoon de Henrique Monteiro in http://henricartoon.blogs.sapo.pt

1.3.15

NISA: Chá com Letras na Biblioteca Municipal


Município de Ródão assina protocolo de adesão à Iniciativa Economia Cívica


No dia 25 de fevereiro realizou-se, no Fundão, a cerimónia pública de assinatura do Acordo de constituição da Associação para a Economia Cívica Portugal.
Na cerimónia foi apresentada a Iniciativa para a Economia Cívica e assinado o acordo de adesão do Município de Vila Velha de Ródão ao Consórcio, passando a integrar a lista dos membros fundadores da Associação para a Economia Cívica Portugal, juntamente com as Câmaras Municipais de Bragança, de Campo Maior, do Fundão, de Idanha-a-Nova, de Gondomar, de Gouveia, da Lousã, de Vila Real, a Santa Casa da Misericórdia de Campo Maior e a Vieira de Almeida & Associados.
Vila Velha de Ródão ao integrar este consórcio, abraça a missão de envolver instituições e empresas locais que possam ter uma palavra a dizer sobre o futuro do concelho. Estas empresas e instituições farão parte da Rede de Comunidades para a Economia Cívica locais, a constituir em cada um dos municípios aderentes.
Vários objetivos estão delineados, colocando um especial enfoque no combate ao desemprego jovem, na redução do abandono escolar, no combate à baixa densidade populacional, entre outras ações especialmente vocacionadas para os concelhos do interior do país. De acordo com os promotores, um importante desafio é manter os jovens residentes, “dar-lhes esperança", e atrair os de fora, através de programas que dinamizem o tecido económico e empresarial da região.
O consórcio para a economia cívica pretende envolver toda a sociedade, alinhando o interesse público com o interesse privado, através de um programa de trabalho com as comunidades locais, promovendo a inovação social e a mudança de paradigma na resposta aos desafios do desenvolvimento integrado e sustentável, aplicando os recursos de maneira diferente, olhando para os problemas localmente.
Com a integração neste consórcio, Vila Velha de Ródão pretende reunir condições para apoiar projetos de inovação e empreendedorismo, nomeadamente na área social.

28.2.15

ALPALHÃO: Aulas de Sevilhanas no Centro Cultural


VELADA: Corte no abastecimento de água - 3 Março

No dia 3 de março, terça feira das 10H às 12H00
De acordo com a informação emanada da Câmara Municipal de Nisa e assinada pelo seu vice-presidente, Francisco Sena Cardoso, a empesa Águas do Norte Alentejano, S.A. informa que no próximo dia 3 de março (3ª feira) irá ser realizada uma intervenção no Sistema Autónomo da Velada.
Prevê-se que a intervenção possa interromper o abastecimento de àgua àpopulação no período das 10H00 às 12H00.

NISA: "O dono de tudo" na Hora do Conto