2.10.14

ÉVORA: Conferência Nacional "O 25 de Abril e o Poder Local Democrático”

Conferência analisa a evolução do poder local nas quatro décadas após a implantação do regime democrático
Várias personalidades ligadas às autarquias e à sociedade civil participam na conferência nacional  “O 25 de Abril e o Poder Local Democrático” que acontece no próximo dia 10 de Outubro em Évora no Palácio de D. Manuel. Esta conferência é aberta a todos os interessados, a inscrição está disponível em www.cimac.pt/convida.
Este evento visa promover a reflexão sobre temas de interesse para a vida autárquica, através da introdução de matérias da atualidade e da valorização de percursos municipais realizados ao longo das quatro últimas décadas. Para o efeito está já confirmada a participação de oradores como:
* Bernardino Soares, Presidente da Câmara Municipal de Loures;
* Francisco Jesus, Vice-Presidente da ANAFRE  (Associação Nacional das Freguesias);
* Augusto Flor, Presidente da Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto;
* António Cândido Macedo de Oliveira, Professor Catedrático da Escola de Direito da Universidade do Minho e Diretor do NEDAL (Núcleo de Estudos de Direito das Autarquias Locais);
* Jorge Carvalho, Universidade de Aveiro;
* Gil Nadais, Presidente da Câmara Municipal de Águeda;
* João Almeida, Membro da Comissão Nacional de Eleições
A conferência é aberta a todos os interessados mediante inscrição prévia. Pela natureza do tema está naturalmente vocacionada a Eleitos do poder local (Câmaras Municipais, Assembleias Municipais, Juntas e Assembleias de Freguesia, Associações de Municípios e CIM’s), técnicos da administração pública, estudantes, professores, dirigentes e outros profissionais da área.
A inscrição deve ser feita através do site: www.cimac.pt/convida, tem um custo de 15 Euros, o valor incluí: entrega de documentação do evento, livro de atas, coffee break e acesso a tarifas exclusivas para alojamento.
Os eleitos e funcionários dos órgãos autárquicos do Alentejo Central estão isentos da taxa de inscrição.
Toda a informação do evento está disponível em www.cimac.pt/convida.
Facebook Oficial do Evento: https://www.facebook.com/cimac.convida

1.10.14

Evocação da Banda Nizense no Dia Mundial da Música



Assinalando o Dia Mundial da Música evocamos, aqui, através de documentos antigos, a Banda Nizense ou banda da Sociedade Phylarmónica Nizense, nome com que foi criada em 1844, ou seja, há 140 anos.
A foto foi retirada de um dos números de 1913 da "Ilustração Portugueza".
Os recortes de jornal referem-se a uma notícia publicada no dia 27/8/1916 e a uma entrevista com o maestro da Banda, António Pena, com publicação em 3/9/1916, ambas no semanário nisense "As Férias".
Ontem como hoje, a Banda de Nisa continua a ser referência musical e cultural desta terra bordada de encantos.
Vivá Música!

Agosto partiu... a saudade ficou!


Agosto já lá vai; Setembro chegou ao fim; despediu-se o Verão e o Outono fez a sua aparição. Deste Verão frio e chuvoso, de festas e convívios, de abraços e saudades, ficaram algumas imagens. São imagens do reencontro e de confraternização onde a amizade e os afectos ganham a dimensão de um ano de espera.
As fotos são do convívio que juntou irmãos, primos e primas da família Marzia.
Agosto já lá vai, mas as fotos ficam a documentar a alegria, a festa e o (re)encontro. Para o ano há mais. Haja saúde!

Outubro suão, negaças de Verão

Outubro é o décimo mês do ano no calendário gregoriano, tendo a duração de 31 dias. Outubro deve o seu nome à palavra latina octo (oito), dado que era o oitavo mês do calendário romano, que começava em março.
Outubro começa sempre no mesmo dia da semana que o mês de janeiro, exceto quando o ano é bissexto
ADÁGIOS DE OUTUBRO
* Com a vindima em Outubro, come a cabra, engorda o boi e ganha o dono.
* Outubro, recolhe tudo.
* Em Outubro, centeio ruivo.
* Semeia no pó, não tenhas dó.
* Em Outubro o lume já é amigo.
* Outubro suão, negaças de Verão.
* Pelo S. Simão (28), fava na mão.
* Quem planta no Outono leva um ano de abono.
* Se as andorinhas partirem em Outubro seca tudo.
* Outubro meio chuvoso torna o lavrador venturoso
Datas Comemorativas de Outubro de 2014
1 Dia Mundial da Música
1 Dia Internacional do Idoso
4 Dia Mundial do Animal
4 Dia do Médico Veterinário
5 Implantação da República
5 Dia Mundial do Professor
7 Dia Nacional dos Castelos
9 Dia Mundial dos Correios
10 Dia Mundial da Saúde Mental
16 Dia Mundial da Alimentação
16 Dia Mundial da Coluna
17 Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza
18 Dia Mundial da Menopausa
20 Dia Mundial da Estatística
20 Dia Mundial da Osteoporose
20 Dia da Paralisia Cerebral
22 Dia Internacional da Gaguez
25 Dia de Compras na Net
26 Horário de Inverno
29 Dia Mundial da Psoríase
29 Dia Mundial do AVC
30 Dia Nacional de Prevenção do Cancro da Mama
31 Dia das Bruxas
31 Dia Mundial da Poupança

30.9.14

Nisa e Benfica apresenta equipas dos escalões de formação


Sopas de Peixe em Ródão dinamizam economia local








O II Festival das Sopas de Peixe, promovido pela autarquia de Vila Velha de Ródão, marcou a diferença e deu vida a um fim-de-semana onde nem a meteorologia constituiu preocupação. A receita das Sopas de Peixe de Ródão conseguiu atrair visitantes até este território e projetar o nome do concelho fora de portas. Durante os dois dias assistiu-se à chegada de muitas pessoas, quer em grupos organizados quer individualmente, que participaram no programa do Festival que incluiu um elevado número de atividades e que deu a conhecer o melhor do património do concelho, da gastronomia à cultura, da natureza às atividades económicas mais tradicionais.
O cais de Vila Velha de Ródão e a sua zona envolvente, enquadrada pela beleza paisagística proporcionada pelo Tejo e pela serra, constituíram o local que deu centralidade ao programa do Festival.
O sábado começou bem cedo com o programa da TSF “Terra-a-Terra”, realizado em direto a partir de Ródão. Vários convidados das mais variadas áreas testemunharam as potencialidades que o concelho tem para oferecer. Custódio Castelo, uma referência da renovação da guitarra portuguesa, nas últimas duas décadas, veio até Vila Velha de Ródão e acompanhou musicalmente o programa da TSF.
À semelhança da primeira edição do festival, a autarquia estabeleceu uma parceria com a CP, que proporcionou a todos os que escolheram o comboio como via para chegar até ao II Festival das Sopas de Peixe, um leque de vantagens nos serviços aderentes, culminando a sua chegada à estação de Ródão com a receção, aos cerca de 200 turistas, com um momento de animação teatral proporcionada pelo Grupo Amador de Teatro do CDRC. No cais de Ródão, ao som do grupo de percussão Toc & Ródão foi efetuada a degustação dos produtos locais de reconhecida qualidade (mel, azeite, queijo, presunto, doçaria, pão, vinho) e desenvolvido um programa de visitas guiadas, em transporte gratuito disponibilizado pelo município, a vários pontos de interesse do concelho (Lagar de Varas, Castelo do Rei Vamba, CIART, Monumento Natural das Portas de Ródão).
Após o almoço, nos restaurantes aderentes, a animação musical, com as bandas filarmónicas de Fratel, Retaxo e de Nisa, deu vida a alguns espaços emblemáticos da vila, culminando no Cais de Ródão com uma atuação única, acarinhando, assim, quem por lá passava.
A Casa de Artes e Cultura do Tejo foi a porta de entrada para um grande momento musical que encerrou o 1º dia de festival, o espetáculo com os Oquestrada, cuja atuação, entusiasmou o público, divulgando os temas dos seus últimos trabalhos discográficos, um cocktail muito português de prazer de viver e de doce nostalgia.
O domingo começou com uma atividade de pedestrianismo distribuída por duas rotas: PR5 - Caminho da Telhada (Perais) e PR6 - Geologia e Arqueologia Urbanas de Ródão, que fazem parte da Rede de Percursos de Ródão e simultaneamente com um concurso de pesca na barragem da Coutada/Tamujais, organização da Junta de Freguesia de Vila Velha de Ródão. Os passeios pedestres foram acompanhados por guias que apresentaram o território e o seu enquadramento natural e histórico. A participação nestas iniciativas incluiu um almoço constituído por uma peixada tradicional cuja receita reverteu para fins solidários, associados às ações da Liga Portuguesa Contra o Cancro, parceira nesta ação.
Durante a tarde e à semelhança do dia anterior, a venda de produtos locais bem como o mercadinho do pão registaram uma grande procura constituindo uma oportunidade para os forasteiros poderem levar na bagagem os produtos de excelência que vão ajudar a perpetuar na memória o seu envolvimento neste IIº Festival das Sopas de Peixe.
A autarquia de Vila Velha de Ródão, com este evento, cumpriu o objetivo de divulgar e a atrair mais visitantes à região, promover a sua gastronomia, mais concretamente o prato das Sopas de Peixe, marca do concelho de Vila Velha de Ródão, valorizar o seu potencial turístico, natural e cultural, e estimular a atividade económica da restauração e da hotelaria, criando ainda oportunidades para a promoção dos produtos de excelência resultantes da atividade desenvolvida pelas suas pequenas e médias empresas.
Fonte: CM VVRódão

29.9.14

PORTALEGRE: Comunicado do Sindicato dos Professores da Zona Sul

Sobre a situação da Escola de Artes do Norte Alentejano/Conservatório Regional de Portalegre
A Escola de Artes do Norte Alentejano/Conservatório de Portalegre encontra-se no início deste ano lectivo 2014-2015 paralisada por falta de verbas para assegurar o seu normal funcionamento e para pagar os salários de professores e funcionários.
A agravar a situação, não foi ainda definida a rede do Ensino Articulado da Música por parte da DGesT/MEC e consequentemente, estão por constituir as turmas de início de Ciclo, bem como os seus horários, o que afeta, centenas de alunos nos vários Concelhos do Distrito de Portalegre e a organização do ano letivo das escolas a que pertencem.
Grande parte destas dificuldades resulta de um regime de financiamento baseado no Fundo Social Europeu (POPH) que foi imposto pelo MEC e que merece profundo desacordo da parte do SPZS/Fenprof que alertou para muitos dos problemas que acabaram por surgir, tendo em devido tempo denunciado os atrasos no pagamento dos salários ao Conselho Diretivo do POPH e à Autoridade para as Condições de Trabalho.
A redução de verbas e a alteração do formato de financiamento impostos a estas escolas, inscrevem-se no perfil ideológico deste Governo, que desde o primeiro momento, afirmou o seu profundo desprezo pelas áreas artísticas e pela Cultura.
A EANA/Conservatório, é uma escola sustentável, indispensável para os alunos do distrito de Portalegre e para os professores que durante largos anos tudo deram para dignificar a formação dos seus alunos.
Na conjuntura atual, o SPZS não pode deixar de chamar a atenção para a situação dramática em que se encontram os professores da EANA/Conservatório que há mais de 4 meses estão sem receber o seu salário.
Urge uma resposta clara por parte das entidades competentes, de forma a garantir a manutenção desta oferta educativa no Distrito de Portalegre, de acordo com a vontade de Pais e Encarregados de Educação, Professores e Alunos.
A Direção do SPZS – Portalegre

NISA: Seguro foi o mais votado nas "primárias" do PS

António José Seguro foi o mais votado, em Nisa, nas eleições primárias do PS, que decorreram no domingo, 28 de Setembro. Uma votação que contrariou a tendência geral no distrito e no país e que permitiram uma robusta vitória a António Costa. Seguem os dados eleitorais registados no distrito de Portalegre.

HUMOR EM TEMPO DE CÓLERA

 Os Gatos da Santa Casa
in www.acaricaturadobrasil.com.br

28.9.14

OPINIÃO: Abdu de Algueirão

Fábio tinha um sonho. Queria ser futebolista. Talvez tivesse mais. Aos 18 anos a gente tem tantos sonhos! Depois há aquela alentejana de metralhadora em punho, e burka, que garante que os criminosos do estado islâmico a tratam como uma princesa. Estas duas histórias têm feito história na comunicação social, surpreendida, atónita, ao descobrir que uma dúzia de jovens portugueses milita na jihad lançada pelos terroristas do Estado Islâmico. A mediática degola de dois jornalistas por estes bandidos deixou a comunicação social do mundo inteiro em choque. Ao pé do Estado Islâmico, os terroristas da Al-Qaeda são meninos de coro. Dizem os analistas que são uma turba armada com cerca de trinta mil assassinos. Como se viu em em inúmeros vídeos, nada os assemelha a uma organização política e o Islão é tão só o pretexto para uma ténue e vaga fundamentação ideológica e doutrinária. Sabe-se pelas chacinas e atrocidades que têm cometido que não são políticos. Matar a eito, seja quem for, não é próprio da política que ainda assenta os seus combates na velha teoria do inimigo principal. Não são militantes religiosos. O maior contingente das suas vítimas são muçulmanos. Sabe-se que nasceram de uma facção minoritária e radical sunita, porém, hoje, são muito mais do que isso. São um exército de assassinos que têm cometido uma sequência brutal de crimes contra a Humanidade.
Para os ocidentais a pergunta mais incómoda está por responder. O que leva jovens como o Fábio de Algueirão a mudar o nome para Abdu e rasgar os seus antigos sonhos para integrar um exército de assassinos? A resposta mais fácil é a sua origem suburbana. Então e a jovem alentejana com raiz num território tão pobre e minguado de gente que nem subúrbio tem?
A pergunta permanece com o mesmo sentimento de intranquilidade. Onde falharam as políticas europeias para a juventude, no espaço de toda a União, em cada país, parque forneçam milhares de jovens como voluntários para o espectáculo macabro da morte gratuita?
O poder dominante não sabe responder a isto. É incompetente na gestão de sonhos e expectativas. Apenas conhece os gráficos da ditadura do economês. E sem política que gere esperanças e sonhos estamos condenados à multiplicação dos Abdus. Este problema não é iraquiano ou sírio. É nosso.
Francisco Moita Flores Impressão Digital – in “Correio da Manhã” – 21/9/2014

GAVIÃO: António Maria Charrinho no 2º Festival de Acordeão


27.9.14

OPINIÃO - Nisa: As contas das autárquicas 2013

Em qualquer atividade a prestação de contas é entendido como um ato de verdadeira transparência e boa gestão, dignificando e valorizando aqueles que o fazem, transmitindo aos restantes a informação necessária para poderem avaliar de forma isenta essas mesmas funções. E, mais relevante é, quando se fala de dinheiros públicos, aplicados ao serviço da democracia, tal como são as subvenções atribuídas aos partidos políticos, para financiar as suas campanhas eleitorais.
 Faz agora um ano, em 29 de Setembro, que se realizaram as últimas eleições autárquicas 2013, mas, só em Julho de 2014 foram validados os respetivos documentos, junto do Tribunal de Contas.
Perguntamos nós, que partidos políticos tiveram a ousadia de apresentar publicamente as suas verdadeiras contas ao eleitorado? Quando se apregoa tanta transparência e ética na política, o que é que realmente se sabe? Quanto se gastou nas últimas eleições autárquicas 2013, em Nisa? Poucos são os que sabem…os verdadeiros números. Mas, porquê tanto segredo?
Após uma pequena investigação, aqui ficam alguns dados, para refletir:
As quatro candidaturas autárquicas (CDU; PS; PSD/CDS; MIMCN) que se anunciaram ao eleitorado, em 2013, no concelho de Nisa, apresentaram uma despesa total de 81.761,53€, dos quais 48% dizem respeito à candidatura da CDU/Nisa.
Vejamos, mais em pormenor, estes dados:
A CDU apresenta-se como a força política, no concelho de Nisa, com o maior investimento, para esta campanha eleitoral, com uma receita de 40.726,74€, em que 41% provêm da subvenção pública e 25% de fundos próprios do PCP. No campo da despesa, apresenta um valor total de 39.884,64€, com destaque para duas rubricas, que são a divulgação e propaganda politica (que inclui: folhetos, pendões e cartazes) que representam 11% e a rubrica espetáculos e artistas com 10% do total das despesas.
Quanto ao PS, apresenta uma receita de 26.053,45€, dos quais 99% provêm da Subvenção Estatal. No campo das despesas, o total é de 24.531,39€, com destaque para as rubricas mais significativas, que são a “Propaganda, comunicação impressa e digital”, com 46% dos gastos e os “Comícios, espetáculos e caravanas”, que representam 25% do total da despesa.
A coligação PSD/CDS – Nisa, teve uma receita total de 14.345.50€, dos quais 79,8% são de subvenção estatal. Enquanto a despesa total tem o mesmo valor da receita total (14.345,50€), em que 26,1% foram gastos em cartazes, estruturas e telas e 21,7% em espetáculos, comícios e caravana, e 10% em brindes e ofertas.Por último, o Movimento Independente Mexer Com  Nisa, com uma receita de 3.000€ de fundos próprios, sem direito a qualquer subvenção estatal. Apresentou uma despesa do mesmo valor da receita (3.000€), onde se destacam as rubricas de “Propaganda, comunicação impressa e digital” com 43% e “Estruturas, cartazes e telas” com 33.3% do total da despesa.
E, contas são contas! Tal como diz o ditado popular "À mulher de César não basta ser séria, tem de parecer séria", e a prestação de contas é algo que já devia estar enraizado na nossa cultura democrática de quatro décadas de poder local.
Nota: Este texto teve como principal fonte: informação pública e disponível no site do Tribunal de Contas da República Portuguesa, com acesso livre a qualquer cidadão.
JOSÉ LEANDRO LOPES SEMEDO

CANÇÕES DE ABRIL

Castelo de Vide assinala Dia do Idoso

A Câmara Municipal divulgou o cartaz da celebração do Dia do Idoso, no próximo dia 1 de Outubro, a partir das 13 horas no Salão dos Bombeiros. O evento é animado por Arcílio & Companhia estando garantido o transporte (12:30 horas) a partir de Póvoa e Meadas ((Jardim).

No entanto, as inscrições decorreram apenas até dia 26 de Setembro nas Juntas de Freguesia para os "maiores de 65 anos com recenseamento no concelho".

26.9.14

Motards de Portalegre também são dadores de sangue




Os homens e mulheres, que se realçam nestas linhas, vieram de Arronches, Nisa, Campo Maior e, claro está, da cidade e de freguesias de Portalegre. Tratou-se de mais uma dádiva concretizada pela Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre – ADBSP – em parceria estreita com o Grupo Motard Novo Milénio de Portalegre que, no segundo sábado de Setembro, comemorou o seu 15.º aniversário.
A colheita decorreu na parte da manhã, no kartódromo de Portalegre, e inscreveram-se 46 pessoas disponíveis a estender o braço. Destas: uma dezena era do sexo feminino. Uma vez avaliados os voluntários alguns não puderam colaborar, mas sempre foram recolhidas 41 unidades de sangue total.
Cinco pessoas doaram sangue pela primeira vez. Registaram-se também duas inscrições no Registo Nacional de Dadores Voluntários de Células de Medula Óssea.
No local da colheita realizou-se o almoço convívio gentilmente oferecido pelo Grupo Motard Novo Milénio de Portalegre.
António Eustáquio, da ADBSP, mostrou-se encantado com a colaboração demonstrada, mais uma vez, pelos motards, pessoas que estão sempre prontas a colaborar. E a Associação estará continuamente disponível para realizar parcerias com o Grupo Motard Novo Milénio de Portalegre.
Arronches
Como temos vindo a divulgar: a ADBSP empreende brigadas em sábados das 09.00 h às 13.00 horas. A próxima está prevista em Arronches, a 04 de Outubro, na sede do Rancho Folclórico.
Compareça!
 JR

OPINIÃO: Ainda as homenagens prestadas a João Francisco Lopes e Fernando Carita

Completar a homenagem: da indispensabilidade da inclusão dos seus nomes na toponímica nisense, perpetuar os seus nomes.
(“Ergue-se e enobrece-se a cidade quando os cidadãos se levantam em esforço, dignidade, inteligência, sentimentos fraterno.” in Portalegre, Imagens, Alberto Moreira
 Apesar das justíssimas homenagens a duas figuras, a dois filhos de Nisa que souberam pelo seu exemplo e obra colher os aplausos gerais dos seus conterrâneos, impõe-se a inclusão e registo dos seus nomes na toponímica nisense (um o homem bom, a quem não se conhecem extremismos, antes ponderação, bom senso, desde atleta exemplar com a camisola do nosso sempre grande Sport Nisa e Benfica até ao atleta do serviço e dinamismo cívicos e social em várias sedes, e ainda o escritor, e o autor auto-didacta brilhante na escatologia e no aprofundamento e análise históricas, o investigador sensível pelas coisas da sua terra, da actividade social do homem.
E o outro homenageado tendo partido para o lado de lá da vida logo os seus amigos, colegas e alunos o agraciaram com honra, tal o gosto reconhecendo o testemunho da Vida pessoal do nosso conterrâneo, o seu valor moral e intelectual.
Os seus alunos, os seus colegas jamais esquecem o homem, o poeta, o intelectual brilhante, o homem profundo e bom que soube ser.
Se lembram da sua figura e nome, para celebrar a glória que foi a sua existência não prescindindo do seu nome enquanto patrono num concurso prestigiado de literatura, ficando o seu nome a ombrear com outros que pelo seu valor, vida e obra ficam para sempre na História e ainda ao lado de outros nomes prestigiados da intelectualidade portuguesa.
Parte um jovem mas a sua poesia e a sua vida revelam um exemplo superior de intelectual, do amigo, de poeta, do professor em quem repousa o carinho expresso dos seus alunos, do colega Professor que os seus colegas não esquecem nunca…
“Eu por Ti dava a minha vida por Ti dava a minha vida
Meu anjo por Ti  dava toda a minha vida.
Meu Anjo que vens do Altíssimo meu anjo que me beijas
Meu Anjo que vens do Altíssimo e me beijas e me beijas
Vens do Altíssimo.
Meu Anjo
Eu quero estar contigo no Céu
Meu Anjo
Quero estar contigo na terra e no Céu
Na Terra e no Céu “
São versos dum lindíssimo poema que lhe dedica uma amiga.
Os amigos não encontram palavras para o definir, tal a beleza do ser do nosso conterrâneo.
E a Exm.ª Câmara acompanhou, soube perceber a honra do momento, aguardando-se a compilação dos textos poéticos e provavelmente de alguns inéditos.
Este homem transfigurado pelo sofrimento, que terá sobrevindo logo no fim do curso e que em vez da revolta escolheu a beleza do Amor, e persuadido pela indispensável necessidade de linguagem não descurou o aspecto intelectual que o eleva a um nível como poucos.
É pois indispensável perpetuar os seus exemplos incluindo-os na toponímica nisense o que parece ser competência actual da Junta de Freguesia (Art.º 16.º,1 alínea w da Lei 75/2013, de12 Setembro (NRJAL). 
Vosso, sempre  
João Castanho

AL MOSSASSA: Duas localidades, uma história em comum…



Marvão une-se a Badajoz para celebrar a Al Mossassa, numa justa homenagem à cultura islâmica e a Ibn Marúan, figura ímpar e visionária, fundador das duas localidades. Nos dias 3, 4 e 5 de Outubro recue no tempo, até ao séc. IX, para recordar as nossas origens e reviver o ambiente da época.
Música árabe, espectáculos de danças orientais, recriações históricas, encantadores de serpentes, aves de rapina, passeios de burro, espectáculos de teatro, malabaristas, artes circenses, artesãos que trabalham ao vivo, ou lutas de espada, são motivos mais do que suficientes para não perder este genuíno evento.
Celebrar a cultura islâmica é reviver o nosso passado histórico e cultural. O “Mercado das 3 Culturas”, situado na parte alta da vila, é um espaço aberto à imaginação e à história, repleto de fabulosas recriações e animadores que interagem com os visitantes. Neste local, de homenagem às culturas cristã, judaica e muçulmana, encontrará ainda mais de 70 pontos de venda.
Para domingo (dia 5, às 16h), no Salão Nobre dos Paços do Concelho, está agendada uma Conferência sobre “A vida quotidiana ao tempo de Ibn Maruan”, proferida pela Professora Susana Gomez.
Na nona edição da Al Mossassa, o Município de Marvão conta com a importante parceria do Turismo Nacional de Marrocos. Ao longo dos três dias de evento poderá conhecer os usos e costumes do povo marroquino, através de artesãos, dos seus produtos tradicionais, ou das famosas tatuagens de Henna.
Outra das novidades nasce de uma parceria entre a autarquia e o Centro Cultural de Marvão, associação a quem foi atribuída a concessão do Castelo. Durante o Festival, vai ser possível visitar este Monumento Nacional, de forma gratuita, bastando para isso, a apresentação da pulseira de entrada no recinto.
A inauguração oficial do “Mercado das 3 Culturas” está marcada para sexta-feira, dia 3, às 17h30. Visite Marvão e reviva os tempos da nossa Fundação.

25.9.14

NISA: Câmara promove Actividades Desportivas para seniores


PORTALEGRE: Fundação Robinson assinala Jornadas Europeias do Património 2014

Sob o tema ''Património, sempre uma descoberta'' a Fundação Robinson organizou, para o dia 28 de Setembro, uma visita comentada à antiga Fábrica da Rolha de Portalegre que laborou entre 1848 e 2009. A visita terá como elemento fundamental a presença antigos operários. Nesse aspecto, pretende-se evidenciar não só o potencial do património material que ainda se conserva in situ, mas a riqueza dos testemunhos dos antigos operários para a preservação da memória deste antigo espaço fabril.
As Jornadas Europeias do Património são uma iniciativa anual do Conselho da Europa e da União Europeia, envolvendo cerca de 50 países, tendo como objetivo a sensibilização dos cidadãos para a importância da proteção do Património. Em 2014 pretende-se chamar a atenção para a permanente novidade que o Património Cultural encerra, sempre atualizado através de novo conhecimento, novos olhares e novas interpretações; de igual modo o enorme potencial do Património, construído ou imaterial, e a sua  importância determinante para um desenvolvimento harmonioso e equilibrado da sociedade.
INFORMAÇÕES SOBRE A ACTIVIDADE
DIA: Domingo, 28 Setembro
HORA: 14H30
LOCAL: Largo do Jardim Operário (em frente à Fábrica Robinson)
DESTINATÁRIOS: Público em geral
Recomenda-se a utilização de roupa adequada à visita a um antigo complexo industrial.
As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas através do telefone 245 307 532, ou para o seguinte endereço electrónico fundrob.divulgacao@gmail.com. Pode ainda solicitar informações  presencialmente no Núcleo da Igreja do Convento de São Francisco de Terça-feira a Sábado entre as 10:00h -13h00 e as 14h30 -18:00h

Delegação do PCP recebida na União dos Sindicatos do Norte Alentejano onde apresentou o seu PIIES.

Uma delegação da Direção da Organização Regional de Portalegre do Partido Comunista Português foi ema 22 de Setembro, recebida a sue pedido na União dos Sindicatos do Norte Alentejano.
A delegação do PCP, chefiada por Fernando Carmosino, apresentou à Direção da USNA/cgtp a sua proposta de Plano Imediato de Intervenção Económica e Social (PIIES) e procurou recolher as preocupações e reivindicações do Movimento Sindical.
A delegação da USNA, constituída pela sua Comissão Executiva deu a conhecer as preocupações do Movimento Sindical face à situação que se vive na região, saudou a iniciativa do PCP e procurou contribuir com as suas reivindicações e propostas para o enriquecimento do documento em análise.
A necessidade de reindustrialização do distrito e a aposta nos recursos endógenos, a necessidade de garantir aos trabalhadores e à população um nível de rendimentos compatíveis com a dignidade de quem trabalha ou trabalhou foram alguns dos temas debatidos.
Também a defesa dos serviços públicos e da sua qualidade e a recolocação da nossa capacidade de circular no interior do distrito e para as regiões limítrofes mereceram a concordância de ambas as delegações.

A Comissão Executiva da USNA/cgtp-in

HUMOR EM TEMPO DE CÓLERA

Nova nota vem com música
Cartoon de Henrique Monteiro in http://henricartoon.blogs.sapo.pt

MONTALVÃO (Nisa): Comemorações do Dia Nacional dos Castelos

Celebrações do Dia Nacional dos Castelos
Montalvão – 4 de outubro de 2014
PROGRAMA
* 11H00 – Casa do Povo de Montalvão, conferência:
* Rui Correia - Presidente da Direcção da Associação Vamos à Vila
 “Abertura”
* Francisco Almeida - Presidente da Junta de Freguesia de Montalvão - “Boas Vindas”
* Doutora Ana Paula Amendoeira - Directora Regional de Cultura do Alentejo
* Dr. José Dinis Murta - “Montalvão, a Vila e o Castelo”
* Cor. Eng.º Francisco Sousa Lobo – Presidente da Direcção da Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos - “Montalvão, um castelo na fronteira”
* Doutora Ana Maria Paiva Morão - CLEPUL/Centro de Tradições Populares Portuguesas, Universidade de Lisboa - “O Castelo de Montalvão e a Literatura Popular”
12H30 – Visita ao Castelo
15H00 – Escola Primária, abertura de duas exposições
Sala 1 – Montalvão, tradições, usos e costumes
Sala 2 – A presença da Ordem dos Templários em Portugal
17H30 – Igreja Matriz de Montalvão, concerto musical com Ensemble de Cordas do Conservatório Regional de Castelo Branco, direcção do Prof. Nicolas Celis

Ródão promove 2ª edição do festival das Sopas de Peixe

O II Festival das Sopas de Peixe, promovido pela autarquia de Vila Velha de Ródão, constitui uma aposta nos recursos endógenos da região valorizando um produto diferenciador e típico do concelho, como são as Sopas de Peixe, um prato com uma forte ligação à tradição piscatória de Vila Velha de Ródão e de uma grande parte deste concelho, ribeirinho dos rios Tejo e Ocreza.
Este evento, que se realiza entre os dias 25 e 28 de setembro, pretende mobilizar as diferentes vertentes que potenciam o turismo deste território, como a gastronomia, o património natural e a paisagem, o património cultural com destaque para a arte rupestre, o lazer, os percursos pedestres e os desportos náuticos.
O evento pretende criar sinergias numa programação transversal composta por atividades culturais e lúdicas de interesse, não esquecendo a animação musical de rua e um grande concerto, a realizar na Casa de Artes e Cultura do Tejo, no dia 27 de setembro, com os OqueStrada.
Destaca-se ainda a promoção e degustação dos produtos locais de comprovada excelência e a Peixada Tradicional, com fins solidários a realizar no cais de Ródão e destinada aos participantes nos percursos pedestres e no concurso de pesca.
A autarquia, ao promover este evento, pretende divulgar e potenciar esta receita antiga e ao mesmo tempo mostrar o potencial turístico do território rodense.
Um evento com tradição, gastronomia, música, percursos pedestres, concurso de pesca, visitas guiadas com transporte gratuito e muito mais. Conheça os restaurantes, alojamentos e serviços aderentes e prove as melhores Sopas de Peixe da região.
Serviços e alojamentos aderentes
Passeios de barco> Estalagem Portas de Ródão > Casa da Palmeira >Vila Portuguesa
Restaurantes aderentes
O Mangual> O Rato> Vale Mourão> Estalagem das Portas de Ródão> A Ponte do Enxarrique> O Júlio> JJ> O Motorista> Varanda da Vila

XI Feira do Livro na Casa da Cultura de Marvão

O Município de Marvão promove a XI Feira do Livro do concelho, entre os dias 3 e 12 de Outubro, na Casa da Cultura, com o objectivo de promover os hábitos de leitura junto dos marvanenses e de todos os que nos visitam. No dia 5 (domingo), pode assistir à apresentação da obra “É Tarde Demais“, de Deolinda Milhano, a partir das 15h30.
Este evento, destinado à promoção do livro e da leitura, entre todas as idades, decorre em paralelo com o Festival Islâmico Al Mossassa, que se realiza nos dias 3, 4 e 5, e onde os nossos visitantes poderão adquirir as melhores obras literárias da actualidade, de diversas editoras, como a Porto Editora, Presença, Civilização, Asa, Leya, ou Colibri.
Durante estes dez dias, na Casa da Cultura (entre as 10h e as 17h), poderá também apreciar a Exposição “As Mouras Encantadas”, de Sofia Pinto Correia.

24.9.14

FALAGUEIRA (Nisa) Associação Cultural discute Orçamento e Plano de Actividades para 2015

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA DE FALAGUEIRA
CONVOCATÓRIA
Nos termos da Lei e dos Estatutos, convocam-se todos os associados para uma Assembleia Geral Ordinária, a ter lugar pelas 21.00 horas do próximo dia 27 de Setembro na sede social da Associação, com a seguinte Ordem de Trabalhos:
Ponto 1 - Orçamento e Plano de Actividades para o ano 2015.
Ponto 2 – Informações de interesse geral da Associação.
Na falta de quorum à hora indicada, a Assembleia reunirá em segunda convocatória, às 21.30 horas, com qualquer número de associados presentes.
Falagueira, 5 de Setembro de 2014
O Presidente da Mesa da Assembleia Geral
Vítor J. Pereira

Quercus promove Canoagem na Ribeira de Seda - Avis

Integrada nos Jogos Concelhios – Avis 2014, o Núcleo Regional de Portalegre da QUERCUS, vai organizar no próximo dia 27 de Setembro, uma descida em canoa e kayak, na Ribeira de Seda, em Avis.
Esta descida terá início na descarga da Barragem do Maranhão, e terminará junto à ponte de acesso à povoação de Cabeção (Ponte da Ordem). O percurso será de nível médio/baixo, com uma duração de cerca de 3,5 horas, e decorrerá por locais de grande interesse paisagístico e ambiental.
Serão realizadas actividades de observação de fauna e flora, assim como abordadas temáticas relacionadas com a educação ambiental.
Durante o percurso existirá uma presença permanente de elementos da organização, estando a concentração de início da actividade marcada para as 8.00h, junto ao Clube Náutico de Avis.
As inscrições terão um custo de 2 euros (valor do seguro) e estão abertas a todos os interessados até ao dia 25/9/14 (23.00 horas), sendo as mesmas limitadas ao número máximo definido. A inscrição inclui o seguro e o material mínimo indispensável à realização da actividade (embarcação, pagaia e colete).
Para mais informações, ou inscrições, devem contactar pelos e-mails: portalegre@quercus.pt // quercus.portalegre@gmail.com ou Telefones: 96 010 70 80 // 96 020 70 80), sendo que para efeitos de inscrição devem enviar nome completo, data de nascimento, número de documento de identificação e contacto telefónico directo.
Apoio: Município de Avis

NISA: Inicaminhada "Rota das Aldeias"


"Os Verdes" alertam: "Chuvadas de ontem levantam questões de fundo e salientam debilidades políticas"

A intempérie ocorrida ontem no país com danos e prejuízos avultados para as populações e municípios, principalmente em Lisboa, deve levar-nos a refletir não só sobre as falhas da proteção civil ocorridas, nomeadamente as questões de prevenção e coordenação que deverão ser apuradas, como ainda sobre a forma como o país se tem preparado para as consequências das alterações climáticas que se fazem sentir.
Esta chuvada ocorreu precisamente no dia em que encerrou oficialmente a Semana Europeia da Mobilidade e na véspera do início da Cimeira do Clima. Desde a conferência do Rio, em 1992, que muitas cimeiras têm ocorrido e se têm estabelecido protocolos. No entanto, não se conseguiu travar o fenómeno das alterações climáticas e muito poucos países tomaram medidas de adaptação, como é o caso de Portugal. No passado inverno, a debilidade face à situação foi particularmente visível na costa portuguesa e, apenas entrados no Outono, já os espaços urbanos deram mostra das suas fragilidades face às ocorrências excecionais e particularmente violentas que todos os estudos, nomeadamente os realizados em Portugal, apontavam que iriam acontecer e ser cada vez mais frequentes.
A redução da emissão de CO2 e de outros gases poluentes era fundamental para mitigar esta situação. Em Portugal, sendo os sectores da indústria e dos transportes os principais responsáveis por estas emissões, era aí que se esperava, deste e dos anteriores Governos, uma atitude e propostas políticas indutoras de uma verdadeira mudança. Mas tal não aconteceu, antes pelo contrário. E foi mais às consequências da crise do que às políticas e às ações governativas, ao encerramento de numerosas empresas e ao desemprego consequente, que se deve o abrandamento das emissões poluentes ligadas à produção e aos transportes.
Por exemplo, com o Plano Estratégico de Transportes (PET), este Governo promoveu uma política exatamente contrária à necessária, encerrando centenas de quilómetros de linhas ferroviárias e desmantelando a rede ferroviária nacional, deixando assim vastas áreas do território, nomeadamente as zonas deprimidas, sem transportes coletivos, aumentando as tarifas, não melhorando a intermodalidade.
Tudo situações que “Os Verdes” acabam novamente de confirmar “in loco”, através das iniciativas que levaram a cabo para assinalar as jornadas da mobilidade, no quadro das jornadas ecologistas no Distrito de Santarém, onde verificaram também que, no dia 1 de Setembro deste ano, foram suprimidas novas ligações entre as sedes de concelho e as freguesias, remetendo os cidadãos para o uso individual do carro, contrariamente ao que seria desejável do ponto de vista ambiental.
Por outro lado, ao nível da adaptação tão fundamental para mitigar os impactos negativos das consequências das alterações climáticas, as medidas foram nulas e só tomadas a posteriori, tal como aconteceu na costa portuguesa. E o que é verdade é que, no ordenamento do território, das florestas, nos recursos hídricos, no urbanismo... a grande maioria da legislação produzida e das ações concretizadas não apontam uma inversão das opções políticas de fundo, tal como se pode verificar com os PIN’s que levaram à destruição de zonas húmidas, com os eucaliptos que deixam o país à mecê dos incêndios e com as barragens que retêm os inertes que fazem falta na costa. E vem agora o Governo PSD/CDS-PP acenar com a “Fiscalidade Verde” como se fosse a poção mágica para resolver todos estes problemas.
“Os Verdes” consideram que, perante esta falta de atuação concreta e de fundo para mudar o paradigma das alterações climáticas, as populações estão cada vez mais em risco e o país a empobrecer economicamente e também ao nível da sua biodiversidade. “Os Verdes” pouco esperam desta nova cimeira do clima e menos esperam ainda da atuação do Governo português.
O Partido Ecologista “Os Verdes”

NISA: Festa dos Artilheiros de 1973


Ordem dos Médicos mostra obras de médicos pintores

Distrito Médico de Portalegre inaugura Exposição de pintura a 25 de Setembro
O Distrito Médico de Portalegre da Ordem dos Médicos vai inaugurar no dia 25 de Setembro, na sua sede, uma exposição de pintura com obras de vários médicos do distrito de Portalegre.
Esta iniciativa visa dar a conhecer algumas das obras que os médicos autodidatas pintaram nos seus tempos livres e que mostram o lado mais privado e intimista destes profissionais.
António Ventura, Fátima Pereira, Jaime Azedo, João Transmontano e Orlando Pereira são os médicos que expõem trabalhos em aguarela, óleo e pastel seco.
A Exposição de Pintura estará patente na Sede do Distrito Médico de Portalegre da Ordem dos Médicos de 25 de Setembro a 24 de Outubro no seguinte horário de funcionamento: Segundas, quartas e quintas – feiras das 14h às 19h na Rua de São Bernardo loja 2 – 7300 -074 Portalegre.