30.4.15

NISA: Acção de divulgação do Politécnico de Portalegre na Biblioteca Municipal

Nas próximas semanas, o Instituto Politécnico de Portalegre irá levar a cabo uma ação de divulgação, em colaboração com as Câmaras Municipais do Distrito.
O IPP estará disponível, presencialmente, no seu concelho, para esclarecer todas as dúvidas sobre: Concurso para Maiores de 23, Concurso Nacional de Acesso, Oferta Formativa, Apoios Sociais, Propinas, entre outros.
Dia 06 de maio estará em Nisa, entre as 14h30 e as 18h30 , na Biblioteca Municipal.

MONTALVÃO: 1º Passeio Equestre e 2º Passeio Pedestre

No dia 16 de Maio a Associação Cultural “Vamos à Vila” promove um conjunto de iniciativas que incluem um passeio equestre, um passeio pedestre, um mini percurso infantil e um concerto da Big Band do Conservatório Regional de Castelo Branco, dirigida pelo Maestro Pedro Ladeira.
Este evento insere-se nas actividades que esta Associação tem organizado não só para os associados, como para o público em geral.
Para mais informações e inscrição consulte www.vamosavila.com ou no facebook da “Vamos à Vila”.

INFORMAÇÕES
* Percurso equestre (destinado a participantes com montada própria)
Distância: 22km
Dificuldade: média
Concentração: 8h30
Partida do recinto das festas |Vale de Ordens | Srª dos Remédios | Fajã | Rio Tejo |
Barragem de Cedillo | Rio Sever | Casa do Povo de Montalvão
NOTA: Na hora da partida, os cavaleiros deverão entregar um cabrestão à organização, que se encarrregará de o levar para o local onde os cavalos ficarão durante a hora de almoço.
* Percurso Pedestre/Fotográfico
Distância: 13km
Dificuldade: média
Concentração: 08h30
Partida do recinto das festas | Vale de Ordens | Palmeirinha | Pai Lázaro | Barreiros Vermelhos | Casa do Povo de Montalvão
Aconselha-se o uso de calçado e roupa adequada; chapéu e protector solar.
* Mini Percurso (urbano)
Percurso urbano por Montalvão
Dificuldade: fácil
Concentração: 08h30
Partida do recinto das festas | Castelo |Igreja Matriz | Casa do Forno | Igreja de
São Pedro | antiga Escola Primária | Casa do Povo de Montalvão
As crianças devem fazer-se acompanhar por um adulto responsável.

28.4.15

NISA - Morreu o Manuel Bicho: Músico e ex-prisioneiro de guerra

A notícia correu por toda a vila e a todos apanhou de surpresa. Morreu o Manuel Bicho, o homem da concertina e que popularizou, como poucos, a canção “Sara”, um autêntico hino popular na sua voz.
Nascido em Maio de 1939, Manuel Dinis Figueiredo Bicho era uma figura popular, não só da vila de Nisa, mas de todo o concelho e até do distrito.
Era um exímio acordeonista. Animou a vila em milhentos bailes, casamentos, acompanhamentos, sortes, enfim nos eventos festivos que suavizavam a crueza dos dias e dos meses, nos anos que antecederam a “Revolução dos Cravos”.
Manuel Bicho, não se limitou a tocar concertina e a dar um pouco de alegria aos seus conterrâneos. Jogou futebol no Nisa e Benfica, era amante da columbofilia e foi dos primeiros nisenses a sofrer na pele os horrores e as vicissitudes da guerra colonial.
Em 1961, quando o exército indiano invadiu os territórios de Goa, Damão e Diu, até aí sob administração portuguesa, Manuel Bicho e muitos militares portugueses, entre eles outros nisenses, foram feitos prisioneiros, quase sem oferecerem resistência, tal a precariedade do armamento de que dispunham e a enorme desproporção de meios humanos, entre o exército português e o indiano.
A ordem de Salazar era para que resistissem, para que morressem como mártires, ordem que o general Vassalo e Silva se recusou a cumprir, com essa atitude salvando a vida a milhares de portugueses.
Regressado a Portugal são e salvo, Manuel Bicho fez-se comerciante de frutas e outros géneros alimentares, não deixando de tocar a sua concertina e continuando a animar as festas e convívios para que era solicitado.
Os ex-militares da Índia, de todas as patentes, desprezados por Salazar e pelo regime, foram devidamente reintegrados com o 25 de Abril.
Por ironia do destino, Manuel Bicho viria a falecer, um dia após o 41º aniversário da “Revolução dos Cravos”, uma data histórica que ele tanto acarinhou.
O seu funeral hoje, dia 27, realizado, constituiu uma grande manifestação de dor e pesar, numa derradeira homenagem a um filho de Nisa que, com a sua música e o seu acordeão, contribuiu para transformar o negrume dos dias e da existência em radiosa promessa de esperança e futuro.
Morreu o Manuel Bicho: que a terra lhe seja leve!
Mário Mendes

NISA: Abril nas Freguesias e Feira do Queijo na Agenda de Maio

A Câmara Municipal de Nisa divulgou a agenda de eventos de carácter cultural e recreativo para o mês de Maio.
Na 1ª quinzena do mês e logo a iniciar, destaque para a realização da Feira do Queijo em Tolosa, associada à Prova de Vinhos e ao 1º Festival da Caracoleta Assada, iniciativa da Aptos que culmina com um baile.
No dia 2, prossegue o programa “Abril nas Freguesias” com a actuação do grupo Bombos de Nisa em Pardo (16 h) e Arneiro (17h).
No dia seguinte (3 de Maio) são as Contradanças de Alpalhão que actuam em Velada (16,30h), Monte Claro (17,30h) e Falagueira (18,30h).
“Velocidade Furiosa 7” é o filme que estará em exibição no Cine Teatro de Nisa, no dia 9, às 21,30h.
Dar a conhecer os trâmites e as disposições legais dos contratos de fornecimento de electricidade e de gás natural é o objectivo da sessão a realizar no dia 13, às 10,30h no auditório da Biblioteca Municipal.
Uma sessão de informação e esclarecimento aberta a todos os consumidores e munícipes.
No dia 16, o prof. Freitas do Amaral estará em Nisa, a convite da Associação Nisa Viva para proferir uma Conferência sobre “Crise Económica e Democracia”.
A iniciativa tem lugar no Cine Teatro e início às 16 horas.
Sem referência na Agenda, mas ainda nesta 1ª quinzena, destaque para a realização no dia 3 para a realização do Torneio do Jogo da Malha, às 9 horas, no terreno em frente à Caixa Geral de Depósitos. A organização é da União de Freguesias do E. Santo, Srª da Graça e S. Simão e da Associação de Jogos Tradicionais do Distrito de Portalegre com o apoio da Câmara.
A finalizar, uma iniciativa solidária: a Noite do Fado no quartel dos Bombeiros Voluntários de Nisa, com entradas a preços módicos e que revertem para a ajuda na aquisição de uma nova ambulância.
O cartaz do espectáculo  integra um conjunto de valorosos fadistas como Luís Capão, Célia Soares, Joana Capela e Valéria Carvalho, que serão acompanhados instrumentalmente pelos credenciados  artistas António Sereno, João Carvalho e Samuel Garção.
Não perca este espectáculo e ajude os Bombeiros. Eles merecem e precisam de si!

NISA: Dois nomes para o cartaz de "Nisa em Festa"


Já são conhecidos dois dos nomes de artistas que farão parte do programa de "Nisa em Festa", organizado pela autarquia nisense e que terá lugar de 13 a 16 de Agosto.
Depois dos B4 surge agora o nome de Richie Campbell, artista que é presença habitual nos principais festivais de música no Verão, em Portugal.
Para além das datas e dos nomes destes artistas já anunciados, nada mais se sabe sobre o "Nisa em Festa", nomeadamente, se mantém a mesma localização, bem como o âmbito dos festejos. Vamos aguardar que surjam mais informações.

25.4.15

Dadores de sangue homenageiam António Joaquim Eustáquio

09 de Maio em Portalegre
No ano em que se celebra o 25.º aniversário da Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre – ADBSP – vai ter lugar a Homenagem, mais do que merecida, a António Joaquim Eustáquio. Figura bem conhecida e que dispensa apresentações. Homem que nas ultimas décadas é o rosto que representa a dádiva de sangue na região. Grande Amigo dos Dadores e também de quem, pelos mais variados motivos, necessitou de sangue ou medula óssea. A Associação, os Dadores e os Amigos de António Eustáquio vão homenageá-lo a 09 de Maio (sábado).
Esta iniciativa decorre de, a pedido do homenageado e por motivos de saúde, se ir desvincular do cargo Presidente da ADBSP, cargo que exerce desde 1990, data da fundação da Instituição.
Do programa da Homenagem consta, na entrada do serviço de Imunohemoterapia do Hospital de Portalegre (ao lado da Urgência), pelas 12,00 horas, o descerrar de uma placa alusiva. Seguem-se o almoço convívio, nas instalações do NERPOR, em Portalegre, e... algumas surpresas (ver cartaz).
As inscrições para o almoço podem ser efectuadas na sede da ADBSP (no piso 2 do Hospital Doutor José Maria Grande), ou através do mail adbsp25@gmail.com .
Contamos com a sua presença!

JR

25 DE ABRIL: A Festa do Povo e da Liberdade


23.4.15

ALPALHÃO: 12º Convívio de Pesca do Grupo Ciclo Alpalhoense


OPINIÃO: Água suja

 Durante anos ouvimos dizer que a água seria o petróleo do século XXI. Tendo Portugal bastantes recursos hídricos, o futuro apresentava-se risonho, com os portugueses a dispor de água barata e em abundância. Mas, percebe-se agora, a riqueza não vai ser para todos e está em vias de ser totalmente transferida para privados.
Nos últimos anos, foram inúmeros os concelhos que alienaram o negócio da distribuição de água através do mecanismo das parcerias público-privadas.
Em Barcelos, em Paços de Ferreira e em muitos outros municípios, os autarcas assinaram contratos ruinosos, garantindo preços elevados na água a pagar pelos consumidores, ao mesmo tempo que se comprometiam a consumos mínimos. Os cidadãos começam então a suportar preços exorbitantes; e, quando o consumo não atinge os valores previstos, as Câmaras assumem os custos, a título de indemnizações compensatórias. Neste modelo, os cidadãos pagam sempre: ou de forma directa, enquanto consumidores, ou indirectamente enquanto contribuintes.
Os novos donos do esquema são os que dominam os negócios das autarquias, os patos bravos: construtores e promotores imobiliários que criaram empresas no sector do ambiente. Agora, garantem rendas fixas num negócio em regime de monopólio.

A agravar tudo isto, alguns contratos são celebrados por prazos obscenos. Em Gaia, a concessão do serviço já vai em vinte e cinco anos e, em Braga, os parceiros privados da AGERE (empresa municipal com competência delegada) têm boas rentabilidades garantidas por cinquenta anos! Temos assim autarcas eleitos por mandatos de quatro anos a comprometer orçamentos municipais por duas gerações.
A machadada final prepara-se, desta feita a nível nacional. O governo quer reduzir o preço da água do interior à custa de aumentos aos consumidores do litoral. Como estes são muito mais, esta é uma forma disfarçada de aumentar a receita global. Engorda-se assim o negócio e já se avista a privatização no horizonte.
A água, que deveria constituir um serviço público essencial, e até um direito humano, está pois a transformar-se tão-só num negócio capturado por interesses económicos gananciosos.
Paulo Morais – Fio de Prumo – in “Correio da Manhã” 18/4/2015

22.4.15

VILA FLOR (Nisa): Caminhada da Saúde no dia 2 de Maio


NISA: Maria José Silva mostra a sua arte no Cine Teatro

A exposição “A Minha Arte” com trabalhos de artes plásticas da nisense Maria José Silva, é inaugurada no Cine Teatro de Nisa no dia 24 de abril pelas 21horas. A exposição está integrada no programa das comemorações do 41º Aniversário do 25 de Abril e estará patente até 23de maio.
Maria José Silva, nasceu em 1950 em Nisa, terra onde reside e tem o estúdio onde cria trabalhos em várias modalidades de artes plásticas.
Ainda frequentava a escola primária e já se comprazia a fazer desenhos. Com 17 anos de idade, decidiu começar a pintar a óleo sobre tela. Os resultados entusiasmaram-na e, sem mestre, foi experimentando técnicas, processos e tintas, corrigindo erros e criando um estilo próprio.
1972 foi um ano de grande atividade criativa. Diversificou os temas das composições a óleo: flores, árvores, paisagens, natureza morta, património, retrato. Em 1981, foi convidada pela edilidade nisense a expor os seus trabalhos pictóricos, na Biblioteca Municipal no âmbito das comemorações dos “700 anos da Vila de Nisa”. Seguiu-se uma exposição em Lisboa na Casa do Alentejo, e, mais uma vez, a crítica foi favorável. Recebeu rasgados elogios e incentivos para continuar, melhorar, aperfeiçoar-se e receber ensinamentos.
Frequentou então alguns cursos, nomeadamente: artes decorativas ministrado por Deolinda Bento (Alter do Chão); pintura em porcelana e azulejaria na União Portuguesa de Arte em Porcelana (UPAP).
Paulatinamente foi enveredando por outras áreas as quais constituem hoje um vasto e diversificado leque das suas atividades plásticas: Pintura a aguarela e pastel, pintura a óleo sobre tela, charão, escultura (sagrada e profana), mobiliário, tecido, madeira, vidro, azulejo, porcelana (impressionismo, companhia das Índias), trabalhos em estanho, cera e pirogravura.
Foi expondo os frutos do seu intenso labor, que, ao serem conhecidos, e sistematicamente bem acolhidos e apreciados, alguns exemplares fazem parte de coleções particulares de norte a sul do país  e outros embelezam espaços públicos em Nisa, Póvoa de Varzim e Portalegre, afora outros painéis de menores dimensões que ornamentam fachadas de edifícios privados.
Em 1997, tirou o curso de formadora no Centro de Formação Profissional de Portalegre e em 2000, em Évora, obteve o certificado de aptidão profissional. A convite de entidades oficiais tem ministrado inúmeros os cursos em Nisa, Tolosa, Portalegre, Beirã, Alagoa, Ponte de Sôr, Crato e Castelo de Vide.
O seu estúdio, lugar onde se aprende, se trocam experiências, se criam amizades, é frequentado quase diariamente por formandas oriundas de diversas localidades do Norte Alentejano, mas também de Castelo Branco, Lisboa …
Tem em execução um projeto grandioso sobre azulejaria, que muito brevemente irá enobrecer o património concelhio nisense.
A exposição “A Minha Arte”, no Cine Teatro de Nisa, traz, mais uma vez a público, uma mostra do riquíssimo e multifacetado manancial de obras que Maria José Silva tem produzido.
Nota: Texto enviado pela C.M.Nisa e publicado tal e qual como chegou

20.4.15

TOLOSA: APTOS organiza 1º Festival Caracoleta Assada


MONTALVÃO: "Big Band" na Casa do Povo, a 16 de Maio

A Associação Vamos à Vila, de Montalvão, promove no dia 16 de Maio, um concerto da Big Band - Banda do Conservatório Regional de Castelo Branco sob a direcção do maestro Pedro Ladeira. O espectáculo está marcado para as 16 horas na Casa do Povo, com entrada livre e constitui uma boa oportunidade para ouvir grandes temas do Jazz americano dos anos 20, recriados pela Big Band.

19.4.15

OPINIÃO: Nisa exporta com arte

 Todos os dias nas televisões, nas rádios ou nos jornais somos confrontados com números que nos “falam” das nossas brilhantes exportações, informação essa, acrescida da devida análise muito bem elaborada pelos especialistas da matéria, que nos debitam sonoras e alucinantes opiniões do alto das suas tribunas.
Chegam ao ponto de nos avassalar a cabeça com números e expressões do tipo: “2014 foi o melhor dos últimos 11 para as exportações da indústria têxtil e vestuário portuguesa” ou “Portugal vai terminar 2014 "muito bem" nas exportações”.
De uma forma geral, quase todos sabemos, e muito bem, a importância que assumem as exportações para o desenvolvimento socioeconómico de um determinado país ou região, por isso, não desprezamos de forma alguma, este importante indicador económico na sociedade atual e globalizada. Segundo o INE as exportações são “as transacções de bens e serviços (vendas, trocas directas e ofertas) de residentes para
não residentes. A exportação de bens verifica-se quando há transferências de propriedade económica de bens entre residentes e não residentes (quer se verifiquem ou não os correspondentes movimentos físicos de bens através das fronteiras). A exportação de serviços abrange todos os serviços prestados por residentes a não residentes.”

Mas, a que propósito vem esta prosa toda? Dirão os caros leitores, e muito bem! Pois como sabem, nestes últimos meses, tenho desenvolvido um conjunto de pequenos trabalhos de pesquisa, para alimentar os post’s de um humilde blog intitulado “NisaCentral”, o qual revela e analisa alguma informação estatística, acerca da região e principalmente do concelho de Nisa. Pois bem, quero partilhar com vocês, algumas dúvidas que me têm vindo a assaltar nestes últimos dias, acerca dos dados que tenho na folha Excel do meu computador, sobre as exportações do concelho de Nisa. Aqui vai:
No concelho de Nisa, as exportações sofreram um significativo aumento entre 2009 e 2013, passando de uns residuais 79 mil euros em 2009, para mais de 800 mil euros em 2013 (+ 1023%).
Analisando mais em pormenor, detetamos que estas exportações no concelho de Nisa são fruto de uma única atividade comercial, e mais estranho é que a mesma esteja relacionada com “Objetos de arte, de coleção e antiguidades”.
Pergunto eu, porque é que o concelho de Nisa exporta tantos objetos de arte, de coleção e antiguidades? E com montantes tão elevados… em 2013, mais de 800 mil euros, mistério! Como pode um concelho do interior dar-se ao luxo de exportar este volume de arte? Arte, sim! Não são produtos alimentares, não são produtos transformados em fábricas, mas, antiguidades, de coleção e arte.
Impõe-se aqui uma questão central, o que está escondido nestes números oficiais do INE? Lanço aqui um repto, a quem de direito, que desvendem este mistério das exportações valiosas do concelho de Nisa. Para entender melhor o nosso tecido económico-social é fundamental ter uma informação clara, rigorosa e independente, a bem do desenvolvimento local.
Só espero que não sejam realmente verdadeiras antiguidades e coleções do nosso valiosíssimo património local.
Enquanto a transparência dos dados não chegam, o concelho de Nisa continua a exportar com arte, seja lá o que for entendido por objetos de arte, coleção e antiguidades.

JOSÉ LEANDRO LOPES SEMEDO

18.4.15

NISA: Assembleia Municipal discute a 27, medalhas atribuídas a 25 de Abril

A Assembleia Municipal de Nisa reúne em sessão ordinária no dia 27 de Abril tendo como um dos pontos da Ordem de Trabalhos, a "Atribuição de medalhas de Mérito Municipal, no âmbito das Comemorações do 41º Aniversário do 25 de Abril", cerimónia essa, realizada dois dias antes.
Em boa verdade, não ponho em causa o mérito ou demérito dos homenageados. Tão pouco questiono o critério ou critérios de uma escolha que, a ser justa, está 40 anos atrasada no tempo.
O que estranho é o "papel" de indiferença e de subalternização de um órgão autárquico como é a Assembleia Municipal que, a meu ver, deveria ser e ter (foi assim durante muitos anos) uma acção activa e determinante em todo este processo e não, como acontece, limitar-se a dizer "Ámen" e "aprovar" uma decisão e um acto de homenagem para o qual em nada contribuiu (nem foi chamada a participar em tempo útil) como seria imperioso e desejável - no respeito, aliás, pelo próprio Regulamento de Atribuição de Medalhas Municipais - numa cerimónia que deveria ser revestida do mais alto significado e não "fruto" da decisão apressada de um reduzido grupo de pessoas.
Esta situação nem sequer me choca, atendendo ao facto de esta mesma Assembleia Municipal, nomeadamente, a sua Mesa, principal responsável, não se ter dignado colocar no site do Município de Nisa, uma única Acta das Sessões em todo o ano de 2014.
Tal atitude não é compatível, e está mesmo em oposição, com a tão divulgada transparência que o Município reclama para si.
Os munícipes têm direito a ser informados e sê-lo num tempo útil. Proceder deste modo não é apanágio de transparência democrática, tornando vazios e sem sentido os discursos produzidos no 25 de Abril.
Mário Mendes

17.4.15

NISA: Torneio de Futebol "Vila de Nisa" em Veteranos

Disputa-se na tarde de sábado, dia 25 de Abril, no campo de jogos D. Maria Gabriela Vieira, em Nisa, com início às 15,30h mais uma edição do Torneio "Vila de Nisa" em Veteranos, numa organização da Associação de Veteranos  do Sport Nisa e Benfica.
Participam além do clube organizador, as equipas do CD Velha Guarda de S. Mamede (Portalegre e do Futebol Clube Monfortense.
A entrada é livre.

NISA: Sessão extraordinária da Câmara discute funcionamento das Termas


NISA: Final da Taça AFP de Futsal - Iniciados