27.2.13

ACIDENTE NO IC8: Motorista aponta estrada como causa do despiste

Marco António Semedo é de Nisa. Casado e com três filhos, tem 47 anos e reside na Portagem (Marvão).
Motorista de transportes colectivos desde 1998, era ele quem conduzia na manhã de dia 27 de janeiro o autocarro da empresa espanhola Autocarros Rabazo, de la Codosera (Badajoz), que se despistou no IC8, junto ao nó do Carvalhal, acidente do qual resultaram 11 vítimas mortais, todas de Portalegre e uma de Assumar (Monforte).
O nosso jornal foi falar com Marco Semedo, para saber como se sente e o que pensa deste trágico acidente alguém que viveu e vive o que ninguém quereria viver.
Alto Alentejo – Há quanto anos é motorista de autocarros e onde trabalhou?
Marco Semedo – Sou motorista desde 1998, trabalhei na Câmara de Castelo de Vide e presentemente na firma Autocarros Rabazo em Espanha.
AA Qual o tipo de serviço que faz habitualmente?
MS – Faço transporte de crianças para Albuquerque.
AA Faz muitas excursões?
MS – Sim, faço muitas, praticamente todos os fins de semana.
AA Alguma vez tinha tido um acidente?
MS – Não, nunca.
AA - Como é que se sente depois deste acidente?
MS - Estou a tentar integrar o que vivi… não é fácil, não está a ser fácil… Estou tenso, não sei como hei-de explicar... (pausa) estou magoado, estou sofrido e estou abatido com a situação.
AA - Tem sentido apoio de amigos e de conhecidos em geral?
MS – O pessoal amigo e a população em geral apoiam-me. Perguntam-me como estou e dizem-me para ter calma, para seguir em frente. E a empresa também me apoia.
AA – Também ficou ferido no acidente. O que lhe aconteceu e como está?
MS - Parti umas costelas e fiz uma pequena perfuração de um pulmão. Estou a fazer fisioterapia respiratória e estou de baixa. Vou agora à consulta do seguro do trabalho.
AA – E tem tido algum apoio psicológico?
MS – Infelizmente não. Desde o primeiro dia que não tive qualquer apoio. Não estou a dizer que deva ser protegido, mas acho que devia ter algum apoio que não tive.
Já os meus familiares – a minha esposa e a minha filha mais nova que também foram vítimas do acidente – tiveram apoio enquanto estiveram internadas em Coimbra, depois não tiveram mais qualquer apoio.
A Câmara de Marvão mostrou vontade de apoiar mas não tem nenhum técnico dessa área, e até ao momento não há resposta da Segurança Social.
AA – Mas sente que era necessário esse apoio psicológico?
MS – Nós pensamos que estamos bem mas se calhar até nem estamos, acho que deveríamos ter um apoio especializado. Os amigos e a população dão-nos apoio e força, mas não sei se será o suficiente.
AA – Toda a gente refere que é um motorista cauteloso. Acha que neste acidente ia com velocidade excessiva?
MS – Não, penso que ia numa velocidade adequada para as condições que estavam nesse dia. Era um dia chuvoso e havia algum nevoeiro e fui traído por uma situação da via em que a sinalização era mínima; eu nem me apercebi da sinalização, apenas vi um sinal que estava caído, que era “de perigo” mas em cima do acontecimento. Se o piso estivesse em condições normais, penso que a velocidade era normal. Eu já passei naquela estrada muita vez – agora desde Setembro ou Outubro que lá não passava – e por isso penso que seguia a velocidade normal.
AA – A sinalização estava devidamente visível?
MS – Não, não estava. E foi já testemunhado por várias pessoas que aquilo não estava sinalizado em condições. Para o grau de dificuldade que tinha aquela zona, estava muito mal sinalizado.
AA – Se bem que de alguma forma já o tenha respondido, quanto a si qual é que terá sido a causa do acidente?
MS – A causa do acidente foi o mau estado do piso naquele local. O piso estava mais ou menos em condições, mas havia um declive com uma certa profundidade, e se isso não é fácil para um carro ligeiro como foi testemunhado por outras pessoas, muito mais difícil é para um carro com uma dimensão daquelas em que o controlo se perde mais facilmente.
AA – Se pudesse transmitir uma mensagem às vítimas do acidente, tanto às que partiram com às que estão feridas, às que sofreram e às que estão a sofrer, o que lhes diria?
MS – Que lamento muito, muito sinceramente o acontecido. Às que partiram desejo que descansem em paz, às famílias envio as minhas sinceras condolências, e aos restantes desejo rápidas melhoras e completo restabelecimento.•
Entrevista ao "Alto Alentejo" - 27/2/2013

26.2.13

AMIEIRA DO TEJO: Festa do Senhor dos Passos

Realiza-se nos dias 16 e 17 de Março, em Amieira do Tejo, as tradicionais festividades em honra do Senhor dos Passos, com o seguinte programa:
Sábado - Dia 16
21h - Procissão do Calvário para a Igreja Matriz e em seguida da Matriz para a Capela da Misericórdia.
Domingo - Dia 17
10,30h - Chegada da Banda da Associação Filarmónica Montalvense 24 de Janeiro.
15 h - Missa na Igreja Matriz
Após a missa será realizada a Procissão do Senhor dos Passos pelas principais ruas da vila até ao Calvário.

NISA assinala Dia da Protecção Civil

“O cidadão: primeiro agente de Proteção Civil”
Assinala-se, no próximo dia 1 de março, o Dia da Proteção Civil, instituído por Despacho n.º 6915/ 2008, de 21 de fevereiro, do Ministro da Administração Interna.
O tema definido pela ANPC para realçar no Dia da Proteção Civil em 2013 é: ‘O cidadão: primeiro agente de Proteção Civil’.
Sendo o “primeiro agente de Proteção Civil”, o seu papel não se circunscreve, contudo, às situações de emergência. Há todo um trabalho de preparação e planeamento a desenvolver, junto dos seus familiares, vizinhos e comunidade, com o apoio de entidades locais (juntas de freguesia, serviços municipais de proteção civil, escolas, bombeiros e outras organizações).
Para assinalar a data mencionada vai concretizar-se uma ação de sensibilização que pretende realçar a importância das medidas de prevenção associadas aos incêndios florestais, nomeadamente através da gestão do combustível junto das edificações/habitações.
A iniciativa é promovida pelo CDOS de Portalegre, com a colaboração da Junta de Freguesia de São Matias e com o apoio do Serviço Municipal de Proteção Civil de Nisa, e respetivo Gabinete Técnico Florestal, sendo desenvolvida uma ação no terreno efetuada pela Equipa de Sapadores Florestais de Município de Nisa.
Esta iniciativa será desenvolvida na manhã de dia 1 de março de 2013 (sexta-feira), a partir das 9h30’, na envolvente da Escola Primária da localidade de Chão da Velha, Freguesia de São Matias, Concelho de Nisa (39°34'51.32"N; 7°43'38.88"W).

NISA: Memória do Cine Teatro (Fevereiro 1940)


Em Fevereiro de 1940, o Cine Teatro de Nisa exibiu quatro filmes, que foram vistos por 957 espectadores. A maior afluência de público registou-se no dia 25 - Domingo e Procissão dos Passos - com 451 espectadores.
Vinte e cinco anos depois, em 14 de Fevereiro de 1965, o Cine Teatro apresentou um filme épico, a super-produção "Zulu", com Stanley Baker no principal papel.
Quarenta e oito anos após a exibição de  "Zulu", os responsáveis do Cine Teatro de Nisa, brindam-nos com um filme recém galardoado com os "Óscares": Argo, a 10 de Março.
Oxalá, seja para continuar!...

AZU defende: Encerramento da central nuclear de Almaraz



"A Central Nuclear de Almaraz está com graves problemas, são 26 incidentes desde 2012! Não vale a pena discutir o grau de classificação do incidente. Se a peça que avariou é vital ou não! Sabemos dos problemas em geral que afectam o funcionamento da central, a corrosão dos geradores de vapor, a insuficiência dos sistemas de refrigeração de emergência entre outros, conforme explanou Francisco Castejón na sessão pública ocorrida a semana passada na Biblioteca Pública de Cáceres.
São paragens consecutivas que realçam de forma clara e evidente a degradação de toda a estrutura. A sua vida útil terminou há dois anos, não queremos acreditar que tenha sido a crise que levou a que se prolongasse o seu funcionamento por mais 10 anos.
A central nuclear fica a pouco mais 100Km de Portugal (Portas de Ródão), é refrigerada pelo Rio Tejo já de si tão maltratado pelos transvases, pela poluição dos esgotos de Madrid, pela escorrência dos químicos utilizados na agricultura intensiva, pelas industrias de celulose, entre outros!!!
Chega-nos a Lisboa um Rio completamente poluído e sem água, a poluição que se vê e a oculta (Almaraz). E não se manifestam? Há tanta água que confundem o Rio com o Oceano!
As populações dos distritos de Portalegre e Castelo Branco devem pedir transparência neste assunto ao governo português, e que este pressione o governo espanhol no sentido de encerramento definitivo da Central de Almaraz!"
A direção da AZU - 25.02.2013

25.2.13

NISA: Exposição de pintura Leone Holzhaus


Benjamins: Nisa e Benfica a um passo de vencer a Série C

Decorreu no passado fim de semana mais uma jornada dos diversos campeonatos organizados pela Associação de Futebol de Portalegre. 
O dado mais significativo desta jornada desportiva e no que respeita ao concelho de Nisa, reporta-se à prestação da equipa de benjamins (Sub. 11 - Futebol de 7) do Sport Nisa e Benfica que após vencer igual formação de O Elvas por 6-1 ficou a um pequeno passo de se sagrar vencedora da Série C deste escalão.
Para isso, basta-lhe vencer no próximo sábado o Portalegrense 1925, equipa que segue no último lugar da tabela classificativa.
Neste escalão, Benjamins, apresentamos resultados e classificações após a realização dos jogos deste fim de semana.
SÉRIE C 
Estrela C, 7 Portalegrense 1925 C, 0
Arenense -  Gavionenses *
Nisa e Benfica, 6 O Elvas C, 1
Castelo de Vide, 1 Eléctrico B, 2
CLASSIFICAÇÃO
Nisa e Benfica - 34 Pontos
2º Eléctrico B - 33
3º Gavionenses - 23
4º Arenense - 22
5º Castelo de Vide - 13
6º O Elvas C - 13
7º Estrela C - 11
8º Portalegrense 1925 C - 0
PRÓXIMA JORNADA - 2/3/2013
Gavionenses - Estrela C
Eléctrico B - Arenense
O Elvas C - Castelo de Vide
Portalegrense 1925 C - Nisa e Benfica

SÉRIE B
Estrela B, 6 CampomaiorenseB ,0
O Elvas B - Fronteirense *
Alter, 2 Crato,1
Eléctrico, 8 Condestável B,0
Folgou: Portalegrense 1925 B
CLASSIFICAÇÃO
1º Eléctrico - 33 Pontos
2º O Elvas B -27
3º Estrela B - 22
4º Portalegrense 1925 B - 19
5º Campomaiorense B - 19
6º Crato - 13
7º Condestável B - 8
9º AD Alter - 7
9º Fronteirense - 1
PRÓXIMA JORNADA - 2/3/2013
Campomaiorense B - O Elvas B
Fronteirense - AD Alter
Condestável B - Portalegrense 1925 B
FC Crato - Eléctrico
Folga: Estrela B

SÉRIE A
Portalegrense 1925, 10 Aptos Tolosa, 1
Campomaiorense, 2 O Elvas, 4
Monfortense, 0 Terrugem, 3
Condestável, 0 Estrela, 6
Folgou: Os Elvenses
CLASSIFICAÇÃO
1º O Elvas - 34 Pontos
2º Campomaiorense - 27
3º Estrela - 26
4º Portalegrense 1925 - 23
5º Terrugem - 18
6º Condestável - 16
7º Monfortense - 4
8º Os Elvenses - 4
Aptos Tolosa - 0
PRÓXIMA JORNADA - 2/3/2013
O Elvas - Estrela
Terrugem - Campomaiorense
Portalegrense 1925 - Condestável
Aptos Tolosa - Os Elvenses
Folga: Monfortense

23.2.13

NISA: O NAOM 2013 na RTP2


NISA: Cine-Teatro volta a ter Cinema!


Qual coelho saído da cartola e simultâneamente com a descoberta de um "testa-de-ferro" para candidato à autarquia,  servindo de "guarda-chuva" à actual presidente, a Câmara Municipal de Nisa vai voltar a dar utilização ao Cine Teatro.
Passaram-se já quase três meses sobre a "quadra natalícia" e a deliberação sobre exibição cinematográfica na "sala do Norte-Alentejano" e eis que, quase por magia (como é bom haver eleições!!!) são anunciados dois filmes para Março: ARGO, a 10 de Março e DJANGO LIBERTADO, a 24.
Embora tardia, saúda-se a decisão (ia a escrever determinação) do executivo nisense, devolvendo ao requalificado Cine Teatro de Nisa e aos cinéfilos locais, a oportunidade de voltarem a assistir a sessões de  cinema, não semanalmente como acontecia antes de a sala ser silenciada, há mais de dois anos, mas de quinze em quinze dias, para aliviar o orçamento.
Saudamos a iniciativa da autarquia nisense e fazemos votos de que a projecção cinematográfica, a par de outros espectáculos, teatrais e musicais, seja para ficar e não "espectáculo" para captar votos, em ano de eleições.
Para "sala fantasma" já nos chegam estes quase três anos de inactividade cultural!
Mário Mendes

CARNAVAL DE ALPALHÃO: O Dia de Compadres







URÂNIO DE NISA em Semana de Cinema sobre o Desastre de Fukushima


22.2.13

NISA: Rally Paper trouxe animação e cultura











Organizado pelo Oc-Opus Bar realizou-se no sábado, dia 9 de Fevereiro, a 16ª edição do Rally Paper de Nisa.
Treze equipas integrando 49 participantes, partiram à descoberta do concelho, da sua história, usos e costumes, partilharam saberes e emoções, no fundo, aproveitaram a iniciativa para festejar o sábado de Carnaval de um modo diferente, juntando-lhe, a finalizar, o animado jantar e convívio no salão de festas do Nisa e Benfica.
Na classificação, o 1º lugar, foi para a equipa, "Os Cegonhas", seguindo-se-lhes, as equipas "Os Primos" e "As Três Comadres". Este ano o Rally Paper decorreu pelas ruas de Nisa e Alpalhão, fazendo paragens para provas práticas no novo Monte Filipe Hotel & SPA e na Coudelaria Ribeirinho Paralta. Os organizadores mostraram-se satisfeitos por terem cumprido os objectivos do evento e pela resposta positiva dada por todos os participantes. A organização foi composta por Cristina Lopes, Anabela Dias, Catarina Serra, Maria João Cerejo, Ana Luisa Neto, Ana Pinto, Diogo Paralta, Nelson Dias, Pedro Carita, Joaquim Bicho, Marcus Salgueiro, Tiago Temudo e a grande colaboração de um elemento muito pequeno mas muito eficaz, sendo também a mascote da iniciativa, Simão Neto.
Mário Mendes in "Alto Alentejo" - 20/2/2013

21.2.13

POSTAIS DO CONCELHO: Nisenses em Lisboa


Ambientalistas contestam classificação de falha na central nuclear de Almaraz


O Conselho de Segurança Nuclear espanhol considerou como nível 0 de risco avaria momentânea em pressurizador. Há mais de duas dezenas de casos semelhantes por ano.
Ambientalistas espanhóis estão a contestar que uma falha técnica na central nuclear de Almaraz, a 150 quilómetros da fronteira com Portugal, no final da semana passada, tenha sido classificada como um evento sem qualquer significado em termos de segurança.
O evento ocorreu na sexta-feira, segundo uma nota divulgada pelo Conselho de Segurança Nuclear espanhol. Uma falha numa válvula do reactor Almaraz II afectou um pressurizador, que esteve temporariamente com níveis acima dos estabelecidos pelas normas técnicas da central. Na nota, não há qualquer indicação de paragem do reactor. O problema foi solucionado em 25 minutos.
O episódio foi classificado como sendo de nível 0 (sem problemas de segurança), segundo a escala internacional de eventos nucleares – ou seja, nem sequer foi considerado como um “incidente”. Houve 26 episódios de nível 0 nas centrais nucleares espanholas desde Janeiro de 2012, cinco dos quais em Almaraz.
A associação espanhola Ecologistas en Acción entende, porém, que o episódio de sexta-feira deveria ser classificado como um incidente de nível 2. Num comunicado, os ambientalistas dizem que o pressurizador em causa é uma peça central para a segurança do reactor, pois é este equipamento que garante o bom funcionamento do sistema de refrigeração das barras de combustível. Mesmo que não tenha consequências, uma falha num sistema principal de segurança é suficiente para classificar um evento nuclear com o nível 2.
O episódio também deixou inquietos os ambientalistas portugueses. “É uma situação que nos preocupa, porque a central devia ter encerrado há dois anos, depois de ter trabalhado durante 25, mas o Governo espanhol acabou por prolongar a sua actividade por mais dez anos”, disse o presidente da associação ambientalista Quercus, citado pela agência Lusa.
in "Público" - 19/2/2013

NISA: Procissão do Senhor dos Passos - 3 de Março


FUTEBOL DISTRITAL: O Campeonato dos Benjamins

Resultados e classificações das 3 séries do Campeonato Distrital de Futebol - Sub 11 (Benjamins)
SÉRIE A -  JORNADA
Estrela,2 Campomaiorense, 3
O Elvas, 14 Monfortense, 0
Terrugem, 14  Os Elvenses, 1
Aptos (Tolosa) - ADL Condestável
Folgou: Portalegrense
C L A S S I F I C A Ç Ã O
PRÓXIMA JORNADA - 23/2/2013
Portalegrense - Aptos Tolosa)
Campomaiorense - O Elvas
Monfortense - Terrugem
ADL Condestável - Estrela
Folga: Os Elvenses

SÉRIE B - JORNADA
ADL Condestável B, 1 AD Alter, 0
FC Crato, 2 O Elvas B, 5
Portalegrense B, 1 Eléctrico, 14
Fronteirense, 1 Estrela B, 5
Folgou: Campomaiorense B
C L A S S I F I C A Ç Ã O

PRÓXIMA JORNADA - 23/2/2013
Estrela B - Campomaiorense B
O Elvas B - Fronteirense
AD Alter - FC Crato
Eléctrico - ADL Condestável B
Folga: Portalegrense B

SÉRIE C - JORNADA
Estrela C, 1 Arenense, 5
Gavionenses, 9 Castelo de Vide,0
Eléctrico B, 7 Nisa e Benfica, 1
O Elvas C,6 Portalegrense C, 1

PRÓXIMA JORNADA - 23/2/2013
Estrela C - Portalegrense C
Arenense - Gavionenses
Castelo de Vide - Eléctrico B
Nisa e Benfica - O Elvas C

20.2.13

NORTE ALENTEJANO: Desporto em Movimento (1)


Mais de uma centena de equipas (101, para sermos exactos) participam nas provas federativas organizadas pela Associação de Futebol de Portalegre, movimentando mais de 1500 atletas e um significativo número de árbitros e técnicos desportivos.
Num distrito envelhecido e onde há cada vez menos crianças e jovens, o papel desempenhado pelo desporto, o futebol e o futsal, em particular, assume uma grande importância, na mobilização e ocupação salutar de jovens atletas e na dinamização das próprias localidades, entre estas algumas aldeias e vilas que, sem a competição desportiva e a animação proporcionada pelos clubes sentiriam, ainda mais, os índices da desertificação humana e a modorra dos dias sem vida e sem o colorido pulsar da juventude.
As provas federadas, sejam as do futebol, futsal, andebol, atletismo e outras, pelos jovens que movimentam e pelo esforço organizativo, não só das respectivas associações distritais como, principalmente, dos clubes, a que obrigam os seus dirigentes, deveriam merecer um outro destaque na comunicação social regional, mormente na imprensa escrita, pese embora a frágil e reduzida estrutura administrativa das associações que se reflecte, essencialmente, na divulgação dos resultados das diferentes competições que organizam, em tempo útil.
Quadro 1 - Equipas nas provas da AFP - 2012-2013
Essa referência seria, a meu ver, um contributo fundamental no sentido de levar aos norte-alentejanos, residentes e ausentes, uma informação mais objectiva e esclarecida sobre o fenómeno desportivo da nossa região em geral e de cada concelho em particular, servindo também e por outro lado, como um forte estímulo para os próprios protagonistas da realidade desportiva (associações, clubes, dirigentes, técnicos, atletas, etc.).
Procuraremos, por isso e neste blogue, dar a conhecer, semanalmente, resultados e classificações das diversas provas e modalidades desportivas da nossa região, destacando aquelas que mais carecem de visibilidade: os escalões de formação.
Mãos à obra!
Mário Mendes

NISA: Bombeiros formam cidadãos em primeiros socorros


Os Bombeiros Voluntários de Nisa promoveram nas suas instalações, uma acção de formação em Primeiros Socorros, curso que foi ministrado a dez formandos por três formadores da corporação: Sílvia Félix, João Carita e José Rodrigues.
 Sílvia Félix, comandante dos Bombeiros e uma das formadoras do curso, explicou-nos os objectivos desta iniciativa.
“Essencialmente, procurámos aproximar os bombeiros da população e porque sentimos que há uma ausência de conhecimentos básicos, a nível da população, de primeiros socorros, conhecimentos esses que, em dados momentos, podem ser decisivos.
Demos a conhecer o sistema interno de emergência médica, o suporte básico de vida, alguns exemplos práticos de técnicas de intervenção e reanimação, e posso dizer que o curso superou as expectativas, havendo boa resposta por parte dos formandos, de tal modo que se perspectiva a realização de mais acções semelhantes”
Os Bombeiros de Nisa querem contribuir para uma melhor consciencialização dos cidadãos do concelho em matéria de saúde e segurança. O primeiro passo já foi dado. Outros se seguirão, assim haja interessados.
 Mário Mendes

19.2.13

Inijovem divulga Plano de Actividades para 2013


A Inijovem – Associação para Iniciativas para a Juventude de Nisa divulgou o seu calendário de actividades a realizar em 2013, destacando entre estas, a XIV Rota do Contrabando e a Caminhada Nisa Fátima.
Os passeios pedestres e as actividades de contacto com a natureza contribuem, de resto, em grande escala para o calendário da Inijovem, associação que mantém em funcionamento uma secção de andebol, com uma equipa a disputar a fase regional do campeonato nacional de iniciados masculinos e uma equipa federada de pesca desportiva, uma secção autónoma que tem proporcionado a obtenção de bons resultados desportivos.
Os convívios de pesca desportiva, abertos e inter-sócios, os torneios de ténis de mesa, a prova de jangadas artesanais e o 2º passeio de canoas são outras das actividades que integram o Plano de Actividades de 2013 da Inijovem.
No corrente mês, a associação participou na caminhada “Rota do Imperador Carlos V, realizada no dia 3 em Jarandilla de la Vera (Espanha) e promove no dia 23 o passeio pedestre PR1 Trilho das Jans, na freguesia de Amieira do Tejo.
Em Março, no dia 3, os mais experimentados caminheiros da Inijovem rumam até à Serra da Estrela onde participam nos 12 Km Manteigas – Penhas Douradas e a 23 tem lugar, entre Cedillo e Montalvão, a XIV Rota do Contrabando, a mais famosa iniciativa desta associação de jovens, pelo número de caminheiros nacionais e espanhóis que nela participam.

17.2.13

OPINIÃO: A Fábrica do Desemprego

Na minha cidade havia um grande edifício, caiado de amarelo-torrado, com uns portões altos e umas grades em ferro forjado, com muitas janelas e umas grandes chaminés, o qual ocupava em espaço, mais de um quarteirão. Não sei para que servia, nem quem lá vivia, mas dizem os mais velhos, que ali estava situado o coração daquela pequena cidade, e que outrora, brotavam daquele espaço muitos sonhos e numerosos projetos, e que alguns tornaram-se mesmo vidas vividas, de gente com esperança e futuro!
E agora, juntam-se a estas minhas memórias dispersas, acontecimentos reais, de um país perdido e sem rumo, navegando à deriva, que tem no leme, homens que nada percebem de navegação, nem sabem ler os sinais no céu, mas que, nos falam de um túnel debaixo do chão e de uma luz, que teimam em ver (só eles) na escuridão dos indicadores económico-sociais … entre as pausas do discurso lento, sonolento e preguiçoso, do tecnocrata Gaspar.
E, os números falam por si, como nos foi revelado esta semana, pelo INE, em termos de taxa de desemprego, o que, deixa-nos a todos, muito preocupados, com o futuro deste pequeno país do sul da Europa (a 3ª taxa mais alta da União Europeia). Só no último trimestre   mais de 154 mil pessoas perderam seu trabalho em Portugal, e a taxa está nos 16,9%. Nos jovens - de 15 a 24 anos -, a situação é mais preocupante, atingindo um recorde, de 37,7%.
Mas que destino nos pode revelar esta política destruidora de emprego? Coisa boa não será, certamente!
O futuro, a meu ver, passa pela construção de uma nova política, mais amiga das pessoas, que as saiba ouvir, respeitar e valorizar, por isso, o tempo é de mudança, tal como se ouviu esta semana, no parlamento, pela voz de um grupo de cidadãos, que das galerias, cantaram bem alto e com a voz limpa “que o povo é quem mais ordena!”.
Que assim seja, e que no próximo dia 2 de Março, todos os caminhos possam vir dar à grande manifestação “Que se lixe a Troika!”, porque, está na hora de encerrar esta grande fábrica do desemprego, da precariedade, da miséria, criada por este governo ultraliberal de Coelho e Portas, insensíveis à vontade e aos anseios do povo, e que estão a enterrar um país e as pessoas que aqui (sobre)vivem e, assim não pode ser! Esta fábrica tem que fechar, para o desemprego acabar.
JOSE LEANDRO LOPES SEMEDO

15.2.13

TOLOSA: XI Passeio TT


O Team Punho Trancado vai organizar o X Passeio TT de Tolosa, no dia 3 de Março, na freguesia de Tolosa.
Programa:
08h00 - Concentração (Coordenadas – 39º25’25’’N / 7º42’55’’O);
08H30 - Inscrições e Pequeno Almoço;
09h00 - Início do Passeio;
12h00 – Reforço Alimentar;
15h00 – Chegada a Tolosa e Almoço convívio;
 As inscrições têm um valor de 20 TT’S (Nota: Inscrições de ultima hora tem agravamento de 5 TT’s por participante).
NOTA* Valores válidos até dia 28 de Fevereiro (5ª Feira), a partir dessa data tem agravamento de 5TT’S por participante.
Para mais informações/inscrições contacte-nos através de:  Mário Severino tlm.: 965249281 - Luís Vinagre tlm.: 966592078
A Organização não se responsabiliza por qualquer acidente que venha a ocorrer.
e-mail: tolosaaventuratt@hotmail.com

AREZ: ACESA vai "Encomendar as Almas"


Sinalização e marcação do Caminho de Santiago no concelho de Nisa

O Sector de Atividades Desportivas e Lazer da Câmara Municipal de Nisa está a implementar o projeto de Sinalização e Marcação do Caminho de Santiago na sua passagem pelo concelho de Nisa.
O principal objetivo deste projeto é a correta orientação dos peregrinos que se dirigem a Santiago de Compostela, mas tem outros objetivos transversais, como a definição de etapas que contemplem a pernoita de peregrinos tanto em Alpalhão como em Nisa, contribuindo desta forma para a sustentabilidade do comércio local designadamente nas vertentes da restauração e da hotelaria. 
 Foram realizados trabalhos de prospeção, de reconhecimento e de limpeza em troços do Caminho e está em curso a sinalização e marcação do percurso. O projeto assume relevância, numa altura em que, tanto a sul como a norte do Tejo, os municípios que integram este itinerário se estão a mobilizar no sentido de procederem ao seu levantamento e sinalização.
Nisa integra um dos itinerários portugueses mais antigos até Santiago de Compostela, designado por Caminho Português do Interior, também conhecido como Caminho Português do Leste. Têm o seu início em Tavira, no Algarve e entra na Galiza por Chaves, ligando-se ao Caminho Sanabrês (prolongamento da Via da Prata) e seguindo por este até Santiago. 
Existem diversas referências iconográficas, toponímicas a Santiago no concelho de Nisa. Na obra “Vias Portuguesas de Peregrinação a Santiago de Compostela na Idade Média” de Humberto Baquero Moreno, é referido um documento que se encontra na Torre do Tombo [ Chancelaria de D. Afonso V, livro 15, folha 45 v.], onde é relatado um episódio ocorrido em 1455, envolvendo um casal de peregrinos alemães que se dirigiam a Santiago da Galiza e que  apresentaram ao Juiz da Vila de Nisa, a queixa de terem sido assaltados por três vaqueiros no caminho entre Castelo de Vide e Nisa.
O Caminho Português do Interior entra no concelho de Nisa, junto às passadeiras da Ribeira de Sor, na confluência das freguesias de Vale do Peso (Crato) e de Alpalhão (Nisa), estende-se por cerca de 35 km até alcançar a ponte sobre o rio Tejo (Vila Velha de Ródão). Atravessa as freguesias de Alpalhão, Espirito Santo, Nossa Senhora da Graça, S. Simão e Santana e as localidades de Alpalhão, Nisa e Pé da Serra.
A sinalização deste itinerário contempla três fases distintas:–Sinalização e marcação com setas amarelas e a vieira de Santiago, que nalguns troços comporta também a colocação de postes de madeira e marcos em cimento (sinalética convencionada para a orientação dos peregrinos);– Colocação de sinalética complementar: placas direcionais urbanas, leitores de paisagem ou painéis indicativos;– Formalização de proposta à Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal, no sentido de homologar este itinerário como um percurso de Grande Rota.
Fonte: CMNisa

14.2.13

OPINIÃO: Um pouco de ternura e nada mais


No domingo, 27 de Janeiro, às 5 da tarde, fui internado de urgência no Santa Maria. Respirava com extrema dificuldade, era assaltado por terríveis acessos de tosse, não me mantinha equilibrado e estava apossado de funesta sonolência. Andava nesta obstinada teimosia há uma semana, ante os reparos dos filhos e as reprimendas da Isaura, que custodia as minhas disposições com a benevolência e a firmeza que lhe conferem cinquenta anos de vida em comum. Éramos dois miúdos e durante estes anos todos temos enfrentado vendavais sem conta. Continuamos dois miúdos, um pouco mais velhos.
Cheguei, pois, ao hospital num estado deplorável, em razão da minha presunção e soberba. Presumiu-se que uma virose me atacara; depois, talvez fosse vítima de embolia pulmonar. O despiste das doenças não impediu a minha acentuada fraqueza. Fui rodeado imediatamente de atenções e de solicitudes que logo notei serem iguais para todos quantos haviam entrado naquele crisol de sofrimento e de espanto. Pertencia, agora, a esta comunidade na qual o abatimento, a dependência, a fragilidade e a perda do recato pertencem ao mesmo número de resignadas admissões.
Pouco depois fui transferido para o Hospital Pulido Valente. Explicaram-me que, na Unidade de Cuidados Intermédios, dispunha de assistência assídua e especializada, e a minha miséria encontrava resposta na bondade, no carinho, no desvelo de um grupo de raparigas e de rapazes não só atento à medicação, procurando magoar-me o mínimo possível, com o furo nas veias débeis, como me lavavam, me limpavam, me cuidavam com a grandeza de quem não precisa de reciprocidade. A dimensão da humanidade na sua expressão acaso mais nobre. Sou-lhes eterno devedor.
Ao observá-los e à sua compassiva densidade, apreendi que os macacos sem fé e sem sonho, que nos governam, desejam não só dar cabo do Serviço Nacional de Saúde: eles querem, sobretudo, dissolver os laços de benevolência, essa ligação suave, decente e poderosa entre alma e coração, substância e essência que constituem a construção social e o espírito do SNS. O que são alianças de piedade e de solidariedade entre os que sofrem e os que cuidam, ajudam e amparam, eles ambicionam transformar em gélidas demonstrações profissionais, "justificadas" pelo dinheiro.
Estes que tais encontram, porventura, na maldita frase do banqueiro Ulrich ["eles aguentam, aguentam"] o mais sórdido apoio aos seus projectos de demolição social e ética. Estão do outro lado das coisas, ignoram a natureza concêntrica das grandes simpatias humanas. Têm o coração oco. Nada sabem dessa humanidade assustada, desvalida, a quem querem roubar o pouco que lhes resta, que sofre nas ruas, nos hospitais, que envelhece no pasmo de desconhecer o que lhes acontece. E ocorre-me a frase de Raul Brandão: "Apenas anseiam por um pouco de ternura e nada mais."
Baptista Bastos - DN, 13/2/2013