21.7.18

OPINIÃO: O funeral do interior

Na mesma altura em que o Governo, em mais uma das suas toadas esperançosas, anunciava um Conselho de Ministros Extraordinário para aprovar medidas de ordenamento e coesão territorial, escolhendo Pampilhosa da Serra como palco simbólico, para, desse jeito, reafirmar o propagandístico e ilusório emblema "todos somos interior"..., na mesma altura, dizia eu, tornava-se conhecida a decisão governamental de encerrar o Colégio Salesiano de Poiares, no distrito de Vila Real, uma instituição de referência no interior, considerada, há décadas, um dos seus pilares de formação cívica e cultural. São afetados 225 alunos, 25 funcionários e 21 professores, que asseguravam os 2.º e 3.º ciclos e cursos profissionais em regime de externato e internato. Era o principal motor social e económico de uma comunidade no coração do Douro Vinhateiro Património Mundial. Mais de metade dos alunos recebia apoio social escolar, pelo que, com o seu encerramento, quem perde são os mais pobres, sempre os mais pobres, deste interior já empobrecido.
Como diria o outro: bem prega Frei Tomás! Que o mesmo é dizer: bem prega António Costa!
O próprio bispo de Vila Real, D. Amândio Tomás, pessoa geralmente reservada e discreta, não conteve a revolta ao qualificar como "ditatorial e irresponsável" tal decisão, acusando o Estado de estar a preparar o "funeral do interior". "Resta a submissão à decisão de não permitir outra alternativa ao que o Estado soberanamente decidir, ainda que se saiba que decide mal e, desgraçadamente, decida contra os pobres, porque são estes sempre a sofrer", escreve o bispo na sua nota episcopal.
Num cenário destes, com o país a ser gerido dos gabinetes de Lisboa, e a falarem do interior sempre com um hálito demagógico na boca, o que valem alertas como o do autarca de Vila Real, Rui Santos, ao lembrar que a população no litoral ultrapassa hoje os 52% enquanto no interior baixou 38%, com a agravante de que 82,4% dos jovens, com menos de 25 anos, vive também no litoral?
Alexandre Parafita in “Jornal de Notícias” – 20/7/2018