7.8.17

Pescadores impedem barco anti-imigração de atracar na Tunísia

O barco “C-Star” foi fretado por um grupo de extrema-direita que se opõem ao Islão e à imigração.
Um grupo de pescadores impediu que um barco com activistas de extrema-direita e anti-imigração atracasse no porto de Zarzis, na Tunísia.
“É o mínimo que podemos fazer tendo em conta o que está a acontecer no Mediterrâneo. Muçulmanos e africanos estão a morrer”, disse o líder dos pescadores à agência AFP.
Outro responsável pelo porto de Zarzis declarou que as autoridades não vão deixar entrar racistas.
A organização não-governamental tunisina Fórum dos Direitos Económicos e Sociais apela ao Governo para que não autorize o reabastecimento do navio em qualquer porto da Tunísia, apelidando a tripulação de “racista e perigosa”.
O barco “C-Star” foi fretado pelo grupo de extrema-direita Generation Identity, composto na sua maioria por jovens franceses, alemães, austríacos e italianos que se opõem ao Islão e à imigração.
A Generation Identity lançou uma campanha de recolha de donativos pela internet e conseguiu angariar 75 mil euros para alugar o navio, com cerca de 40 metros.
O objectivo da missão é impedir que os barcos com migrantes e refugiados cheguem à Europa, mas o grupo diz agora que está apenas a “monitorizar” os salvamentos no Mediterrâneo.
in rr.pt - 7/8/2017