10.2.17

11 de Fevereiro é o Dia Mundial do Doente

Tais como as outras datas comemorativas e simbólicas, o Dia Mundial do Doente deverá ser todos os dias e, como reconhece o Grupo de Humanização do Hospital Distrital de Portalegre, os "profissionais de saúde existem, porque as pessoas precisam de nós".
Neste Dia Mundial do Doente que se assinala amanhã, dia 11, deixo uma recomendação ao director do Centro de Saúde de Nisa: mande afixar em local bem visível (no átrio de entrada do C.S e junto à secretaria) a Declaração dos Direitos dos Doentes, bem como as Regras Básicas de Funcionamento do Centro de Saúde, principalmente, no que respeita às Prioridades de Atendimento e Definição do Regime de Urgências.
Quanto ao resto, mantenho a opinião que tenho desde há muito: Nisa não necessita de um novo Centro de Saúde. Necessita, sim, de profissionais de saúde (médicos, enfermeiros, administrativos e auxiliares) em número e qualidade, que garantam, sem rupturas, a prestação de cuidados de saúde à população do concelho, atendendo não só ao número de habitantes e área do território do município, mas, fundamentalmente, à especificidade dos agregados habitacionais, constituídos, na sua maioria, por idosos.
O concelho foi um dos mais atingidos pela política restritiva do governo anterior que, seguindo orientações da troika e para poupar uns "cobres", encerrou sete extensões locais de saúde nas freguesias.
"Ir ao médico" ou deslocar-se, regularmente, ao Centro de Saúde, seja ao de Nisa ou a outro qualquer, devia constituir quase uma rotina normal na vida dos cidadãos e não um exercício doloroso e um drama. Afinal, a saúde está acima de tudo. A saúde está primeiro, como diz o slogan, não para "beber água do Vimeiro", mas para satisfazer uma necessidade, tal vez a mais básica, na vida das pessoas e garantida constitucionalmente como um Direito fundamental. 
Mário Mendes