11.1.17

No dia do Encontro entre os Ministros do Ambiente de Portugal e Espanha, Quercus presente na Manifestação pelo Encerramento da Central Nuclear de Almaraz

A Quercus vai estar presente amanhã, Quinta-feira, dia 12 de Janeiro, a partir das 18.00h, em frente ao Consulado Espanhol em Lisboa, na Manifestação Antinuclear, pelo encerramento da Central Nuclear de Almaraz. Da comitiva constarão vários dirigentes, sócios e voluntários de diversos Núcleos Regionais da Quercus. Esta manifestação é convocada pelo MIA – Movimento Ibérico Antinuclear, de que a Quercus faz parte, e pretende mais uma vez exigir que os Governos Português e Espanhol tomem medidas no sentido de colocar em marcha o encerramento de Almaraz.
Pelo encerramento da Central de Almaraz
Uma vez mais, a Quercus, associação nacional que segue mais de perto a temática de Almaraz desde há cerca de quinze anos, vai juntar-se a diversas organizações espanholas e portugueses que lutam pelo encerramento desta Central Nuclear, que fica situada junto ao rio Tejo, na província de Cáceres, em Espanha, a cerca de 100 km da fronteira com Portugal.
A Central de Almaraz tem tido incidentes com regularidade, existindo situações em que já foram medidos níveis de radioactividade superiores ao permitido. Portugal pode vir a ser afectado, caso ocorra um acidente grave, quer por contaminação das águas, uma vez que a central se situa numa albufeira afluente do rio Tejo, quer por contaminação atmosférica, pela grande proximidade geográfica existente. Para além disto, Portugal não revela estar minimamente preparado para lidar com um cenário deste tipo, pelo que a acontecer um acidente grave, isso traria certamente sérios impactes imediatos para toda a zona fronteiriça, em especial para os distritos de Castelo Branco e Portalegre.
Em Almaraz, acidentes como o ocorrido em Maio de 2008, que obrigou à evacuação do pessoal do recinto de contenção e onde foram libertados cerca de 30 000 litros de água radioactiva que após tratamento teve que ser libertada no rio Tejo, apenas vêm reforçar a importância de se proceder ao encerramento desta Central, que ultrapassou já o seu período normal de vida. Com efeito, esta Central, que está já a funcionar desde o início dos anos 80, acabou por não encerrar na data prevista – Junho de 2010 - devido ao facto do Governo Espanhol ter, contrariamente às anteriores intenções, prolongado o prazo de funcionamento da Central por mais 10 anos, até Junho de 2020.
O momento político actual
Agora, que o Governo Espanhol deu parecer favorável ao projecto apresentado pelo consórcio Iberdrola, Endesa Generación e Gas Natural, que explora a Central Nuclear de Almaraz, para executar e montar um Armazenamento Individualizado de Resíduos nucleares junto a esta Central, confirma-se que existem fortes pressões em Espanha para que a Central não encerre no prazo definido (2020), e que o Governo Espanhol possa dar autorização para a Central continuar em funcionamento por mais dez ou vinte anos, constituindo-se assim Almaraz como um dos maiores perigos para toda a Península Ibérica e Europa.
Face à passividade que os vários Governos Portugueses têm revelado ao longo dos anos sobre este assunto, a Quercus considera fundamental que o actual Governo demonstre firmeza na defesa dos interesses nacionais junto de Espanha e diga claramente que o Governo Português quer ser consultado sobre tudo o que tenha a ver com a Central Nuclear de Almaraz. Mas mais importante que tudo é que diga de uma forma inequívoca que o nosso país não quer esta Central a funcionar depois de 2020 e que a mesma deve encerrar, no máximo, por esta altura.
A Quercus espera que o projecto de resolução sobre este assunto, aprovado por unanimidade na Assembleia da República Portuguesa, a enorme jornada de contestação ibérica que decorreu a 11 de Junho em Cáceres e toda a mobilização da sociedade portuguesa em torno desta questão, leve de uma vez por todas a que o Governo Português responda positivamente às expectativas dos cidadãos nacionais e exija o encerramento de Almaraz.
Assim, a Quercus apela à presença de todos os cidadãos na manifestação de amanhã em Lisboa, que será certamente um marco importante na contestação à Central Nuclear de Almaraz e, que em dia de reunião prevista entre os Ministros do Ambiente de Portugal e Espanha, poderá enviar um sinal muito claro a Espanha sobre a real vontade dos portugueses quanto a esta questão.
A Direcção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza
As Direcções dos Núcleo Regionais de Portalegre e de Castelo Branco da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza