23.11.16

Évora comemora 30 anos de Património Mundial

A cidade de Évora festeja no próximo dia 25 de novembro, sexta-feira, o 30º aniversário sobre a inscrição do seu centro histórico na lista das cidades classificadas como Património Mundial pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) em 1986. Para assinalar a efeméride a Câmara Municipal preparou um vasto programa de atividades que decorre até 6 de dezembro.
No passado fim de semana, para além de um concerto da Orquestra Nova de Guitarras, no Teatro Garcia de Resende (TGR), decorreu, no domingo, dia 20, o lançamento do rótulo do vinho comemorativo “30 anos Évora Património Mundial”, seguido de concerto de piano e canto com Amílcar Vasques-Dias e Pedro Calado. O evento teve lugar na Adega da Herdade da Pimenta, em São Miguel de Machede (ler peça sobre este assunto em “notícias”).
Com vários motivos de destaque, o ponto alto do programa de comemorações tem lugar no dia 25 com a realização de uma sessão evocativa dos 30 anos, agendada para as 21h, no TGR. A primeira parte da cerimónia contará com intervenções de Carlos Pinto de Sá, Presidente da Câmara Municipal de Évora, e de Ana Paula Amendoeira, Diretora Regional de Cultura do Alentejo. Seguir-se-á um concerto pela Orquestra Philarmónica de Lisboa, sob a direção do Maestro Miguel Madaleno.

No dia 25 estão ainda previstas outras iniciativas: às 14h30, nos Paços do Concelho, vão ser entregues os certificados de “Cidadão Temporário de Évora“, do Projeto Jovens Embaixadores. Às 17h decorrerá uma visita guiada à intervenção no fresco do tímpano das arcadas (rua João de Deus) e, pelas 18h, novamente nos Paços do Concelho, terá lugar a assinatura do acordo de doação do espólio de projetos de arquitetura e engenharia da autoria do arquiteto João Raúl David e do engenheiro Celestino António David, pelas famílias Froes David, David Callado e Luís David à Câmara Municipal de Évora.
No dia 26 referência especial para a estreia de Marfim, um filme-documentário de Luís Godinho em que “Acompanhado pela viola campaniça, António Bexiga percorre as ruas do centro histórico de Évora e desafia outros músicos e artistas e utilizarem praças e monumentos como cenário de representação artística.” Para ver no Auditório Soror Mariana (Rua Diogo Cão), às 21h.
A 27 de novembro salienta-se a “EDP distribuição meia maratona de Évora” e, à noite, o espetáculo de dança “FOLCLORE”, de Luis Marrafa, realizado em honra da cidade, no TGR. Para o mesmo local estão calendarizados um concerto da Orquestra da Gulbenkian, no dia 30, e um espetáculo de poesia homónima por Júlio Resende e Júlio Machado Vaz, já no dia 2 de dezembro. O programa das comemorações encerra a 6 de dezembro com a inauguração da exposição “O CENTRO HISTÓRICO DE ÉVORA E AS ARTES DO TRABALHO (1939-1960)”, que ficará patente no Convento dos Remédios.
Recorde-se que Évora foi a segunda cidade portuguesa a ser reconhecida como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO. Na sua declaração de valor, esta organização considerou ser esta urbe “o melhor exemplo de cidade da idade de ouro portuguesa, após a destruição de Lisboa pelo terramoto de 1755.”