14.10.16

BOB DYLAN: Reconhecimento de uma vida


O Prémio Nobel da Literatura foi atribuído a Bob Dylan
O 113.º escritor a receber o mais cobiçado prémio literário do planeta, é Bob Dylan, "por ter criado novas formas de expressão poética no quadro da grande tradição da música americana".
Embora seja reconhecido primeiramente como músico, e não como escritor, Bob Dylan foi o seu nome foi avançado como possível vencedor vários anos para o Nobel de Literatura.
No entanto Sara Danius, Secretária Permanente da Academia, reconheceu que a distinção de um artista, cujo ofício é o das canções pode ser controverso. Manifestou a esperança de a Academia não ser criticada por tal escolha, afirmando que "talvez os tempos estejam a mudar", citando o título de uma das mais famosas canções do cantor de "Blowing in the wind".
Numa curta entrevista após anunciar o vencedor, Sara Danius explicou que Dylan mereceu o prémio por ser "um grande poeta na grande tradição poética inglesa", reforçando que "ele encarna essa tradição", recordando que há 54 anos que o cantor, poeta e compositor se reinventa, criando novas identidades.
Ao longo de uma carreira que já dura mais de 50 anos, Bob Dylan lançou diversos livros, sendo que a Academia recordou que "como artista, foi altamente versátil, trabalhou como pintor, actor e argumentista".
Tanto na música como na literatura, foi fortemente influenciado por poetas do movimento beatnik e pelos poetas modernos americanos.
O seu primeiro disco, "Bob Dylan", é de 1962. Entre trabalhos de inéditos, colectâneas e registos de concertos, foram registados oficialmente 69 álbuns. O mais recente é "Fallen angles", de 2016, no qual interpreta clássicos americanos popularizados por Frank Sinatra.
Já o primeiro livro foi a colectânea de poesias experimentais "Tarantula", de 1971. Dois anos mais tarde, saiu "Writings and drawings", em que tinha textos e desenhos. Ele é ainda autor do best-seller autobiográfico "Chronicles : Volume One.", de 2004. A ideia inicial é que autobiografia teria outras duas continuações, que ainda não chegaram a ser editadas.
António Manuel Teixeira in Hardmúsica" - 13/10/2016